Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

Polícia faz onze detidos no Benfica-FC Porto

Alguns incidentes antes do início do jogo na Luz obrigaram a uma intervenção “mais musculada” do Corpo de Intervenção da PSP

Hugo Franco

MIGUEL A. LOPES

Partilhar

Alguns focos de tensão entre adeptos do Benfica e do FC Porto, antes e depois do jogo no estádio da Luz, levaram à detenção de onze pessoas. Um dos detidos terá cuspido num agente do Corpo da Intervenção da PSP. Ao fugir foi travado pela polícia que o atirou ao chão. As câmaras das televisões filmaram a cena em que se vê o homem a receber alguns pontapés de um agente quando estava imobilizado.

Outro episódio mais intenso deu-se durante a chegada de adeptos do FC Porto ao estádio, a poucas horas do início da partida. A PSP tinha a informação de que tinham sido distribuídas 500 bolas de golfe entre elementos das claques.

Entre as 18h e 19, houve não só algumas bolas de golfe no ar (não seriam 500) mas também garrafas e pedras. Entre adeptos dos dois clubes mas também dirigidas aos agentes da PSP que faziam o cordão policial. Segundo o "Diário de Notícias", o subcomissário Pedro Pinho foi alvejado com uma pedra, o que levou à detenção imediata de um adepto do clube encarnado, que garantiu não ter sido ele a arremessá-la.

Alguns autocarros provenientes do Porto foram também alvo de vários tipos de projéteis.

Segundo informações oficiais da PSP, sete dos onze detidos nesta operação tinham consigo engenhos pirotécnicos. Um outro foi apanhado a vender bilhetes falsos e os restantes acabaram presos por injúrias aos agentes e coação.

O comportamento dos adeptos obrigou a "uma intervenção mais musculada" por parte da polícia, confirmou um porta voz do Comando Metropolitano de Lisboa. Já sobre o cordão policial em redor dos adeptos do FC Porto considerou que tudo correu "dentro da normalidade". E a normalidade, pelo menos nos clássicos de sabor mais intenso, passa por umas pedradas, arremesso de garrafas e também de bolas de golfe.