Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

Rui Vitória: "Não andamos aqui a brincar. Quando preparamos os jogos sabemos como jogam os adversários"

Técnico encarnado sublinhou à Sport Tv que não é preciso dramatizar com os pontos perdidos frente ao Rio Ave e recusou não ter preparado da melhor forma o jogo deste sábado

Expresso

MÁRIO CRUZ / Lusa

Partilhar

A proposta de jogo do Rio Ave

“Cada equipa tem as suas características: o Rio Ave tem a sua forma de jogar, o Belenenses tinha uma forma diferente. Já o Chaves tinha uma similar à do Rio Ave. O jogo, na 1.ª parte, foi bastante disputado, mas muito fechado, com as duas equipas preocupadas em anular a formação contrária. Nenhuma teve bolas na área, nem foi superior. Na 2.ª parte, com os golos, fundamentalmente o do Rio Ave e depois o nosso, o jogo abriu para o nosso lado”

Oportunidades desperdiçadas

“Fomos mais agressivos, tivemos mais bolas na área e o Cássio fez boas defesas. Tivemos oportunidades para resolver o jogo e não o fizemos. Há jogos assim, que se põem difíceis por mérito do adversário. Em função das oportunidades que tivemos, poderíamos ter vencido. Foi um jogo difícil, bem disputado, contra uma boa equipa”

Surpreendido pelo Rio Ave?

“Temos de ter a consciência de que não andamos aqui a brincar. Quando preparamos os jogos sabemos como jogam os adversários. E nós, sabendo que o Rio Ave iniciava o jogo muito cá atrás, e que arriscava, tivemos um conjunto de bolas que, com um pouco mais de inspiração, poderíamos ter decidido. E este tipo de equipas acabam por condicionar muito o seu jogo se sofrem um golo numa saída. Sabíamos disso, mas na 1.ª parte não tivemos a clarividência para aproveitar esses erros. Depois, quando surgem os golos, o jogo abre. Fomos mais incisivos, com mais bolas para golo. Às vezes há jogos que não sendo bem jogados, têm de ser ganhos. E este jogo esteve quase a ser ganho pela nossa parte. Foi um empate contra uma boa equipa. Não quero tirar mérito ao adversário - longe de mim fazê-lo! Mas na 2.ª parte tínhamos de ter acabado com o jogo", frisou.

Substituições

“Tivemos de fazer uma logo bem cedo e depois ficamos com mais duas. Ora, num jogo como este, é bom ter todas para mexer como queremos. Coloquei o Zivkovic para ter jogo mais por dentro, de último passe, e o Raúl na frente, um jogador agressivo, pois a qualquer momento poderia ter uma bola na área, que acabou por ter. O jogo não estava fácil e os jogadores fizeram o que tinham a fazer"

Preocupação?

"A minha preocupação é a mesma quando ganho ou perco. As equipas vão todas passar por dificuldades. Há formações em Portugal que criam dificuldades aos chamados grandes e ainda estamos numa fase inicial. É evidente que não gostamos de perder pontos, mas não é por aí que temos de dramatizar”