Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Depois de três meses desempregado, Evra deu a volta por cima

Depois de ser despedido do Marselha, Patrice Evra estava à deriva, mas a luz ao fundo do túnel apareceu e o jogador francês assinou pelo West Ham. O que tem um veterano de 36 anos a oferecer à Premier League?

Cátia Leitão

Patrice Evra na apresentação como jogador do West Ham

West Ham United FC

Partilhar

No futebol, a idade não é só um número e por isso mesmo as carreiras dos jogadores nunca são excessivamente longas. Quando chegam os 30 e muitos, as pernas começam a pesar e o desempenho deixa de ser o melhor - já é difícil ter um rendimento de topo num jogador com mais de 35 anos de idade. O avançar da idade compromete a qualidade muscular dos futebolistas e as lesões passam a ser uma constante.

Isto tudo para dizer que, dentro de campo, os 30 anos não são propriamente os novos 20, e ficar sem clube aos 36 anos é, no mínimo, desanimador - que o diga Patrice Evra.

O internacional francês jogava no Marselha pelo segundo ano quando viu a vida virar-se do avesso. Podia ter sido um infeliz acaso ou ter sido posto de parte em função de outro jogador, mas não foi nada disso que aconteceu. Evra conseguiu a proeza de ser expulso de um jogo ainda antes deste começar. Isto aconteceu em Guimarães.

Como? Ao agredir um adepto. Faltavam 20 minutos para o início da partida com o Vitória de Guimarães, para a 4ª jornada da fase de grupos da Liga Europa, e o Marselha estava no aquecimento quando um grupo de adeptos invadiu o campo. A reação de Evra foi dar um pontapé num adepto da própria equipa, presumivelmente por insultos. As forças de intervenção tiveram mesmo de retirar o jogador da confusão que se gerou e este acabou por ser expulso.

O Marselha saiu derrotado do Estádio D. Afonso Henriques e pouco depois Patrice Evra foi suspenso pela UEFA de todas as competições europeias por sete meses. Mas a história não ficou por aqui e o comportamento do jogador custou-lhe o lugar no Marselha e 10 mil euros.

O milagre de West Ham

Desde então, Evra estava sem clube e sem saber para que lado se virar, até que o inesperado aconteceu: o West Ham mostrou interesse no jogador. E nem ele estava à espera. "Aconteceu tudo muito rápido. O meu agente ligou-me e disse que eu tinha de voltar [do Dubai] para Londres o mais rápido possível. Encontrei-me com o treinador, que eu já conhecia do Manchester United, é claro, e conheci o presidente, foi tudo muito fácil", garantiu o defesa.

"Quando se faz um acordo em que o dinheiro não é problema, pode ser tudo feito em cinco minutos. Foi a coisa mais rápida que fiz na minha vida, porque ambas as partes queriam trabalhar juntas e por isso era muito fácil fazer um acordo", explicou o jogador.

Patrice Evra assinou então contrato a curto prazo, até ao final da época, e marca assim o regresso à Premier League, depois de dois anos em França. Além disso, Evra reencontra-se também com David Moyes, que já foi treinador do francês no Manchester United, onde este jogou durante nove épocas.

O defesa chega assim a Inglaterra numa altura dificil para o West Ham (equipa na qual também joga o internacional português João Mário, emprestado pelo Inter de Milão), que está em 12º lugar na classificação e a apenas três pontos da linha de descida.

Embora continue suspenso das provas europeias, Evra pode entrar nos jogos da Premier League, mas existem outras questões, nomeadamente a da idade. Evra tem neste momento 36 anos e torna-se assim no jogador mais velho da equipa. No entanto, isto parece não ser um problema aos olhos do treinador, que estava a precisar urgentemente de um defesa esquerdo, depois da suspensão de Arthur Masuaku, por cuspir em Nick Powell, jogador do Wigan Athletic. E, afinal, um bocadinho de experiência na defesa também pode ser uma vantagem.