Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

Vítor Oliveira: "Com 11 contra 11 fomos inferiores em nada"

O treinador do Portimonense viu a equipa sofrer um golo, dar a volta ao resultado, sofrer uma reviravolta já nos descontos e lamenta que os erros defensivos nos descontos tenham acontecido, "provavelmente por cansaço"

Expresso

JOSE COELHO

Partilhar

Foi estranha a forma como tudo aconteceu?

"Não tem nada de estranho. Sentimos que, de alguma forma, tínhamos o jogo controlado onze contra onze. Quando ficámos com dez, tendo em conta o desgaste do jogo, sentimos que seria difícil manter. Cometemos alguns erros defensivos no final, provavelmente por cansaço, e o FC Porto acabou por ganhar."

O resumo e as (não) expulsões

"Fizemos um bom jogo e dificultámos imenso a vida ao FC Porto. Onze contra onze não fomos inferiores em nada. O FC Porto superiorizou-se onze contra dez. É importante dizer que jogámos sensivelmente quinze minutos contra onze, mas na primeira parte todos vimos uma entrada violentíssima, do Alex Telles, que devia ter sido punida com cartão vermelho, e não foi.

Nós devíamos ter beneficiado primeiro de superioridade numérica. Foi o FC Porto que a teve depois e acabou por fazer uso dessa superioridade para passar a eliminatória."

Estivemos bem defensivamente e saímos com critério, definindo bem as situações. Não estivemos muito bem a finalizar. Na primeira parte, tivemos três ou quatro oportunidades que podíamos ter definido melhor, mas, de qualquer das formas, o comportamento foi bastante digno. Não nos podemos esquecer que a maior parte destes jogadores estão a jogar, pela primeira vez, na primeira liga."

Como está o Portimonense

"A equipa está em crescendo. Muitos jogadores estão a jogar pela primeira vez a este nível. Estou muito contente com os meus jogadores. A jogar contra onze seria tremendamente difícil manter, tentámos defender bem a nossa baliza, mas o Porto teve arte e engenho."