Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

Olha a bolinha!

Está na hora de trocar a praia pelo campo — de futebol, bem entendido. O campeonato está de volta e, se ainda não sabe bem quem foi para onde e o que se vai passar aqui e ali, não se preocupe, nós explicamos tudo (de 'A' a 'Z') o que precisa de saber para apreciar o início da Liga 2016/17

Mariana Cabral

Partilhar

Alan. Este homem dura e dura e dura. Com 36 anos, continua a ser um símbolo do Braga (e da Liga, convenhamos) e vai para a 16ª temporada consecutiva no campeonato português, o que faz dele recordista entre os jogadores em atividade. Estreou-se em 2001/02, pelo Marítimo e já leva 378 jogos no currículo. Perto dele só Luisão (293) e Rui Patrício (262).

Bilhetes. Não há nada como uma boa polémica para começar a Liga e o Tondela fez por isso com os preços dos bilhetes para o público em geral no jogo contra o Benfica: €30 e €45. O Benfica não gostou e reclamou — sem falar oficialmente no assunto — do relvado do Estádio João Cardoso, mas a verdade é que os cinco mil bilhetes desapareceram num ápice. Pedro Proença garantiu que esta é “uma das grandes temáticas” para a direção da Liga — “queremos dizer às pessoas que o futebol é um espetáculo de família, com preços razoáveis” —, mas a questão ainda não foi regulamentada. É melhor os adeptos esperarem sentados (em casa?). Uma comparação impressionante: um bilhete de época do Bayern de Munique custa €80.

Calendário. O Rio Ave-FC Porto abriu ontem a Liga (já depois do fecho desta edição) e hoje há mais jogos de candidatos ao título: Sporting-Marítimo (18h15, SportTV1) e Tondela-Benfica (20h30, SportTV1) — mas é certo que a 1ª jornada não ficará completa este fim de semana (veja porquê na letra ‘X’). O primeiro clássico não vai demorar muito a acontecer — Sporting-FC Porto, na 3ª jornada, daqui a duas semanas —, e a última jornada reserva um Boavista-Benfica, um Sporting-Chaves e um Moreirense-FC Porto, a 20 de maio de 2017.

Depoitre. Não era um nome propriamente conhecido em Portugal — até Pinto da Costa admitiu que não o conhecia —, mas o avançado belga do Gent foi o escolhido por Nuno Espírito Santo para substituir Aboubakar, que está de saída, e rivalizar com André Silva, o miúdo que fez uma grande pré-época. O ‘gigante’ de 1,91 metros vai dar “outras soluções” ao ataque, explicou o treinador, mas só na Liga, para já, uma vez que não poderá ser utilizado na Champions frente à Roma, por já ter jogado na Europa pelo Gent. Desleixo no Dragão?

Europa. Por falar em Liga dos Campeões, esta época os representantes portugueses na fase de grupos serão, para já, Benfica e Sporting. O FC Porto ainda vai ter de disputar o playoff contra a Roma — quarta-feira no Dragão, dia 23 em Roma. Na Liga Europa, o Braga já está garantido na fase de grupos, mas o Arouca ainda procura a qualificação: recebe o Olympiacos (agora treinado por Paulo Bento) na quinta-feira e vai à Grécia no dia 25.

Franco Cervi. É certo que ainda só disputou um jogo oficial pelo Benfica — a Supertaça, na qual foi considerado o melhor em campo —, mas não há dúvida de que o extremo argentino já é o melhor reforço de Rui Vitória. Nico quê? Cervi fez esquecer a falta de Gaitán e mostrou atributos técnicos suficientes para ser um dos grandes desequilibradores da Liga portuguesa, na sua primeira experiência na Europa, aos 22 anos. Vai longe.

Golos. O melhor marcador em 2015/16 foi Jonas (32 golos), seguido de perto por Slimani (27), mas o melhor marcador em atividade na Liga é outro: o setubalense Meyong, que desde 1999/2000 soma 79 golos. Só ele tem mais do que Jonas (que tem um acumulado de 52), Alan (49) e Slimani (47). O melhor marcador da história do campeonato é Peyroteo (332).

Horta(s). Foi bonita a imagem com que terminou o Benfica-Braga: André e Ricardo, os irmãos Horta, num abraço emocionado. O primeiro voltou pela porta grande ao clube onde se formou, de onde foi dispensado, e o segundo vai ser um dos jogadores mais importantes do Braga (ver ‘R’). Além deles e de André Silva, dá gosto ver o potencial dos jovens portugueses nesta Liga, como Podence (Sporting), Gil Dias (Rio Ave), Geraldes (Moreirense), etc., etc.

Islam Slimani. Bruno de Carvalho admitiu que já recebeu propostas pelo avançado argelino, mas se o Sporting perder o homem que marcou 27 dos 79 golos da equipa na Liga da época passada será um problema. Também há Alan Ruiz, mas Barcos e Teo não continuam e o reforço Spalvis estará lesionado nos próximos seis meses. E não será assim tão fácil arranjar outro goleador com tanta qualidade.

Jonas. Do outro lado do Segunda Circular também há preocupação por um goleador: Jonas teve de ser operado ao tornozelo direito e só regressará em meados de setembro. A diferença é que Rui Vitória tem várias alternativas à disposição: Mitroglou, Jiménez, Guedes, Rui Fonte (lesionado e provavelmente de saída) e Jovic.

Kléber. Depois de ter amealhado uns trocos na China, está de regresso a Portugal e ao Estoril, que volta a ser um dos candidatos aos lugares europeus da classificação. Os outros serão o Braga, claro, o Arouca (ver ‘L’), o Rio Ave (ver ‘N’), o Belenenses (ver ‘Y’) e o Vitória de Guimarães, que esta época conta com Pedro Martins.

Lito Vidigal. O ex-treinador do Belenenses foi uma das figuras da Liga 2015/16 e é preciso voltar a segui-lo com atenção. O Arouca, que ficou em 5º na época passada, eliminou os holandeses do Heracles na sua estreia europeia e se superar o Olympiacos... Lito ainda vai ter uma estátua.

Mercado. São três as jornadas que se vão disputar ainda com o mercado aberto, o que quer dizer que é a partir da 4ª jornada que o campeonato começa a sério. Até lá, os treinadores vão andar quase sempre aflitos, mas a verdade é que o dia de encerramento das transferências — 31 de agosto — é sempre uma diversão para os adeptos (ou para a comunicação social, verdade seja dita).

Nuno Capucho. É mais um da nova vaga de misters formados no FC Porto, sob a égide do professor Vítor Frade, um defensor do futebol ofensivo. O Rio Ave impressionou na Liga Europa, mas acabou por ser eliminado pelos checos do Slávia de Praga, com dois empates.

Octagésima terceira. Esta é a 83ª edição do campeonato português, que tem o Benfica como clube com mais títulos (35), seguido por Porto (27), Sporting (18... ou 22, porque o clube agora defende que conquistou 22, acrescentando os quatro campeonatos disputados por eliminatórias que ganhou nos anos 20 e 30) e Belenenses e Boavista (ambos com um).

Paulo César Gusmão. O treinador brasileiro, que substituiu Nelo Vingada no Marítimo, é um dos quatro estrangeiros que começam a época em Portugal (com o brasileiro Fabiano Soares, do Estoril, o espanhol Julio Velásquez, do Belenenses, e o boliviano Erwin Sanchez, do Boavista), algo que já não acontecia desde 2004/05, quando o inglês Mick Wadsworth estava no Beira-Mar, o italiano Giovanni Trapattoni no Benfica, o espanhol Victor Fernandez no Porto e o brasileiro Casemiro Mior no Nacional.

Quatro. A camisola que na época passada foi usada por Maicon no FC Porto está agora livre, mas já tem (putativo) dono: Ricardo Carvalho. O central de 38 anos deixou o Mónaco e pode regressar ao Dragão para vestir uma camisola que já foi dele.

Rafa. Benfica ou Porto? Só o jogador — e o Braga — saberão. O extremo português é de longe o melhor jogador dos bracarenses, mas poderá sair se alguém se aproximar dos €20 milhões que António Salvador pretende por ele. Será uma enorme perda para José Peseiro, pelo rendimento que apresenta no presente, mas há no clube quem também dê garantias de futuro: Ricardo Horta.

Supertaça. O primeiro troféu da época foi conquistado pelo Benfica, que começou o jogo com o Braga com um festival ofensivo e acabou a vencer 3-0, com golos de Cervi, Jonas e Pizzi.

Treinadores. “O modo como comunicam, lideram, definem objetivos, conseguem criar melhores equipas e mais inteligência coletiva” é que os distingue, diz Rui Lança, especialista em liderança, e é isso que os adeptos vão avaliar, especialmente em Rui Vitória, Jorge Jesus e Nuno Espírito Santo. O treinador do Benfica tem a tranquilidade de ter sido campeão, o do Sporting tem a experiência de 486 jogos na Liga (ninguém tem mais) e o do Porto tem a pressa de voltar às vitórias. No final, só um ficará feliz.

Ui, isso dói. Não lhe queremos chamar caceteiros, mas... Maxi Pereira é o mais amarelado dos jogadores da Liga, com 79 amarelos, seguido por Luisão, com 66.

Videoárbitro. Foi testado pela primeira vez na Supertaça — ainda que sem contacto com o árbitro da partida — e continuará a ser testado na Taça de Portugal e na Taça da Liga.

William. É um dos quatro campeões europeus do Sporting que está a ser cobiçado. Mas entre ele, João Mário, Adrien e Patrício, o que está mais perto de sair é João Mário, que segundo a imprensa italiana já tem acordo para ir para o Inter de Milão, por €50 milhões.

X É assim que ficará o resultado do Nacional-Chaves até 4 de setembro. O jogo foi adiado pela Liga, devido aos incêndios na Madeira.

Yebda. Lembra-se deste gigante loiro? Depois de ter jogado no Benfica em 2008/09, vai representar o Belenenses.

Zé Turbo. O miúdo (de nome verdadeiro José Correia) que deixou a formação do Sporting no ano passado para assinar pelo Inter está de volta, por empréstimo, para jogar no Tondela. O atleta de 19 anos tentará ajudar a equipa de Petit a evitar a despromoção, destino ao qual é das mais forte candidatas (em teoria), juntamente com Feirense e Chaves.

Texto publicado na edição de 13 de agosto de 2016 do Expresso