Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

Poças, Paços e pontos perdidos

Numa noite de muita chuva e muito vento, houve pouco futebol na Mata Real, mas o Paços de Ferreira conseguiu marcar e impôr a primeira derrota da Liga ao líder FC Porto (1-0), que viu a sua vantagem pontual para os adversários diretos ficar reduzida

Expresso

A festa do Paços de Ferreira contra o FC Porto

NurPhoto

Partilhar

"Este é um campo complicado". Foi Sérgio Conceição quem o disse, na conferência de imprensa de antevisão do Paços de Ferreira-FC Porto - e tinha razão. Ali, na Mata Real, há pouco mais de duas semanas, o Benfica tinha conseguido vencer, mas só nos últimos minutos, por 3-1. E, antes, o Sporting também lá tinha passado com uma vitória, mas pela margem mínima: 2-1.

Mas, em teoria, havia poucas razões para dizer que os portistas não escapariam dali com uma vitória: o Paços era penúltimo e somava cinco derrotas consecutivas; o FC Porto era líder e ainda não tinha perdido qualquer jogo na Liga.

Só que a teoria carece de prática e a prática do futebol, esta noite, na Mata Real, estava complicada ao máximo: o vento e a chuva não davam tréguas e o relvado era um somatório de poças que davam ao Paços uma vantagem importante. Porque o FC Porto não conseguia circular a bola no chão, com a rapidez que lhe é característica, e o jogo era pouco fluido, havendo mais faltas e contacto físico do que boas jogadas e oportunidades de golo.

Na 1ª parte, o FC Porto - esta noite com Aboubakar e Waris como nova dupla de ataque e André André no lugar do castigado Herrera - pouco fez para se colocar em vantagem, enquanto o Paços ia fechando bem os caminhos para a baliza e aproveitando as saídas para o ataque para assustar Casillas. Foi numa dessas saídas que a equipa da casa ganhou um canto que, no meio da confusão, deu golo. Aos 36 minutos, Marcano aliviou mal a bola, Filipe Vieira cruzou e encontrou Miguel Vieira sozinho, que desviou para o 1-0 e festejou "à Cristiano Ronaldo".

Logo depois, numa jogada semelhante na área oposta, Aboubakar apareceu sozinho, mas permitiu a Mário Felgueiras fazer uma das muitas defesas da noite.

O guardião do Paços foi mesmo o melhor em campo da equipa da casa, uma vez que, mesmo num penálti, não permitiu o golo portista.

Brahimi falhou um penálti contra o Paços de Ferreira e o FC Porto perdeu

Brahimi falhou um penálti contra o Paços de Ferreira e o FC Porto perdeu

MIGUEL RIOPA/GETTY

Na 2ª parte, o FC Porto - já com Otávio em campo, por troca com um apagado Waris - entrou bem mais forte e, aos 66 minutos, Filipe Ferreira empurrou Felipe e foi marcado penálti. Contudo, Brahimi não conseguiu marcar e, a partir dali, o desespero instalou-se na equipa portista.

Houve mais ocasiões de golo, por Hernâni e Gonçalo Paciência, que entraram por troca com Corona e André André, mas o FC Porto nunca conseguiu ultrapassar o Paços, que ia passando entre os pingos da chuva e entre as muitas interrupções de um jogo que teve pouco futebol e pouco tempo útil.

Foi assim que o FC Porto somou a primeira derrota na Liga e é assim que, com alguma surpresa, o campeonato está relançado: o líder tem 67 pontos, o Benfica tem 65 e o Sporting, que joga segunda-feira em Chaves, tem 59. E faltam oito jornadas para o final.