Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

Augusto Inácio: “Ganhámos, embora ache que não tenha sido um grande espetáculo”

O treinador do Moreirense admite que o Sporting de Braga foi um opositor forte que nunca deu oportunidade para o contra-ataque. Mas ainda assim, diz que foi o justo vencedor

SEM TABUS Na Foz, onde regressa amiúde, Inácio lembrou que o Sporting é o seu amor de sempre, o FC Porto a sua paixão

Lucília Monteiro

Partilhar

O treinador do Moreirense, Augusto Inácio, está feliz. Ganhou a Taça da Liga, a primeira ganha pelo clube do Minho. Mas tem noção de que não foi um bom jogo.

"Hoje não foi um jogo bem jogado, mas quem marcasse um golo marcaria a diferença, foi o que aconteceu. Acabou por ser um justo vencedor, o Moreirense. Soube bem, ganhámos, embora ache que não tenha sido um grande espetáculo", disse em entrevista à RTP3 no final do encontro.

Diz Inácio que "esta equipa do Jorge Simão é mais pragmática, mais de tração atrás e transições" e "nunca nos deu oportunidade para o contra-ataque".

Questionado sobre se faria sentido fazer uma última substituição, Inácio responde: "Ia meter lá mais um central, sujeito a sofrer um golo num ressalto qualquer, a dar um sinal de medo? Não. A equipa estava bem, não fazia sentido mexer".

E quanto aos jogadores Geraldes e Podence, que podem estar de saída do clube, Inácio é prático. "Está entregue às direções. A única coisa que posso dizer é que, se eles forem agora para o Sporting, o Sporting tem dois excelentes jogadores. Têm um grande futuro pela frente, desejo igualmente que tenham sorte".