Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

Couceiro e a arbitragem: "Os médios defensivos dos clubes grandes fazem sete, nove, dez faltas e não são repreendidos"

Treinador do V. Setúbal queixa-se de uma grande penalidade por marcar a favor da sua equipa e pede uma mudança de atitude. "Se queremos campeonatos mais competitivos temos de perceber que têm de ajudar a que haja equilíbrio", frisou, em declarações à Sport TV

Expresso

MIGUEL A. LOPES

Partilhar

Parabéns à equipa

“Quero dar os parabéns aos jogadores do Vitória pela postura e atitude, com destaque para o José Semedo, que ao fim de três semanas de uma lesão ligamentar fez o que podia e não podia para estar presente. Nestas dificuldades viemos disputar a eliminatória, para tentar ganhar”

Penálti por marcar

“Na 1.ª parte o Benfica tirou proveito nas bolas paradas da nossa estatura baixa. Na 2.ª parte jogámos mais subidos. O resultado é excessivamente desnivelado, parece-me que há claramente grande penalidade sobre o João Amaral e ainda punição disciplinar. Estamos habituados a que estas coisas aconteçam, nomeadamente em relação aos clubes grandes. Os médios defensivos dos clubes grandes fazem sete, nove, dez faltas e não são repreendidos. E os nossos ao fim da terceira são logo advertidos para não fazerem mais. É uma regra que tem de mudar em Portugal, não ajuda quem quer vir disputar o jogo. Se queremos campeonatos mais competitivos temos de perceber que têm de ajudar a que haja equilíbrio”

Próximo jogo

“Vamos ver como está o Semedo. O João Teixeira não pode jogar e temos mais alguns problemas. Não espero um V. Setúbal muito diferente, vimos disputar o jogo. Entrámos com clara intenção de ganhar e espero que possamos ter equilíbrio. Esta discrepância está enraizada em Portugal. Estamos tristes, queríamos continuar mas o Benfica passou e não há mais nada a dizer”