Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

Árbitro agredido vai ser submetido a cirurgia reconstrutiva

José Rodrigues teve alta hospitar, mas Associação de Futebol do Porto refere que árbitro terá de se submeter a uma cirurgia ao nariz. O agressor expulso pelo Canelas 2010 é ouvido esta manhã no Tribunal de Gondomar, enquanto afastamento competitivo da equipa depende do relatório do árbitro

Isabel Paulo

Michael Dodge

Partilhar

O árbitro José Rodrigues, a quem o jogador do Canelas 2010, Marco Gonçalves, fraturou o nariz no jogo com o Sport Rio Tinto, vai ter de efetuar uma “operação corretiva”, referiu à Tribuna Expresso Domingos Santos, secretário Geral da Associação de Futebol do Porto (A.F. Porto). O árbitro do segundo escalão nacional foi hospitalizado após a violenta agressão mas terá tido alta ainda ontem.

A Tribuna Expresso tentou em vão confirmar junto do Hospital de São João qual o diagnóstico clínico do árbitro, mas a assessoria da instituição de saúde refere desconhecer a que horas José Rodrigues teve alta ou se irá ser submetido a cirurgia reconstrutiva.

Depois de o presidente do Canelas 2010 ter garantido que Marco Gonçalves nunca mais vestirá a camisola do clube, o jogador que integra a claque dos Super Dragões e que afirma não se lembrar da agressão está a ser interrogado esta manhã no Tribunal de Gondomar. Em reunião da próxima quinta-feira, o Conselho de Disciplina da AF Porto deverá também castigar o agressor, já suspenso preventivamente, por longo tempo, mas tudo indica que o Canelas 2010 continuará a competir na Divisão de Elite-Pro-Nacional.

Segundo Domingos Santos há lugar a uma suspensão ao clube, caso o relatório do árbitro revele que houve participação de dirigentes ou assistentes do Canelas na agressão no campo do Rio Tinto. “Se o árbitro referir que foi um ato isolado de um jogador, não há razão para punir a equipa, como aliás aconteceu no Mundial de 2002, quando João Pinto agrediu o árbitro e foi castigado, sem sanções para a seleção”, lembra o dirigente associativo.

Após os adversários do Canelas terem boicotado os jogos com o Canelas 2010 em outubro, com exceção do Candal, por temerem atos de violência, as equipas da Divisão de Elite voltaram a competir em março, na segunda fase da prova que dá acesso ao Campeonato de Portugal. Se tivessem mantido a recusa em defrontar o Canelas, sujeitavam-se a descer de divisão por falta de comparência.

Face ao crónico histórico de violência do clube onde metade da equipa que tem por capitão Fernando Madureira, líder dos Super Dragões, a AF Porto adiantou à Tribuna Expresso que foram tomadas todas as medidas de prevenção para esta fase da prova em diálogo com os dirigentes do Canelas, como o reforço de policiamento em todos os jogos em casa e fora, agentes de segurança fixos junto aos balneários e presença de dirigentes associativos nos encontros, como é o caso do presidente Lourenço Pinto, que já referiu não ter assistido à agressão por ter chegado alguns minutos após o início do jogo.

Após o pedido de escusa de boa parte dos árbitros dos distritais por temerem pela sua segurança, os nomeados para os jogos do Canelas 2010 pertencem aos quadros nacionais, como é o caso de José Rodrigues, árbitro da Segunda Categoria.

O Canelas 2010 segue em terciro lugar da prova, atrás do Desportivo das Aves B, com quem perdeu por 4-0, e o Rebordosa AC.