Tribuna Expresso

Perfil

Jogos Olímpicos

Cinco derrotas que entram para a História das Coreias

O importante não é vencer, mas competir. O lema olímpico aplica-se na perfeição à participação da primeira equipa da Coreia Unida nuns Jogos Olímpicos. A equipa feminina de hóquei no gelo terminou esta terça-feira a sua participação nos Jogos de PyeongChang, só com derrotas mas com a noção do dever cumprido

Margarida Mota

Hoquistas norte e sul-coreanas terminaram a sua histórica participação nos Jogos Olímpicos de Inverno fazendo um círculo no centro do ringue, no Centro de Hóquei de Kwandong, Coreia do Sul

David W Cerny / Reuters

Partilhar

Cinco jogos, cinco derrotas – e as espectadores nas bancadas do centro de hóquei de Kwandong em delírio, acenando com bandeiras da Coreia Unificada e gritando “Somos Um”. Terminou esta terça-feira, desta forma festiva e emocionada, a participação da equipa feminina coreana de hóquei no gelo, nos Jogos Olímpicos de Inverno, em PyeongChang (Coreia do Sul).

“A avançada sul-coreana Kim Heewon ia enxugando as lágrimas à medida que ela e as suas companheiras de equipa iam acenando aos adeptos que as ovacionavam de pé”, lê-se na reportagem da agência Associated Press. “Alguns espectadores choraram quando as atletas fizeram um círculo no centro da pista e bateram com os sticks no gelo, num ritual antes de abandonarem o ringue.”

Pela primeira vez, uma formação coreana formada por atletas dos dois lados do paralelo 38 competiu nuns Jogos Olímpicos. A equipa foi formada dias antes do início dos Jogos de Inverno organizados pela Coreia do Sul, quando a diplomacia conseguiu inverter meses de grande tensão na península coreana –provocada por sucessivos testes nucleares realizados pela Coreia do Norte que ameaçaram fazer deflagrar uma guerra no Pacífico.

Ao autorizar a participação de atletas norte-coreanos – para além das 12 hoquistas, o Norte enviou outros 10 atletas –, Pyongyang contribuiu para uma jornada conciliadora entre as duas Coreias, desavindas desde 1948.

A relevância política da participação norte-coreana ofuscou por completo o desempenho desportivo – insignificante – da equipa unida. As hoquistas coreanas somaram derrotas em todos os jogos disputados, sofrendo 28 golos e marcando apenas dois: 0-8 e 0-2 contra a Suíça, 0-8 e 1-6 frente à Suécia e 1-4 diante o Japão.

Com a sensação do dever cumprido, as norte-coreanas regressam, agora, ao seu país, sem certezas de um dia voltarem a ver ou a falar com as coprotagonistas deste episódio histórico. É que mesmo em tempos de paz os contactos entre sul e norte-coreanos estão totalmente proibidos, seja por telefone, carta ou email.