Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

Miguel Cardoso: "A dimensão atlética do FC Porto é brutal"

O treinador do Rio Ave considerou a derrota por 5-0 como "pesada" e admitiu que a equipa "não foi competente" em alguns momentos, sobretudo, a defender as bolas paradas em que o FC Porto "é brutal"

Partilhar

Primeiro remate, primeiro golo sofrido

"Pesou, essencialmente, pelo peso que teve no resultado. Sabíamos que era fundamental não canalizarmos o jogo pelo meio, para não perdermos bolas que permitissem ao FC Porto explorar ataques rápidos. Acho que fomos competentes em controlar isso. Não fomos competentes a controlar as bolas paradas, em que são fortíssimos.

Agora é tentar perceber o que aconteceu e, em função disso, preparar o próximo jogo. Nada mais aconteceu do que perdermos um jogo. Vamos continuar a fazer o mesmo e pensar em como vamos trabalhar para ganhar o próximo.

O resultado é extremamente pesado, competimos muito bem com o FC Porto, em muitos momentos. Não tivemos a felicidade de fazer o 2-1 em alguns lances. Temos de voltar a encontrar o nosso caminho, isso é que é importante."

As bolas paradas

"A dimensão atlética do FC Porto é brutal. Uma bola parada que é disputada no ar, quem a disputar mais em cima tem vantagem. Tentámos fazer alguns bloqueios para condicionar um bocadinho os jogadores do FC Porto, não fomos capazes e eles entrarem em zonas em que conseguiram cabecear a bola, dentro do nosso bloco, com uma competência brutal."

Os 14 golos sofridos em quatro jogos

"O importante é perceber como é que resultado os golos. Não era habitual sofrermos de bola parada. Mas, de bola corrida, temos sido competentes no processo defensivo. Temos jogado contra equipas [Benfica e FC Porto] que levam ao limite as falhas dos adversários. É o que é.

Temos de perceber o que vamos fazer a partir deste momento, encontrar o nosso caminho, que tem a ver com treino e continuidade do nosso processo, da vontade que a equipa tem mostrado sempre para reagir.

Perceber que isto não é mais do que uma derrota no estádio do FC Porto, num contexto que seria sempre difícil. Não é normal o FC Porto perder dois jogos seguidos. O resultado, volto a dizer, é pesado."