Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

Conselho de Disciplina da FPF instaura processo ao Vitória de Guimarães

Nos confrontos entre adeptos e PSP, nove agentes ficaram feridos

Lusa

Partilhar

O Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) instaurou um processo disciplinar ao Vitória de Guimarães, sem especificar se motivado pela entrada em campo de adeptos na receção de domingo ao Benfica.

No domingo, com pouco mais de três minutos decorridos do jogo da 11.ª jornada da I Liga, que terminou com vitória por 3-1 dos ‘encarnados’, mais de uma centena de adeptos do clube minhoto instalados na bancada sul inferior do Estádio D. Afonso Henriques entraram de forma abrupta no relvado, na sequência de uma carga da PSP, que levou a uma interrupção de quase cinco minutos.

Nos confrontos entre adeptos e PSP, nove agentes ficaram feridos, com a Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) a anunciar, no domingo, ter solicitado um “processo de averiguações” aos incidentes.

Segundo o mapa de castigos da 11.ª jornada, hoje divulgado, os minhotos são alvo de processo disciplinar e terão ainda de pagar 7.611 euros em multas, pela deflagração de material pirotécnico pelos adeptos, cânticos ofensivos e pelo arremesso de vários isqueiros para o relvado.

Do outro lado, os ‘encarnados’ pagam 13.960 euros, com 7.650 euros devidos pelo arremesso de “uma tocha incandescente para o terreno de jogo”, sendo que o objeto “caiu atrás da publicidade e não atingiu ninguém”.

As ‘águias’ vão ainda desembolsar 6.310 euros pelo uso indevido de material pirotécnico pelos adeptos.

No encontro da 10.ª jornada entre o Boavista e o FC Porto, que os ‘dragões’ venceram por 3-0, os ‘azuis e brancos’ têm a maior ‘fatura’ da ronda, com 15.110 euros em multas.

O comportamento indevido dos adeptos foi a causa dos autos, pelo arremesso “de uma tocha incandescente para o terreno de jogo” e pela deflagração de um total de 32 engenhos pirotécnicos.

Os ‘axadrezados’ também foram multados em 2.870 euros pelo uso de materiais pirotécnicos e objetos não autorizados.

O brasileiro César, do Vitória de Setúbal, foi punido com dois jogos de suspensão depois de ter sido expulso na derrota em casa com o Desportivo das Aves (1-0), quando dirigiu palavras ao árbitro do banco de suplentes.