Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

Até ao final. Ou melhor, à final, marcada para 15 de abril

O FC Porto venceu o Aves de forma confortável (2-0), no Dragão, e segue para o clássico da próxima semana a apenas um ponto do líder Benfica

Expresso

MIGUEL RIOPA/GETTY

Partilhar

Não. Depois de uma derrota com o Paços, ninguém esperava que o FC Porto voltasse a perder. Mas perdeu, outra vez fora, outra vez com um adversário bem fechadinho lá atrás e a sair rápido para o ataque: o Belenenses.

Duas derrotas (fora) depois, ninguém esperava que o FC Porto, que entretanto já tinha perdido a liderança para o Benfica, voltasse a perder. E, esta noite, em casa, não perdeu mesmo, correspondendo à letra ao que Sérgio Conceição tinha prometido na conferência de imprensa de antevisão do jogo: uma resposta à altura.

Foi isso mesmo que o FC Porto deu no Dragão, com uma entrada em jogo fortíssima que rapidamente destroçou qualquer plano que o Aves pudesse ter.

Logo aos sete minutos, Tissone pontapeou Ricardo - mais uma grande exibição do lateral direito portista - e o árbitro Nuno Almeida assinalou penálti. Desta vez, nem Sérgio Oliveira, nem Brahimi: o marcador escolhido foi Alex Telles e o lateral correspondeu - fez o golo e ainda apontou para o símbolo portista, repetindo várias vezes a palavra "respeito".

Apenas quatro minutos depois, 2-0: Otávio, titular esta noite, por troca com Maxi, aproveitou uma bola perdida na área após um lançamento de Ricardo para marcar.

Ou seja, aos 11 minutos o FC Porto já tinha o jogo praticamente resolvido e continuava a dominar e a ter oportunidades de golo: Brahimi, um dos mais ativos na frente, atirou à barra.

Do outro lado, o Aves também mexia. Os visitantes, aliás, pareceram sempre ter bem mais apetência para atacar do que para defender, só que não conseguiram ter a eficácia necessária para assustar Casillas. Amilton, ainda na 1ª parte, não aproveitou um lance isolado, deixando-se antecipar por aquele que é claramente o melhor central portista: Marcano, de volta ao onze depois daquela estreia pouco feliz de Osorio no Restelo.

Na 2ª parte, mais do mesmo: o FC Porto a dominar e a criar (poucas) oportunidades, mas, do outro lado, o Aves a mostrar-se também bastante atrevido, mas sem grande contundência, tirando um remate de Hamdou Elhouni, mesmo a fechar o jogo, que embateu no poste.

O mais importante, para os portistas, estava feito: vitória no bolso, antes da visita decisiva à Luz, na próxima semana. A 15 de abril, às 18h, pode decidir-se o campeonato: o Benfica é líder, com 74 pontos, mas o FC Porto vem logo atrás, com 73. E faltam apenas cinco jogos para terminar a Liga.