Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

Bruno de Carvalho convidou Vieira a ver jogo na tribuna de honra. Vieira recusou

O convite surgiu depois de um cidadão italiano adepto do Sporting ter morrido, este sábado de madrugada, vítima de um atropelamento junto ao Estádio da Luz. Presidente do Benfica diz que o convite foi feito "com pressupostos acusatórios" e não aceitou

Ana Baptista

MANUEL DE ALMEIDA

Partilhar

O presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, convidou o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, para assistir ao jogo deste sábado à noite na tribuna de honra do estádio de Alvalade como forma de se demarcar do atropelamento com fuga que ocorreu este sábado de madrugada junto ao Estádio da Luz e que vitimou um cidadão italiano adepto do Sporting. Mas Vieira recusou, dizendo que o convite é acusatório.

As notícias foram avançadas pelo jornal desportivo Record que teve acesso às duas cartas enviadas e as divulgou na íntegra no site.

Na carta enviada por Bruno de Carvalho, o presidente do Sporting pede a Luís Filipe Vieira que se afaste de "forma pública e sem reservas, de criminosos e de claques ilegais", aceitando assistir ao jogo na tribuna de honra do estádio de Alvalade. Mas, apenas se, no decorrer das investigações, se vier a confirmar que o crime foi "perpetrado por um adepto do Benfica".

Até agora não há confirmação oficial, mas segundo apurou o Expresso, o autor do crime (um atropelamento com fuga é considerado crime) será um adepto do Benfica.

Vieira respondeu pouco depois, considerando que o convite de Bruno de Carvalho tem "pressupostos acusatórios" e que essa é "a forma errada de se apelar ao bom senso". Diz ainda que a carta está "carregada de juízos de valores prévios com claras intenções de levar a que o presente convite nunca pudesse ser aceite nos termos em que foi formulado".

A carta de Bruno de Carvalho na íntegra:

"Exmo. Senhor Luís Filipe Vieira
Presidente do SL Benfica

Sem prejuízo da manutenção da ausência de relações Institucionais, o respeito pela diferença e pelos valores do desporto e do fair play, tal como muito bem foi dito no vosso recente comunicado, tem de estar acima de qualquer Clube.

Mais uma morte de um adepto do Sporting CP não pode deixar de ser firmemente condenada e deve ser recordada e usada para que, de uma vez por todas, não voltem a repetir-se mais lutas entre adeptos de Clubes.

Um crime é um crime!

O Sporting CP não confunde mais um trágico acontecimento com a necessidade de haver fair-play e respeito dentro e fora das 4 linhas e uma política firme por parte dos Clubes para com aqueles que, mesmo que sejam seus adeptos, se comportem como criminosos.

Um jogo é um jogo. A nossa atitude enquanto líderes de massas, determina o exemplo que queremos dar. Bem sei que enquanto presidente, e como oportunamente foi denunciado por mim, nos últimos 4 anos a sua atitude não tem sido a mais adequada em acontecimentos similares ou na evocação dos mesmos por parte de adeptos do clube a que preside, mas tenho sempre esperança que a partir deste momento altere a sua visão sobre o assunto.

Tenho confiança na capacidade de regeneração do ser humano. Espero por isso que, depois de os acontecimentos devidamente investigados, e se se concluir que por detrás destes factos está um crime perpetrado por um adepto do Benfica, dê um passo nesse sentido e que, finalmente, se demarque de forma pública e sem reservas, de criminosos e de claques ilegais.

Na expectativa de que subscreva o conteúdo integral desta carta e de melhor lhe demonstrar que sei bem, nesta luta contra a violência no desporto, que nem todos têm demonstrado vontade e empenho neste combate que tem que ser prioritário, gostaria de o convidar a assistir ao jogo de hoje na Tribuna do Estádio Alvalade XXI.

Violência, não! Nunca e contra ninguém!"

E a carta de Luís Filipe Vieira na íntegra:

"Exmo Senhor Presidente do Sporting Clube de Portugal

Quando existe uma intenção clara de adoptar os valores de fair play e do respeito mútuo como prática diária e quando se pretende partir para um processo construtivo de relações entre clubes, tal deve ser feito, através de gestos genuínos que não partam de convites carregados de juízos de valores prévios com claras intenções de levar a que o presente convite nunca pudesse ser aceite nos termos em que foi formulado.

Foi o Presidente do Sporting Clube de Portugal como publicamente assume, que adoptou como estratégia o confronto diário com a instituição Sport Lisboa e Benfica.

E hoje, num momento que requer de todos o máximo cuidado e rigor e em que um lamentável acontecimento ocorre, ao invés de procurar de forma sóbria não confundir os incidentes ocorridos esta madrugada com o jogo que se inicia daqui a pouco, tal como as próprias forças de segurança publicamente fizeram questão de expressar, promove um convite com pressupostos acusatórios que obviamente é a forma errada de se apelar ao bom senso, moderação e são convívio entre todos.

As mudanças devem resultar de atos consistentes, sistemáticos e diários por parte de todos nós, mas esteja certo que da parte do Sport Lisboa e Benfica reiteramos a disponibilidade de nos órgãos e momentos próprios trabalharmos com todos os clubes para a melhoria do ambiente no futebol português e reiteramos que da nossa parte, muito gostaríamos de ter uma relação de cordialidade com a instituição Sporting Clube de Portugal, rival de uma história centenária comum que muito nos deve orgulhar.

Luis Filipe Vieira
Presidente do Sport Lisboa e Benfica"
Lisboa, 22 de Abril

Partilhar