Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

Jorge Simão. “Não sendo vidente, quero acreditar que sim”

O treinador do Desportivo de Chaves, que perdeu este sábado com o Benfica, elogiou a prestação da sua equipa durante a primeira parte, durante a qual os encarnados não conseguiram marcar

Expresso

JOSÉ COELHO / LUSA

Partilhar

O treinador do Desportivo de Chaves, Jorge Simão, diz que o sentimento após o jogo era o de "quem acaba de perder um jogo", mas considera que seus jogadores estiveram bem. "Fizemos um bom jogo, uma primeira parte melhor do que a segunda. Mas na primeira parte fizemos aquilo para o qual nos preparámos", afirmou este sábado, em conferência de imprensa, após o jogo com o Benfica em Chaves, no qual perderam por 0-2.

"O Benfica não conseguiu nesse período criar uma situação de golo de bola corrida", acrescentou em referência à primeira parte deste jogo.

"Na segunda parte, o Benfica obrigou-nos a baixar as linhas e ficou mais difícil", realçou, lembrando no entanto "a excelente organização defensiva" da sua equipa, apesar dos dois golos sofridos. "A eficácia dita leis. E o segundo golo fecha o jogo."

Jorge Simão afastou ainda a possibilidade de apontar o dedo à sua equipa por causa da derrotta. "Jamais de mim vão ouvir alguma crítica aos jogadores, as minhas palavras serão sempre de elogio", disse ainda.

Poderá o Chaves continuar a ter a mesma prestação depois desta derrota? "Não sendo vidente, quero acreditar que sim, por isso é que nos preparamos para cada jogo. Gosto de sentir que os jogadores estão comprometidos com as ideias fortes que constituem a identidade desta equipa."

"A nossa luta é a dos 40 pontos e não há ninguém que retire uma vírcula a este objetivo", concluiu.