Tribuna Expresso

Perfil

Jogos Olímpicos

Podíamos falar sobre qualquer das Dibaba, mas vamos falar sobre Genzebe Dibaba

Genzebe Dibaba passou em 1º lugar à final dos 1500 metros de corrida, com o tempo de 4:03:06, e é a favorita para conquistar o ouro na madrugada desta terça para quarta-feira (2h30, Sport TV 1)

Expresso

Genzebe Dibaba tem 25 anos e é etíope

Shaun Botterill/Getty

Partilhar

Genzebe Dibaba. Quem? Isso. O nome não é fácil de pronunciar e ela não é das atletas mais mediáticas dos Jogos Olímpicos, mas Genzebe Dibaba faz estremecer as corredoras que vão partilhar a final dos 1500 metros com ela.

Nascida na Etiópia há 25 anos, Genzebe faz parte de uma família de grandes nomes, também eles vencedores. Ou melhor, vencedoras. É que na família Dibaba há outras duas atletas que já marcaram a história do atletismo: Tirunesh Dibaba, campeã olímpica e mundial nos 5 mil e nos 10 mil metros, que conquistou o bronze nos 10 mil metros no Rio; e Ejegayehu Dibaba, também ela medalhada em Jogos Olímpicos e campeonatos mundiais, nos 5 mil e nos 10 mil metros.

Todos querem saber qual é o truque dos - quer dizer, das - Dibaba, já que é difícil uma família alcançar tantos êxitos. As três irmãs Dibaba são o orgulho da Etiópia nas corridas e ainda têm outro nome na família que também sabe bem o que é vencer: a prima Derartu Tulu, que já conquistou várias medalhas olímpicas nos 10 mil metros.

OLIVIER MORIN/Getty

Foi ainda enquanto júnior que Genzebe Dibaba começou a destacar-se. Sabem aquelas provas de corta-mato que a maioria dos miúdos usa apenas para faltar às aulas? Pois bem, no caso de Dibaba a história não foi bem assim. Em 2008 e 2009 ganhou os títulos femininos juniores na modalidade e a partir daí começou também a praticar cross country.

Foi assim que começou a treinar cada vez mais e a mudar de "terreno", para as corridas cobertas. Em 2012, sagrou-se campeã mundial em pista coberta dos 1500 metros e foi convocada a participar nos Jogos Olímpicos em Londres.

Quando tudo parecia estar a correr bem, uma lesão fez com que a atleta tivesse que abandonar os Jogos, para grande tristeza dos adeptos da modalidade e principalmente para os etíopes, que contavam com ela para levar uma medalha para casa.

Voltou novamente ao topo em 2014, quando em apenas 15 dias quebrou três recordes mundiais em três diferentes eventos, feito conseguido por apenas mais dois atletas na história: Jesse Owens e Usain Bolt.

Mas o melhor ano da sua carreira foi, sem dúvida alguma, 2015, quando se sagrou campeã mundial dos 1500 metros e ainda conquistou o bronze nos 5 mil metros. Além disso, quebrou o recorde mundial nos 1500 metros, com um impressionante tempo de 3:50:07. É por isso que madrugada desta terça para quarta-feira, na final dos 1500 metros no Rio, já ninguém questiona o favoritismo dela. Genzebe Dibaba - não se esqueça deste nome.