Tribuna Expresso

Perfil

Lá Em Casa Mando Eu

O Adrián que é parecido com um cometa e o Otávio deve ter visto o debate nos EUA (é o que acha o Lá em Casa Mando Eu)

Os jogadores do FC Porto podem ficar descansados: não há hipótese de o Slimani lhes marcar um golo na Taça de Portugal ou na Taça da Liga, esta época. Esta, e outras coisas, na análise da Catarina Pereira, do Lá em Casa Mando Eu.

Catarina Pereira (Lá em Casa Mando Eu)

Comentários

Shaun Botterill

Partilhar

Iker Casillas

O estádio do Leicester estreou-se na Liga dos Campeões, mas esta noite também foi de repetições. Aos 25 minutos, Mahrez cruzou do lado direito, Slimani antecipou-se a Felipe, na pequena área (enquanto Casillas ficava na sua habitual posição, "fingir-se de morto na linha"), e marcou. Ao FC Porto. A Casillas. Mais uma vez. Contando com os golos ilegais, parece que somos a equipa a quem o argelino já marcou mais. A boa notícia para Casillas é que, em princípio, Slimani já não nos poderá marcar na Taça de Portugal e na Taça da Liga esta época.

Miguel Layún

Aos 8 minutos, tentou um chapéu de muito longe a Schmeichel, dando um bom exemplo do que a equipa do FC Porto esperava com aquela entrada em campo: um golpe de sorte. A única oportunidade digna de registo na primeira parte saiu dos pés de Layún, na marcação de um livre que saiu muito perto da baliza adversária. Mesmo quando não joga muito bem, torna difícil a reentrada de Maxi Pereira na equipa, devido à influência nas bolas paradas. É mais ou menos como aquele colega de trabalho que não faz nada, mas que nos arranja o computador quando é preciso.

Felipe

Nos primeiros minutos deu-me esperança, com umas boas porradas em Vardy, mostrando que não é qualquer ex-presidiário que o assusta. No entanto, não conseguiu estar literalmente à altura de Slimani no lance do golo. Ou seja, Felipe só chegou há uns meses e já está pronto para sobreviver à prisão de Leicester, mas provavelmente não seria o melhor central das peladinhas no pátio.

Marcano

Tentar marcar Vardy e Slimani com Marcano equivale, mais ou menos, a tentar controlar dois pitbulls com um caniche. Na verdade, foi só uma das vítimas do facto da equipa parecer surpreendida com o 4x4x2 do Leicester. Se ao menos pudéssemos ter estudado e treinado isto... Talvez Nuno não saiba que a Premier League já não dá na BTV. (Aos 91 minutos, estava a ser agarrado na área inglesa, tal como André Silva, mas o árbitro marcou falta ofensiva. O álbum do FC Porto sobre erros dos árbitros nas redes sociais ganhou mais um frame.)

Alex Telles

O FC Porto nunca ganhou em Inglaterra e Alex Telles reflectia sobre este dado estatístico enquanto Mahrez cruzava para o golo de Slimani, mesmo à sua frente. Tentou ainda dar mais força a esta evidência quando, aos 85 minutos, escorregou e deixou Mahrez em condições de marcar o segundo, mas o remate saiu ao lado. Antes da partida, Pinto da Costa avisou os adeptos de que esta é uma época de transição. Ora, Alex Telles e os restantes estão a tentar desde já transitar para a Liga Europa.

Danilo

A exibição não foi das melhores, mas, aos 49 minutos, deu um pontapé na cara de Slimani e não ficaria nada bem eu escrever que fez apenas aquilo que qualquer portista deseja um dia fazer. Viu cartão amarelo, mas espero que o Presidente da República esteja já a pensar atribuir-lhe o grau acima de comendador por esta bela acção humanitária.

André André

Não conseguiu ganhar bolas ao meio-campo do Leicester, que foi sempre mais forte e mais rápido, parecendo estar a recuperar bem da contratação falhada de Adrien. Recuou sempre muito para ir buscar jogo e acabou por ser substituído aos 63 minutos, para entrar Herrera.

Óliver

No meio da confusão que foi a entrada do FC Porto em campo, via-se ao longe uma luzinha que tentava conduzir sempre bem a bola. Uma espécie de Da Vinci no meio de trolhas. Não consigo dizer mal de quem tenta jogar futebol e resistir à apatia técnica geral. Se eu tivesse 15 anos, decerto já estaria apaixonada por Óliver. Como tenho quase 30, continuo apaixonada apenas por Totti (parabéns Il Capitano e, já agora, leiam isto). Saiu aos 77 minutos para entrar Corona e, se não aderir rapidamente ao pontapé para a frente, temo que vá perder o lugar na equipa de Nuno.

Otávio

Suspeito que tenha ficado acordado até tarde a ver o debate das presidenciais dos Estados Unidos. Por um lado, riu-se à Hillary Clinton quando Vardy levou cartão amarelo por o empurrar na barreira durante a marcação de um livre; por outro, fartou-se de chutar a bola à Donald Trump, sem sentido nenhum.

Adrián

Recorda-me a Wikipédia que o cometa Halley é visível na Terra a cada 75 anos, coincidindo curiosamente com as boas exibições de Adrián Lopez. Como tal avistamento ocorreu no dérbi de sexta-feira com o Boavista, penso que conhecimentos básicos de astronomia dariam para adivinhar o que iria acontecer hoje. Saiu aos 63 minutos para entrar Diogo Jota. Já só faltam 74 jogos para a sua próxima boa exibição, que aposto já que vai acontecer num Elche-Alcorcón, da segunda divisão espanhola.

André Silva

Destaco apenas a recepção muito boa, logo aos 3 minutos, após um passe de Otávio, mas a tentativa de chapéu saiu mal. Foi muito marcado pelos dois centrais do Leicester e, com o seu estilo moderno e tecnicamente quase perfeito, foi uma espécie de Uber à mão dos taxistas Morgan e Huth.

Herrera

A dupla substituição aos 63 minutos (entrou ao mesmo tempo que Diogo Jota) mexeu com o jogo e tornou o FC Porto mais perigoso. Fez um bom remate, de pé esquerdo, aos 75 minutos, para a melhor defesa da noite do guarda-redes do Leicester. Teve ainda tempo para um bom passe para Otávio, mas este acertou em Schmeichel. Não deixa de ser irónico que Herrera tenha tornado o jogo do FC Porto menos feio.

Diogo Jota

Foi preciso esperar até aos 72 minutos para o FC Porto fazer um remate perigoso. Coube a Diogo Jota essa honra, mas Schmeichel infelizmente defendeu. Tendo em conta a forma como as mudanças melhoraram a equipa portista, Nuno ganhou aqui uma fã da rotatividade.

Corona

Entrou aos 77 minutos e acho que foi o melhor jogador do FC Porto em campo, o que me leva a crer que Nuno Espírito Santo é incrível naquelas duas palavras que troca com um jogador antes deste entrar. Talvez seja de experimentar isto antes dos jogos. Aos 82 minutos, desmarcou André Silva com um grande passe, mas o avançado recebeu mal a bola e não chegou a criar perigo. Logo a seguir, enviou uma bola ao poste após Schmeichel a ter sacudido.

Slimani

@&€?:^[£¥\!!!!!!!!!!