Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

José Couceiro: "Sou um treinador satisfeito, sim"

O técnico do Vitória de Setúbal sublinhou como a estratégia de explorar a profundidade e os metros entre os defesas do Sporting e a baliza de Rui Patrício acabou por recompensar a sua equipa

Expresso

MÁRIO CRUZ/LUSA

Partilhar

A satisfação com o jogo

"Sou um treinador satisfeito, sim. Ganhar pontos contra equipas como esta é sempre bom. Ganhámos um ponto na nossa luta, frente a um grande, portanto é positivo, é sempre positivo.

A equipa não podia desorganizar-se, mas na primeira parte não defendemos bem e permitimos que, numa transição, o Sporting fizesse um golo. Depois arriscámos tudo. Tirámos os dois médios centrais e acabámos por ser felizes, numa altura em que o jogo estava mais partido.

O atacar as costas da defesa

"Sabíamos que o Sporting queria subir, queria sufocar-nos, portanto, tínhamos que jogar na profundidade e foi isso que fizemos. Antes do Edinho sofrer penálti, já o Patrick tinha tentado também fazer um lançamento longo, que saiu para as mãos do Rui Patrício."

A vida do Vitória no campeonato

"Precisamos de fazer vinte pontos na segunda volta, pelo menos, temos dois, portanto faltam-nos 18. Estamos na luta. Mas se virmos o historial do Vitória de Setúbal, poucas épocas não foram sofridas até ao fim."