Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

Caso dos emails. Benfica tem vindo a pedir repetidamente ao MP a detenção em flagrante delito de Francisco J. Marques

Nenhum dos pedidos de detenção dos encarnados parece ter surtido efeito junto do Ministério Público. Até agora não obtiveram qualquer resposta

Expresso

Partilhar

Há semanas consecutivas que os advogados do Benfica têm apresentado requerimentos ao Ministério Público a pedir a detenção em flagrante delito do responsável de comunicação do FC Porto, Francisco J. Marques, devido a este divulgar semanalmente, num programa da televisão do “Porto Canal”, o conteúdo de emails internos das águias, que terão sido obtidos de forma ilegal. Porém, nenhum dos pedidos dos encarnados parece ter surtido efeito junto do Ministério Público.

Segundo avança o “Público” esta quarta-feira, a procuradora titular do inquérito-crime que corre na 9ª Secção do Departamento de Investigação e Acção Penal de Lisboa, não tem sequer respondido aos pedidos do Benfica.

A Procuradoria-Geral da República, confrontada com esta situação, disse ao matutino que o MP pronuncia-se sobre os requerimentos que lhe são apresentados “no âmbito dos processos e no momento oportuno”.

Neste momento, garantiu a PGR, o processo do caso dos emails encontra-se “em investigação e está sujeito a segredo de justiça”.

João Correia, porta-voz da equipa de advogados do Benfica, confirmou ao matutino a existência dos requerimentos feitos pelo Benfica e revelou ainda que o clube dividiu a sua defesa neste caso por três escritórios de advogados.