Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Presidente do PSG garante que Neymar fica. "Os media espanhóis trabalham para os clubes espanhóis. E os franceses trabalham para quem?"

Nasser Al-Khelaifi deixou este sábado duas garantias na ressaca da derrota do PSG em casa: que o próximo treinador do clube vai ser conhecido "muito em breve" e que Neymar não vai deixar o clube de Paris, culpando a imprensa espanhola pelos rumores que, diz, não têm fundamento.

Expresso

Neymar assinou contrato há um ano pelo PSG tornando-se no jogador mais caro da história do futebol.

Partilhar

A novela Neymar prossegue e o presidente do PSG entrou em campo para falar dela. O dedo de Nasser Al-Khelaifi levantou-se para apontar responsabilidades aos meios de comunicação espanhóis que têm dado como muito provável a transferência do brasileiro para o Real Madrid.

Questionado sobre a possibilidade por um canal francês, Al-Khelaifi respondeu em tom desafiador: "Os media espanhóis trabalham para os clubes espanhóis, contra os clubes franceses, e os media franceses trabalham para quem? Pelos clubes franceses ou pelos espanhóis?"

Logo a seguir, o dirigente garantiu que a permanência de Neymar é certa. "Ele vai ficar aqui a 2000%. Ele vai ficar. De certeza”.

E se é de uma guerra mediática que se fala, o "Daily Mirror" acabou de entrar em campo, garantindo este domingo que o Manchester United estará disposto a bater a oferta dos espanhóis. Qualquer coisa como 260 milhões de euros.

Neymar está em Paris apenas há um ano tendo chegado com grande estrondo e em desavença com o anterior clube, o Barcelona. Assinou contrato até 2022 tendo o PSG pago 222 milhões aos catalães pela contratação do avançado brasileiro.

Nos últimos dias, a imprensa espanhola tem publicado várias notícias sobre a possível transferência de Neymar para o Real Madrid, nomeadamente uma em que se refere que o pai do jogador já terá informado a direção do clube francês da vontade do filho, no desejo de jogar num campeonato mais competitivo que o francês.

Este sábado, o brasileiro assistiu na bancada - foi operado em março, volta aos treinos este domingo - à derrota do PSG, já campeão, no último jogo dos parisienses em casa. Há mais de dois anos que tal não sucedia. Um resultado amargo (0-2 para o Rennes) no encontro que ficou marcado pela homenagem de despedida a Thiago Motta que pendura as botas no final da temporada.

Foi também o último encontro de Unai Emery à frente da equipa. Nasser Al-Khelaifi também falou sobre o assunto para garantir que o nome do sucessor do espanhol será conhecido por estes dias: "Vão saber o nome do próximo treinador muito em breve. Amanhã [domingo], ou depois de amanhã", afirmou.