Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

Estoril-FC Porto adiado por razões de segurança

Abatimento de parte da bancada norte do Estádio António Coimbra da Mota causou o pânico entre os adeptos do FC Porto que ali assistiam ao jogo. Clubes e Liga e autoridades decidiram que não estavam reunidas condições para que a partida continuasse. Ainda não há data para o reatamento do jogo, que foi interrompido ao intervalo, quando o Estoril vencia por 1-0. A Liga agendou reunião "com caráter de urgência com o Estoril Praia e demais entidades competentes"

Expresso e Lusa

FRANCISCO LEONG/Getty

Partilhar

A 2.ª parte do jogo Estoril-FC Porto, da 18.ª jornada da Liga, foi suspensa ao intervalo, depois de adeptos dos dragões terem entrado no relvado devido a um problema estrutural numa das bancadas. Numa altura em que o jogo já estava no intervalo, os adeptos do FC Porto começaram a saltar para o relvado, devidamente orientados pelas forças de segurança, aparentemente por problemas numa das bancadas do estádio António Coimbra da Mota, no Estoril.

Os adeptos do FC Porto ainda voltariam para as bancadas e as primeiras indicações da Liga davam conta que o jogo seria reatado, mas por fim a decisão passou por adiar o jogo. Ao intervalo, o Estoril vencia por 1-0, com um golo de Eduardo Teixeira aos 17 minutos, através de um livre direto.

Clubes e liga ainda não anunciaram quando será reatada a 2.ª parte do encontro. Esta terça-feira todas as partes vão reunir-se, mas é certo que o encontro não será reatado amanhã.

"A partida da 18.ª jornada da Liga NOS entre o Estoril Praia e o FC Porto foi interrompida, durante o intervalo, após a evacuação de adeptos de uma das bancadas do Estádio António Coimbra da Mota, medida articulada entre responsáveis da Liga Portugal, Câmara Municipal de Cascais, Bombeiros e sociedade desportiva anfitriã. Depois de reunir com estas entidades, assim como com a equipa de arbitragem, o comandante das forças de segurança presente considerou que não estavam reunidas as condições de segurança necessárias para o reinício da partida. A Liga Portugal vai agendar uma reunião de partes, amanhã, com caráter de urgência, com o Estoril Praia e demais entidades competentes", pode ler-se num comunicado da Liga.

De acordo com os regulamentos da Liga, o jogo deveria realizar-se até 30 horas após a interrupção.

Já o Estoril escreveu que “depois de reunidas as entidades do Estoril Praia, FC Porto, Liga Portugal e Forças de Segurança, entendeu-se não estarem reunidas as condições de segurança para que o jogo prossiga. A interrupção está ligada ao facto de parte da bancada norte do Estádio António Coimbra da Mota ter tido um abatimento no centro, que causou algum alarme e que levou as autoridades a evacuar em segurança toda a bancada em causa”.

De acordo com a Antena 1 a Protecção Civil vai fazer esta terça-feira uma vistoria ao estádio António Coimbra da Mota, com Câmara de Cascais, SAD do Estoril-Praia e responsáveis da construção da bancada norte, que foi inaugurada em 2014. Pedro Araújo, comandante da Proteção Civil Municipal de Cascais, frisou também à Antena 1 que não há "indicação que possa relacionar o evento sísmico" que se sentiu em Portugal na manhã desta segunda-feira com o que aconteceu no Estoril.

1 / 3
2 / 3
3 / 3