Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

Wender, a quem os jogadores do Sporting disseram: “Fogo, a nosso favor, está quieto, mas contra nós és um leão!”

Foi para o Sporting porque José Peseiro o convenceu que ia ser útil e jogar muito. Dois meses depois, o treinador sai para entrar outro que não lhe deu uso. Wender regressou ao Braga, por empréstimo, e uma semana depois estava a marcar dois golos aos leões: “O Paulo Bento não confiou tanto no meu valor e achava que, se eu jogasse pelo Braga, ia ser um reforço para o Sporting”. Domingo há um Sporting-Braga (20h15, Sport TV1) e falámos com quem jogou nos dois lados

Diogo Pombo

TOCA A CELEBRAR. Por acaso esta fotografia não foi tirada no jogo contra o Sporting, mas Wender festejou assim, por duas vezes, após trocar os leões pelo Braga, em 2005/06

getty

Partilhar

Ouviu o que todo o jogador gosta de ouvir: um treinador a convencê-lo a mudar de clube, dizendo-lhe que ia jogar, ser importante e ter utilidade na equipa que ia ser montada com uma posição feita para ele. Como Wender era extremo e José Peseiro o treinador que lhe garantiu querer jogar em 4-3-3, o brasileiro nem precisou de ser convencido a dizer que sim ao Sporting e até já ao Braga.

Mas o ambiente que Wender encontra não é bom. Está pesado, a passar pela ressaca de uma época que prometeu muito e não ganhou coisa alguma. Mesmo marcando nos dois jogos em que é titular, para a Taça UEFA, o brasileiro nada pode fazer para evitar que, ao fim de dois meses, Peseiro se vá embora. Aparece Paulo Bento, o treinador que gosta de miúdos e ainda mais de uma equipa concentrada ao meio, sem extremos. Wender pouco joga. Quando, no Sporting, surge a necessidade de um lateral direito, o clube ao qual o vão buscar tem outra - a de querer Wender de volta.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)