Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

Jesus: “Se houvesse mais cinco minutos de jogo haveria mais um golo, para um lado ou para o outro”

O treinador do Sporting disse que, mesmo tendo empatado no último minuto, olhou mais na segunda parte para a hipótese de fazer o 2-0 do que segurar o 1-0. E Jesus defendeu ainda que o Braga "não se pode desculpar com o árbitro"

Expresso e SIC Notícias

Partilhar

"Foi um bom jogo. Sabíamos que o Sporting de Braga tem uma boa equipa, individualmente também. Sabíamos que ia ser um jogo muito equilibrado. Senti que, após o primeiro golo, tínhamos mais possibilidades de aguentar o 1-0, do que passar do 1-0 para o 2-1, com duas situações muito em cima em que fomos penalizados. Com muita crença, conseguimos. O Alan entrou e conseguiu tirar uma grande penalidade.

Foi um jogo dividido. Na primeira parte, o Sporting de Braga nunca criou oportunidades de golo até nós fazermos o golo. Depois do primeiro golo sim, foi atrevido, ganhou penálti e depois fez um remate de fora da área que não deu hipóteses ao Rui Patrício. Só que a equipa acreditou e, em poucos minutos, fomos à procura de não perder o jogo. O importante era ganhar, mas é melhor empatar do que perder. Não empatámos com uma equipa qualquer, empatámos com uma boa equipa, que no ano passado tinha ganhado aqui.

O trabalho que fizemos na segunda parte até ao golo… Quando estava para segurar um pouco o resultado, com a entrada do Petrovic, acabámos por levar o golo e tudo isso se transformou. Foi um jogo de loucos, de tudo ou nada para ambas as equipas. Se houvesse mais 5 minutos de jogo haveria mais um golo, para um lado ou para o outro."

Perderam-se pontos ou ganhou-se um?

"São dois pontos perdidos sempre, como é óbvio, mas foi um mal menor. Importa realçar que jogámos contra uma boa equipa, que está abaixo dos três grandes. Não é fácil ganhar ao Braga. O mais difícil fizemos, que foi fazer golo e, a 15 minutos do fim, não segurar a vantagem."

Os problemas

"As saídas de alguns jogadores também complicaram. Faltou haver mais estabilidade no corredor central mais cedo, que era o que eu ia fazer, com a entrada do Petrovic. Mas depois, quando está a perder, a outra equipa deixa jogadores na frente. Senti que com o contragolpe podíamos fazer golo.

Olhei mais para a hipótese de fazer o 2-0 do que defender o 1-0, é a minha forma de olhar para o jogo. Estão de parabéns as duas equipas, fizeram um bom espetáculo."

E a arbitragem?

"Achei um jogo bem arbitrado do ponto de vista técnico e disciplinar, alguma decisão não favorecendo um e outro. O Sporting de Braga não se pode desculpar com o árbitro, porque o Bruno César também sofreu penálti na primeira parte, mas era um lance complicado."