Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

Sérgio Conceição: "A pausa de seleções é benéfica, agora há que recuperar esta gente."

Calmo, explicativo, aberto e quase didata. Sérgio Conceição falou após a vitória do FC Porto frente ao Belenenses para explicar o como e o porquê sobre várias coisas do jogo dos dragões e o desgaste provocado pelos três jogos jogados em oito dias

Expresso

Octavio Passos

Partilhar

O jogo, a preparação e o desgaste

"Penso que, com o resultado em 1-0, nenhuma equipa está confortável no jogo. Uma bola parada, uma transição que o adversário faça, podíamos sofrer um golo, apesar de sabermos que tínhamos preparado o jogo para estarmos equilibrados nesses momentos. Entrámos bem no jogo, conseguímos uma circulação interessante e chegar ao último terço com alguma facilidade, até porque o Belenenses estava com a equipa baixa no campo.

Faltou um bocadinho de profundidade, tentar movimentos diferentes, quer no apoio, quer na profundidade. E também rematar mais na primeira parte. De qualquer das maneiras, penso que a vantagem se justificava ao intervalo. No segundo tempo, os primeiros 15/20 minutos foram com o Belenenses com uma diferente postura, a pressionar mais alto, mas sentimo-nos confortáveis a jogar dessa forma.

Mas, pelo desgaste e pelos três jogos em oito dias, baixámos um bocadinho. Mesmo assim, continuámos a criar situações para fazer o segundo, que só aconteceu aos 90’, mas podia ter acontecido antes. É uma vitória dos adeptos também, foram fundamentais no apoio e na crença que tiveram, sobretudo na segunda parte."

O Belenenses e o descanso que vem aí

"Está tudo associado ao cansaço e à postura do Belenenses, que é uma equipa bem orientada e que sabe o que faz em campo, não é por acaso que está no 6º lugar no campeonato. Nós não jogamos sozinhos, jogamos contra adversários que também têm qualidade. Hoje lançámos um menino da equipa B e fico contente por isso. Tínhamos algumas baixas e os jogadores que jogaram na quarta-feira deram uma resposta fantástica, apesar do cansaço acumulado.

Agora há que recuperar esta gente da melhor forma e pensar nos jogos que vêm aí, serão outra vez muitos jogos em poucos dias. É uma pausa benéfica, sem dúvida nenhuma."

Reyes a trinco e a explicação tática

"Vocês, se calhar, estão pouco atentos. Cada vez que o Reyes entrou aqui foi para o meio campo. Tem a ver também com o que foi preparado para o jogo. Tínhamos um avançado puro, o Aboubakar, que queria que ficasse mais no corredor central, a funcionar mais como referência.

Depois, tínhamos quatro homens atrás, o Herrera, o Brahimi, o André André e o Hernâni, a quem pedimos que dessem a largura, com movimentos interiores e nos corredores laterais, e muita disponibilidade ofensiva dos quatro. Queria ter alguém que me equilibrasse o corredor central em termos defensivos. Portanto, tínhamos duas referências no corredor central, uma mais ofensiva [Aboubakar], ou mais defensiva [Reyes], e quatro jogadores muito móveis no meio."

Brahimi lesionou-se?

"Um ou outro jogador estava com queixas, mas, a 20 minutos do fim, resolvemos tirar o Brahimi. Não era só ele, mas achámos por bem tirá-lo para não haver nada de grave."