Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

“O Gil Vicente vai ficar um ano a jogar para o boneco”

O Gil Vicente só será integrado na Liga na época 2019/20, pelo que passará a época 2018/19 no Campeonato de Portugal, a jogar "para o boneco", segundo Pinto da Costa

Expresso e Lusa

FC Porto

Partilhar

O presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), Pedro Proença, anunciou que o Gil Vicente não será integrado na próxima época na I Liga de futebol.

A decisão foi tomada na tarde de quarta-feira, em Coimbra, durante a II Cimeira de Presidentes dos clubes das I e II ligas, que durou cerca de quatro horas, sem a presença do líder do Sporting, Bruno de Carvalho.

"O Conselho de Presidentes decidiu manter o atual regulamento de competições, que preconiza que o Gil Vicente será integrado na época 2019/20", disse Pedro Proença, no final da reunião.

Segundo o dirigente, "o que estava a ser analisado, a título excecional, era poder antecipar aquilo que os regulamentos já previam e, portanto, face às dificuldades de calendarização, não foi possível encontrar uma solução que pudesse antecipar este cenário", tal como era pretendido pelo clube minhoto.

A LPFP vai "aplicar o que existia nos próprios regulamentos e que já definia o caso em concreto do Gil Vicente - havendo uma decisão judicial transitada em julgado tem de haver uma época de permeio entre a decisão judicial e a entrada numa nova categoria".

"E é isso que vai acontecer com toda a naturalidade", sublinhou Pedro Proença, salientando que, passados 14 anos, "far-se-á justiça com a integração do Gil Vicente" na I Liga de futebol.

O presidente da Liga adiantou ainda que a proposta de alteração do modelo de governação da LPFP foi aceite com muita "positividade e que haverá uma alteração estatutária até ao final da presente época".

Na alteração estatutária, acrescentou, a figura da Cimeira de Presidentes "é absolutamente obrigatória e permitirá a todos os clubes discutir, olhos nos olhos, aquilo que são as dificuldades que todos os dias aparecem aos clubes profissionais e essa foi a grande vitória desta cimeira".

De acordo com Pedro Proença, o novo modelo de governação da Liga prevê uma direção executiva "com poder, um presidente que tem capacidade de interagir com aquelas que são as realidades da Liga profissional, um Conselho de Presidentes com capacidade deliberativa e de acompanhamento de toda a comissão executiva".

"Aquilo que fazemos hoje é copiar as boas práticas empresariais para trazer à Liga as dinâmicas necessárias para poder responder a tudo aquilo que são as dificuldades que vão aparecendo", frisou.

Pinto da Costa e o "jogar para o boneco"

Pinto da Costa, presidente do FC Porto, foi um dos que não concordou com a decisão tomada. "É um clube que tem feito muito pelo futebol e que vai passar um ano a jogar para o boneco", disse, após a Cimeira, citado pelo site da Liga.

"Mas foi essa a decisão e o presidente do Gil Vicente compreendeu os argumentos dos clubes que votaram contra a reintegração imediata", acrescentou.

O presidente do clube de Barcelos não quis prestar declarações.

A III Cimeira de Presidentes ficou agendada para 11 de julho, às 14h30, no Convento de São Fancisco, em Coimbra.