Tribuna Expresso

Perfil

Jogos Olímpicos

Shaunae atirou-se para o chão para conquistar o ouro, Allyson cortou a meta a correr e ficou com a prata

Sabe o que são seis décimas de segundos? É o tempo que levou Shaunae Miller a atirar-se para o chão para ser a nova campeã olímpica dos 400 metros

Expresso

Partilhar

Quando as pernas ameaçaram fraquejar, Shaunae Miller diz que ouviu a voz da mãe dizer-lhe que tinha de dar o tudo por tudo. Allyson Felix não podia voltar a roubar-lhe o sonho da medalha de ouro, como acontecera no ano passado em Pequim, nos Mundiais de Atletismo. Nesse final de agosto de 2015, Allyson derrotou-a por 41 décimas de segundos.

Durante um ano, Shaunae, que nasceu nas Bahamas e vive nos EUA, preparou-se para conquistar o ouro olímpico nos 400 metros ciente de que a sua maior adversária poderia voltar a ser a norte-americana Allyson Felix. Um ano depois de Pequim, as duas mulheres competiram esta segunda-feira na disputa pelo ouro nos 400 metros do Rio de Janeiro.

Shaunae tinha trunfos para vencer: oito anos mais nova e 17 centímetros mais alta do que Allyson – a campeã olímpica dos 200 metros em 2012, que cedo ficou conhecida por ter pernas de gazela -, mas teve de se atirar literalmente para o chão (e cortar a meta a rastejar) para vencer ouro olímpico com a marca de 49.44 segundos. Pode não ser muito bonito, mas para ser campeã olímpica vale muita coisa e a voz da mãe fez-se ouvir: Shaunae Miller, 22 anos, derrotou Allyson, que leva para casa a medalha de prata.

1 / 16

Patrick Smith / Getty

2 / 16

Cameron Spencer / Getty

3 / 16

Ian Walton / Getty

4 / 16

Ian Walton / Getty

5 / 16

ANTONIN THUILLIER / Getty

6 / 16

ANTONIN THUILLIER / Getty

7 / 16

Cameron Spencer / Getty

8 / 16

Cameron Spencer / Getty

9 / 16

Ian Walton / Getty

10 / 16

Cameron Spencer / Getty

11 / 16

Ian Walton / Getty

12 / 16

Cameron Spencer / Getty

13 / 16

Alexander Hassenstein / Getty

14 / 16

Cameron Spencer / Getty

15 / 16

ADRIAN DENNIS / Getty

16 / 16

ADRIAN DENNIS / Getty