Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

Videoárbitro em estreia mundial no Jamor

A Federação Portguesa de Futebol confirmou a notícia este sábado publicada no Expresso. Duas finais inéditas em Portugal — e uma delas no mundo: as Taças de Portugal masculina e feminina vão ter videoárbitro

Mariana Cabral

Partilhar

O palco é histórico, mas a tecnologia é do mais moderno que existe. O Estádio Nacional, no Jamor, vai acolher a estreia oficial do videoárbitro (VAR, sigla de video assistant referee, em inglês) em Portugal, com duas finais que colocam a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) na vanguarda da implementação do novo recurso tecnológico no futebol.

Se o videoárbitro já foi utilizado numa final masculina — na Holanda, entre AZ Alkmaar e Vitesse (0-2), no mês passado, pela primeira vez —, a presença do novo assistente num jogo feminino será uma estreia mundial, confirmou fonte oficial da FIFA ao Expresso. Marcada para 4 de junho, a final da Taça de Portugal feminina — que deverá opor Sporting e Sporting de Braga, que venceram a 1ª mão das meias-finais perante Estoril Praia e Casa do Povo Martim, respetivamente, por 2-0 e 8-0 — terá VAR, sabe o Expresso.

Ainda que as árbitras da Liga feminina nunca tenham experimentado o novo recurso, terão durante este mês formação na sua utilização. Contudo, já está decidido que o VAR da final será um árbitro da Liga masculina, com experiência na tecnologia desenvolvida pela empresa Hawk-Eye — uma vez que o jogo também servirá como mais um teste para o recurso que será utilizado, na próxima época, em todos os 306 jogos da Liga NOS, como anunciou esta semana a FPF. Dos nove árbitros portugueses que já realizaram testes (offline, ou seja, com o VAR a existir, mas sem qualquer contacto com o árbitro principal; ou semi-live, com o VAR a comunicar diretamente com o árbitro da partida, em tempo real, mas sem que haja ainda qualquer interrupção do jogo), destacam-se dois: Jorge Sousa, que já completou seis jogos com VAR, e Artur Soares Dias, que foi nomeado pela FIFA um dos videoárbitros da Taça das Confederações, a disputar no verão, na Rússia.

Primeiro os senhores

Na semana anterior à final feminina, a 28 de maio, disputa-se a final da Taça de Portugal masculina, entre Benfica e Vitória de Guimarães, e a FPF já anunciou que esse será o primeiro jogo oficial com dois VAR — live, em contacto direto com o árbitro, que pode interromper o jogo — em território português, depois dos testes offline que foram realizados noutros nove jogos da competição esta época.

O VAR, cuja aprovação pelo International Football Association Board (IFAB, o organismo que rege as leis do futebol) foi anunciada em março de 2016, só entra em ação em ocasiões de “erro claro”, nomeadamente golos mal anulados ou validados, penáltis, cartões vermelhos e erros na identificação de jogadores.

A Liga holandesa foi a primeira a acolher o novo assistente, já que a Holanda, tal como Portugal, foi um dos países escolhidos pela FIFA para a realização de testes (os outros foram a Austrália, o Brasil, a Alemanha e os EUA), durante dois anos. Em Portugal, a FPF decidiu implementar o novo sistema já em 2017/18, assumindo todos os custos da medida - cada jogo custará cerca de €2 mil, pelo que serão investidos pelo menos €650 mil ao longo da época —, já que o ano ainda será experimental. Dos clubes aos árbitros (e até ao presidente da FIFA, Gianni Infantino), todos acolheram a medida com elogios.