Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

Bruno de Carvalho e o novo curso que a FPF quer criar para dirigentes: “Se quiserem posso dar algumas cadeiras do mesmo”

Fernando Gomes anunciou a intenção da FPF em criar uma formação específica para dirigentes que se sentam no banco e Bruno de Carvalho respondeu... oferecendo-se para professor

Expresso

Bruno de Carvalho e Jorge Jesus na Academia do Sporting, em Alcochete

FRANCISCO LEONG/GETTY

Partilhar

A Federação Portuguesa de Futebol quer que os dirigentes que se sentam nos bancos de futebol pelo país fora tenham uma formação específica (foi Fernando Gomes a dizê-lo, quarta-feira, no Parlamento) e Bruno de Carvalho disse, no seu Facebook, que está de acordo com a intenção. E que está disponível... para ser professor do curso.

"Eu sou um defensor de cursos de ética para os dirigentes que precisem. Felizmente, tive um pai e uma mãe que me deram educação, princípios e valores e, por isso, se quiserem posso dar algumas cadeiras do mesmo", escreveu.

O presidente do Sporting também aproveitou para apontar o dedo aos dirigentes "com cheiro a mofo", sem nomear ninguém. "Estenda-se o curso, não apenas aos dirigentes que se sentam nos bancos de suplentes, mas a todos os que se sentam na cadeira do poder, faz décadas, com cheiro a mofo, obsoletos, sem credibilização nenhuma junto dos adeptos e que teimam em fazer fogo de artifício e mandar areia para os olhos das pessoas, mas nada fazem para mudar de vez o futebol português e, com isso, contribui-se para a sua modernização, credibilização e dignificação", acrescentou.

"Fica o aviso de que Portugal já não é dos espertos, é dos inteligentes e, para tristeza de muitos, os portugueses já abriram os olhos faz tempo e já não vão em truques da 'velha guarda' que se agarra e arrasta no poder", concluiu.