Tribuna Expresso

Perfil

Lá Em Casa Mando Eu

A Bola de Ouro devia ir para Danilo e outras considerações de Lá Em Casa Mando Eu sobre a equipa de inter-turmas da C+S da Areosa

O FC Porto está cada vez mais forte defensivamente, como se viu pelos desarmes de André Silva a Corona, explica Catarina Pereira, que gostava que houvesse um selecionador espanhol com algum conhecimento sobre o plantel portista para poder convocar Marcano

Catarina Pereira, Lá em Casa Mando Eu

MIGUEL RIOPA

Partilhar

Casillas

Antes de mais, deixem-me dizer que sou a favor de se realizarem mais jogos para o campeonato à quinta-feira, porque acho uma maneira muito bonita de podermos continuar a ver o Sporting a jogar a meio da semana. Quanto a Casillas, parte-me o coração vê-lo a apanhar frio e chuva daquela maneira. Uma pessoa quando chega a uma certa idade gosta de ter algumas comodidades. Os mais jovens que aguentem a precariedade de estar na baliza do FC Porto nestas condições! De notar que hoje sofreu um golo não sei quantos minutos depois, mas foi preciso o Drogba jogar pelo Marítimo, rematar ao ângulo e com força, pelo que não me parece que vá tornar-se assim tão frequente.

Maxi Pereira

Desde que Maxi Pereira se mudou para a cidade do Porto, já teve oportunidade de provar francesinhas e tripas, visitar a Torre dos Clérigos e a Ribeira e experimentar coisas diferentes como sofrer um penálti não assinalado. A falta do jogador do Marítimo, aos 13 minutos, é tão clara, tão clara, que pior só se tivesse jogado a bola com as duas mãos e o árbitro deixasse passar. Oi? O quê? Não seria possível...

Felipe

Vivemos num mundo cheio de preconceitos, que elegeu Trump, que ainda não consegue conviver normalmente com todas as raças, credos e orientações sexuais. E eu, que no início da época vi o olhar meio vazio de Felipe, o ouvi dizer que tínhamos como objectivo ganhar a Champions e o vi fazer três entradas de kung fu, achei que estava aqui mais um Maicon, mas um bocado mais bruto. Felipe é a prova de que o que conta é o interior, que toda a gente merece uma oportunidade e que pode haver um Pepe dentro de cada Polga.

Marcano

Gosto de ver este novo Marcano, que fala com os colegas, exibe expressões e sentimentos e não parece um boneco de cera do Madame Tussauds. As boas exibições vão, mais cedo ou mais tarde, ultrapassar a fronteira. Bem sei que a seleção espanhola tem uma dupla de centrais de luxo - Piquet e Sérgio Ramos -, mas quase oito jogos sem sofrer golos mereciam pelo menos alguma reflexão. Falta-nos, no entanto, aquela cunhazita. Conhecer alguém com influência lá e a quem estejamos a pagar muito dinheiro, por exemplo.

Alex Telles

Ganhámos o jogo no seu dia de anos e teve direito a que os Super Dragões lhe cantassem os parabéns. Talvez tenha sido a beleza deste momento a levar-me a reflectir sobre a minha relação com Alex Telles, chegando à conclusão que não é justo ser tão exigente com o rapaz. A partir de agora, cada vez que o vir a bombear uma bola sem sentido para a frente, vou pensar: "Calma, Catarina, até o grande FC Porto do Mourinho só tinha o Nuno Valente".

Danilo

Cristiano Ronaldo venceu esta semana a sua quarta Bola de Ouro, um prémio que peca pela previsibilidade. Ou ganha Messi, ou ganha Ronaldo, ou ganha Messi, ou ganha Ronaldo. Sonho com o dia em que a Bola de Ouro vá outside the box e, à semelhança do Prémio Nobel da Literatura atribuído a Bob Dylan, desafie os adeptos a apreciarem o futebol de maneira mais lata. Estamos fartos destes prémios para os mais óbvios melhores jogadores do mundo. Queremos e podemos ir mais além. Bola de Ouro para o senhor comendador, já!

Corona

Aos 26 minutos, ouviu-se um "uuuuhhhh" no estádio graças a uma finta de Corona sobre a linha. O Dragão já não soltava um "uuuuhhhh" tão alto desde que assobiou o treinador, ou seja, há para aí uns 15 dias. Fartou-se de fintar gente, encontrar espaços, mas fica na retina um lance na segunda parte, onde foi duas vezes desarmado por André Silva dentro da área, provando que o FC Porto está defensivamente cada vez mais forte.

Óliver

Não tenho por hábito confiar em homens que jogam de camisola interior com ar de pijaminha quentinho, mas abro uma excepção para Óliver porque - atenção geeks da bola como o meu marido - parece que joga de pantufas. Começou por destacar-se ao aparecer isolado frente a Gottardi, mas estava mais de um metro fora-de-jogo, mostrando que é um jogador muito à frente do seu tempo. Mais tarde, o árbitro assistente não teve a mesma astúcia, pois assinalou mal um fora-de-jogo a Maxi Pereira, que ficou isolado após um excelente passe de Óliver. Que pena.

Brahimi

MIGUEL RIOPA

Marcou o primeiro golo, na terceira partida consecutiva a marcar, e fez a assistência para o segundo. Parece cada vez mais evidente que mantê-lo afastado da equipa foi tão injusto quanto José Peseiro ter sido despedido do Braga por causa da eliminação da Taça, quando a principal razão para o Braga ter vencido uma Taça até foi precisamente José Peseiro.

Diogo Jota

Mais um jogo esforçado do adolescente com falta de Clearasil. É tecnicamente excelente, mas tem momentos onde parece que desaparece do jogo e se esquece que está a disputar o campeonato nacional de séniores de futebol, como os miúdos que chegam tarde às aulas porque não ouviram o segundo toque. Talvez o Dragão precise de uma campainha. Talvez as aulas de EVT do Nuno não sejam suficientes.

André Silva

Correspondeu bem à assistência de Brahimi e fez o segundo golo da equipa, aos 67 minutos, mas não está propriamente numa forma física invejável. Falta apenas uma semana para o Natal: quem o pode julgar?

Herrera

O FC Porto antecipou este jogo para que os jogadores possam ir mais cedo de férias e, desta vez, correu um bocadinho melhor do que quando Herrera tentou antecipar um pontapé de baliza para o jogo terminar mais cedo.

João Carlos Teixeira

André Silva, Diogo Jota, Rui Pedro, João Carlos Teixeira... Isto já não parece um plantel de uma equipa profissional: parece uma equipa de inter-turmas da C+S da Areosa.

Rúben Neves

Não cortou o lance do golo do Marítimo, mas, como não é mexicano nem tem as orelhas grandes, vamos esquecer o que se passou.