Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

Mercado de inverno: a bolha continua lá fora e Coutinho é o balão maior

Na reta final do mercado de inverno, Philippe Coutinho, transferido do Liverpool para o Barça por 130 milhões de euros, lidera o ranking dos negócios milionários. Cá dentro, o clima é de contenção, com o Sporting a liderar nas compras, o Benfica nas vendas e o FC Porto nos empréstimos

Isabel Paulo

Pedro Salado/Getty

Partilhar

A três dias do fecho da janela de transações de inverno, o mercado anda agitado além-fronteiras e em maré baixa cá dentro. O Sporting lidera para já na coluna das aquisições, tendo Bruno de Carvalho oferecidos três caras novas ao sempre reivindicativo Jorge Jesus, que nunca perde uma oportunidade para reforçar o plantel.

Logo na abertura do mercado, o treinador dos leões recebeu, no Dia de Reis, três presentes no valor global de 10,5 milhões: Wendel, médio comprado ao Fluminense por €7 milhões, Josip Misic, internacional vindo do campeão croata Rijeka e que custou €3 milhões, e ainda Rúben Ribeiro, transferido do Rio Ave por €400 mil. Até ver, deixam Alvalade por empréstimo Matheus, filho do brasileiro Babeto, que vai tentar a sorte em Guimarães, e Alan Ruíz que cruza o oceano “para ser feliz” no Colón. Em banho-maria permanece a transferência de Gelson para o Liverpool.

No Benfica, mesmo com os cofres recheados com saída do jovem extremo Úmero Embaló, de 16 anos, para o Leipzig, negócio que rendeu €20 milhões, os reforços tardam em chegar à equipa que procura ser pentacampeã nacional, objetivo redobrado depois do afastamento sem honra nem glória da Champions. Na reta final do mercado intercalar, Rui Vitória segue em branco em matéria de contratações, depois de Erdal Rapik, médio sueco de 21 anos, adquirido ao Malmoe por valor indeterminado, ter chegado e partido por empréstimo para o Chrystal Palace. Um negócio que o Benfica acredita pode render €10 milhões, sem ter pisado o relvado da Luz, caso o clube inglês exerça a opção de compra no final da época.

Com as contas monitorizadas pela UEFA e depois da magra contratação estival de Vaná, guarda-redes do Feirense, o FC Porto volta apertar os cordões à bolsa. Na liderança do campeonato nacional, a equipa de Sérgio Conceição aposta na política de empréstimos para muscular o plantel no inverno: o avançado ganês Majeed Waris, de 26 anos, veio do Lorient, com opção de compra no final da época, e Paulinho chegou, nas mesmas condições, do Portimonense. Na lista de saída, estão Bueno (Málaga), Quintero (River Plate), enquanto ainda não se conhece o destino de Miguel Layún. Desagradado por jogar pouco, o mexicano é pretendido pelo Bétis de Sevilha e Everton.

Coutinho salta para nº. 2 da lista dos milhões

Coutinho, contratado pelo Barcelona ao Liverpool por €130 milhões, é até ao momento o protagonista maior do mercado de inverno, figurando no segundo lugar do ranking das contratações mais caras da história do futebol – à sua frente só está o recordista Neymar, que custou ao PSG, no verão passado, €222 milhões.

O Mónaco de Leonardo Jardim assegurou a contratação de Pietro Pellegrin, de 16 anos, por €25 milhões, italiano que fez história no Génova ao jogar pela equipa principal ainda com 15 anos. Pela equipa de José Mourinho assinou Alexis Sánchez, tendo o Manchester United pago ao Arsenal €23 milhões.

No top 5 das principais transferência de janeiro está ainda Cenk Tosun, que trocou o Besiktas pelo Everton, transferência de €22 milhões.Tanto quanto custou o avançado argentino Guido Carrillo, que deixou o Mónaco para jogar pelo Southampton. O Chelsea contratou ao Everton o internacional inglês Ross Barkley por €18 milhões.

Apesar dos rumores da mudança para Madrid, Neymar, admirador jurado de Cristiano Ronaldo e que o irá defrontar nos oitavos de final da Champions, desmentiu, este sábado, após a goleada (4-0) ao Montpellier, o adeus a Paris. “Estou tranquilo no PSG, sinto-me feliz em Paris. Isso é especulação!”, rematou.