Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

Braga-FC Porto: “O fator sorte” explicado por Jorge Simão

Depois de um “primeiro tempo brilhante”, o Sporting de Braga entrou para uma segunda parte “mais de controlo, com mais dificuldade para definir e chegar a zonas de finalização, com o FC Porto a ter mais domínio territorial”. Eis a análise do técnico do Braga ao jogo deste sábado

Partilhar

Tal como Nuno Espírito Santo pediu para deixar uma mensagem a sócios e adeptos, também Jorge Simão, técnico do Sporting de Braga, pediu permissão para falar sobre um fator, “o fator sorte”, “que esteve sempre presente no jogo”. Ele explica, a propósito do penálti falhado: “Se a bola, em vez de bater no poste e sair, batesse no poste e entrasse dava o 2-0”. Esse resultado, considera, “permitia encarar segunda parte de outra forma”, mas não foi isso que aconteceu. “Parece que é mais uma adversidade”.

Penalti falhado, o Braga, que “fez um primeiro tempo brilhante”, entrou para uma segunda parte “mais de controlo, com mais dificuldade para definir e chegar a zonas de finalização, com o FC Porto a ter mais domínio territorial, embora sem grandes oportunidades de golo”. “Faltou critério no primeiro passe e esse foi o aspeto decisivo para deixarmos de ter aquele volume ofensivo que mostramos na primeira parte”, disse o técnico do Sporting de Braga, concluindo assim a sua análise ao jogo frente ao FC Porto, disputado este sábado

Partilhar