Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

Excluído da Liga Europa, Desportivo das Aves atira-se à FPF

Desportivo das Aves diz-se enganado pela Federação Portuguesa de Futebol e defende que ganhou no Jamor acesso direto à Liga Europa. Luiz Carlos Andrade avisa que o vencedor da Taça de Portugal vai bater-se até às últimas consequências pela presença na prova da UEFA

Expresso

Partilhar

A época dentro das quatro linhas já acabou mas há novo caso à vista no sempre agitado futebol português. Um dia após a inédita vitória na Taça de Portugal, o Desportivo das Aves emitiu, ao início da noite de segunda-feira, uma nota a responsabilizar a Federação Portuguesa de futebol pela exclusão da equipa de José Mota da Liga Europa. Luiz Carlos Andrade, presidente da SAD do Aves, já avisou que o clube vai lutar até às “últimas consequências” pela participação na prova da UEFA, acusando a FPF de falhar prazos e de só ter informado a administração da SAD da falta de requisitos mínimos dois dias antes do jogo da final da Taça de Portugal.

“A Federação Portuguesa de Futebol deve, até ao dia 30 de novembro do ano anterior ao da época a licenciar, remeter a todas as sociedades desportivas a documentação necessária para a inscrição do processo de licenciamento. Acontece que apenas a 5 de dezembro - cinco dias após o prazo estabelecido pelo regulamento - o CD Aves -SAD recebeu essa mesma comunicação”, garante o clube em comunicado. A administração da SAD refere ainda que quando recebeu a comunicação da FPF entendeu que a mesma não fazia sentido por ser “extemporânea e por ser entendimento da SAD que a norma apenas se aplicaria ao licenciamento via campeonato e não através da Taça de Portugal, uma vez que em momento algum esta competição é mencionada”.

Na altura a lutar pela manutenção na I Liga, o Aves avança que não reagiu à comunicação federativa, mas considera ser, no “mínimo incoerente”, que a FPF alegue o não cumprimento de prazos como motivo de “reprovação de processo de licenciamento, quando a própria não cumpriu com alguns prazos a que estava imposta pelo mesmo regulamento”.

O assunto está entregue ao departamento jurídico do clube, referindo o líder da SAD que a FPF “assegurou” a presença do Aves na Liga Europa se vencessem a Taça de Portugal, “mesmo contornando quaisquer faltas de requisitos”. No final da homenagem à equipa de Vila das Aves, ontem, na Câmara de Santo Tirso, Luiz Andrade admitiu a existência de problemas no licenciamento, entre os quais falta de condições no estádio, tal como avançara à Tribuna Expresso ao início da tarde de segunda-feira.

O presidente da SAD adianta que os representantes da FPF que fizeram a vistoria em dezembro ao estádio “concluíram que não tinha condições” para receber jogos da Liga Europa, mas acrescenta que a falta de requisitos “nunca foi colocada como entrave” à participação do clube na prova europeia. Segundo o administrador, a FPF só alertou o Aves para o chumbo “dois dias antes do jogo com o Sporting”. Para os responsáveis do Aves, caso a equipa fique fora da Liga Europa, será “uma injustiça nacional”, assegurando que “a própria UEFA já colocou o Aves como um dos representantes portugueses” na prova.

O Desportivo das Aves promete não dar tréguas à FPF, a quem cabe “agora desenrascar-se”.