Tribuna Expresso

Perfil

Lá Em Casa Mando Eu

O FC Porto empatou mas Lá Em Casa Mando Eu deseja boa época ao Salgueiros (sim, ao Salgueiros)

Lá em casa não mandou o FC Porto e Catarina Pereira não é uma aniversariante satisfeita, especialmente com Herrera

Catarina Pereira, Lá em Casa Mando Eu

JOSE COELHO/LUSA

Partilhar

Casillas

Na primeira parte, aproveitou para ver aquele filme de domingo à tarde que tinha deixado a gravar. Começou a ter trabalho quando a equipa achou que ele até ganha bem e por isso precisava de contribuir com algo. Ainda defendeu um remate de Samaris e um chouriço de Eliseu (eu chamo chouriços àqueles remates que saem muito alto e muito lento, mas com um efeito perigoso, não aproveitei para mandar nenhuma boca à constituição física do lateral do Benfica). Acabou por sofrer um golo praticamente no único lance de perigo do adversário. Não foi, nem fomos, “bocejados” pela sorte.

Maxi Pereira

Houve um momento em que Nélson Semedo cruzou para a nossa área, onde apareceu Maxi Pereira isolado, e eu tive um pesadelo segundo o qual ele vestia de vermelho e se tornava num ser mau, agressivo e violento. Foram momentos de terror, Pinto da Costa me livre! Felizmente, Maxi veste de azul e branco e cortou a bola, com a sua habitual classe e elegância, contra Danilo. Teve um pequeno atrito com Eliseu, o que demonstra alguma desorientação, porque seria o último jogador do Benfica que eu desejaria que saísse magoado do jogo.

Felipe

Quando uma pessoa consegue desligar todo o fanatismo e pensar num jogo de futebol como um espectáculo, foi bonito ver Felipe a responder a um pontapé de baliza de Ederson com um pontapé totalmente altruísta para fora, quando nenhum perigo se aproximava. Só assim se conseguia que o Benfica jogasse um bocadinho à bola.

Marcano

Jogo absolutamente descansado, mas também é justo dizer que beneficiou da ausência de Jonas, por lesão, e de Mitroglou, por apagão. Aos 28 minutos, num canto, protagonizou um cabeceamento fácil para as mãos de Ederson, continuando a ser o terror das defesas contrárias neste tipo de lances. Acho que houve uma vez em que marcou um golo de canto, mas já não tenho a certeza de não o ter sonhado.

Alex Telles

É um bocadinho difícil avaliar a prestação dos defesas do Porto quando eles praticamente nem foram necessários. Seria como se me pedissem para agora avaliar o mercado de cassetes em Portugal. Já do ponto de vista ofensivo esteve muito bem e protagonizou, aos 8 minutos, um daqueles lances que definem os jogos contra o Benfica: remate bem colocado, Ederson defende, a bola sai pela linha de fundo. E pensam vocês: canto. Não, não, ora essa, pontapé de baliza, pois está claro!

Danilo

Foi o melhor comendador em campo, mas não foi o maior comendador em campo (neste aspeto, Eliseu não dá hipótese). Enquanto teve força, lutou com todas as armas que tem: posicionamento, rapidez, vontade. Sempre com aquele ar de quem tanto podia estar ali como na Web Summit.

Óliver

É este o Óliver que me encanta! Passes a rasgar, muita entrega no meio-campo e a cabeça sempre no sítio. Representa o estilo de jogo que eu tanto desejo para o FC Porto e que hoje até conseguimos ver. Precisa apenas de ganhar corpo para, quando o Nuno disser para descerem, encher o peito, gritar não e liderar uma insubordinação da equipa. Só foi pena ter-se deixado levar uma chapada de Salvio, aos 57 minutos. Se era para levar uma chapada, que fosse do Marega, por exemplo. Agora do totó do Salvio é uma vergonha.

Otávio

Teve a tarefa de impedir Pizzi de sair com a bola, deixando a equipa adversária sem grandes referências. Não sei por que estou a cansar-me tanto com estas tangas sobre futebol, se tudo o que basicamente resume este jogo é que tivemos um Azar do Krajl.

Corona

Quando conseguiu derrubar Eliseu, logo aos 5 minutos, pensei que só podia ter tomado a poção mágica de Panoramix. Infelizmente, o efeito passou rapidamente e, apesar da coragem em partir com a bola para cima dos adversários, faltou-lhe sempre o último passe ou um remate certeiro. Foi como se o Obelix desatasse a correr contra os legionários romanos, mas parasse sempre para comer um javali.

Diogo Jota

Marcou o golo que nos devia ter dado os três pontos, mas é justo dizer que divide os louros com o guarda-redes Ederson, muito bem colocado no lance, na minha opinião. Durante os festejos, o speaker do Estádio do Dragão dizia "Diogo" e o publico gritava "Jota". Ouvir "Jota", "Jota" com sotaque do Norte é estranho. Mais um jogador que beneficia do jogo de pé para pé, quando Nuno o permite, de 13 em 13 luas. Aos 87 minutos, saiu de campo e só espero que ninguém o tenha deixado sozinho no balneário a festejar o empate.

André Silva

A minha família e os meus amigos decidiram reunir-se hoje para lhe cantar os parabéns. Foi muito bonito. Não me importo nada que os meus aniversários passem a ser dedicados a ele, tal é a felicidade que me dá vê-lo a jogar tanto. Foi pena o remate ao lado, aos 22 minutos, e foi pena sobretudo ter contribuído para a lesão de Luisão com um belo golpe de calcanhar à sua frente, porque com o brasileiro em campo isto tinha corrido melhor. Ainda pediu penálti porque pareceu ser agarrado por Lindelof, mas, meu querido, penálti contra o Benfica nem quando o rei faz anos, quanto mais só tu e eu.

Rúben Neves

Em vez daquela típica entrada em campo com um papelinho com recados para os colegas de equipa, entrou com um cartaz gigante onde se lia: "RAPAZES, TUDO LÁ PARA TRÁS QUE O BENFICA AINDA EMPATA ISTO!" Ficará na minha memória aquele último lance, em que a equipa do FC Porto sobe desgovernada, Ederson excita-se e soca a bola ao acaso e Rúben Neves, de fora da área, sem oposição, passa de novo a bola ao guarda-redes do Benfica. Se fosse ao contrário, aposto que a bola tinha batido em três jogadores e entrado, ainda com um bonito efeito.

Layún

Entrou naquele momento que separa os homens dos meninos, os corajosos dos medricas, os Nunos dos Vítores. A equipa recuou, recuou, e pode acabar no quarto lugar.

Herrera

Deu o canto que originou o empate. Deixa mulher e dois filhos e o México declarou dois dias de luto nacional.

Salgueiros 08

É raro fazer um elogio à equipa adversária, mas esta bateu-se bem para quem andou tanto tempo nas divisões inferiores e, não fosse o resultado final e esta mania de perdermos pontos com as equipas pequenas, até aproveitava para lhes desejar boa sorte na luta pela manutenção.

Partilhar