Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Federação Inglesa compara laço de Guardiola pela independência da Catalunha com suástica

A Federação já advertiu o treinador catalão que os símbolos políticos não são permitidos no futebol inglês

Expresso

Marc Atkins/Offside

Partilhar

Quase por regra, a política e o futebol têm muitas dificuldades em misturar-se. Ainda assim, há casos excecionais.

Pep Guardiola, treinador do Manchester City, tem usado, nas últimas semanas, um laço amarelo na lapela durante os jogos da sua equipa, um sinal de apoio para com os independentistas da Catalunha que se encontram detidos. Porém, a federação inglesa (FA) está descontente com a situação.

“Não podemos nem queremos que o futebol mostre símbolos políticos. Os símbolos que dividem não são bons. Podiam ser símbolos religiosos potentes, podia ser a estrela de David, podia ser a foice e o martelo, podia ser uma suástica ou qualquer coisa de apoio a Robert Mugabe [ex-presidente do Zimbabué] e estas coisas não queremos”, disse Martin Glenn, diretor da Federação Inglesa de futebol, à imprensa no último fim de semana.

“E, para ser muito claro, a fita amarela de Pep Guardiola é uma postura política, é um símbolo da independência catalã. Deveria alguém, usar uma insígnia do UKIP (partido independentista do Reino Unido)? Devia alguém usar uma insígnia do Estado Islâmico?”, questionou.