Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

Vitória de Guimarães age criminalmente contra Nuno Saraiva, na “sequência de graves declarações”

O Vitória de Guimarães, da I Liga portuguesa de futebol, confirmou esta sexta-feira ter agido criminalmente contra o diretor de comunicação do Sporting, Nuno Saraiva, que realçou a impossibilidade dos vitorianos utilizarem o médio Hurtado contra o Benfica

Partilhar

"Na sequência das graves declarações proferidas por Nuno Saraiva, diretor de comunicação do Sporting, na Sporting TV, e divulgadas na edição 'online' do jornal Record, que ferem a integridade do Vitoria Sport Clube nas competições em que participa, informamos que o Conselho de Administração da SAD decidiu participar criminalmente contra o referido diretor de comunicação", afirma a breve nota publicada no sítio oficial do emblema minhoto.

Ao acusar o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, de "hipocrisia", por ter dito que queria "rivais bons e fortes" no campeonato, o responsável 'leonino' mencionou, de forma irónica, os vimaranenses como um desses rivais, por Hurtado, autor de 13 golos em 31 jogos oficiais, ter ficado indisponível para os dois jogos com o Benfica - vitórias 'encarnadas' por 3-1, em Guimarães, e por 2-0, na Luz.

"Hurtado falhou o jogo da primeira volta, desculpando-se ter sido convocado para a seleção, para um jogo que seria disputado seis dias após o encontro com o Benfica. Na segunda volta, teve o azar de levar o amarelo no jogo anterior", disse Saraiva ao programa Verde no branco, da Sporting TV, na quinta-feira.

O diretor de comunicação dos 'leões' classificou ainda de "coincidência" o facto de o jogador, de 28 anos, com três golos e 31 internacionalizações pela seleção do Peru, ser agenciado pelo empresário Elio Casareto, o mesmo de Carrillo, extremo peruano, de 26 anos, cedido pelo Benfica ao Watford, da liga inglesa.

Lusa