Tribuna Expresso

Perfil

Lá Em Casa Mando Eu

O Lá Em Casa Mando Eu viu Layún a deitar abaixo um muro quase tão mal feito quanto aquele da Toys R Us

Catarina Pereira aconselha ainda Iker Casillas a fundar junto da grande área um clube de leitura ou de cinema independente, já que aquela sua zona de ação anda muito despovoada de gente e interesse, numa noite em que viu o Dragão a curvar-se para Meca quando Brahimi foi substituido

Catarina Pereira, Lá em Casa Mando Eu

Layún, um mestre em construção civil

FRANCISCO LEONG/Getty

Partilhar

Casillas

Em noites como esta, podia fundar junto da grande área um clube de leitura ou de cinema independente portuense para dar mais vida cultural a uma zona que tem estado despovoada de gente e de interesse. Em ano de autárquicas, quase de certeza que um candidato vai apoiar esta ideia.

Layún

Marcou o primeiro golo da época, na marcação de um livre, aproveitando um muro mal feito, quase tão terrível como o do Toys R Us. Esperemos agora pelo seu vídeo nas redes sociais, pedindo que não despeçam nenhum defesa do Nacional e lembrando que Tobias Figueiredo ainda tem muita margem de crescimento e que pode vir a ser um grande central.

Marcano

O polícia bom entra na sala de interrogatório. Veste um casaco impecável, sem manchas, sem marcas. E fala num tom conciliador, elegante até: "A sério, dá-me a bola. Entregas-ma na boa, eu saio a jogar e tu não ficas mal na foto. É melhor dares-me a mim que ao meu amigo. Anda lá, dá-me a bola, deixa-a aqui. Queres mesmo que chame o Felipe? Estou a ser teu amigo. Pronto, tu é que quiseste problemas."

Felipe

O polícia mau é obrigado a entrar em ação. Entra a correr, todo sujo e aos gritos: "AAAAAAAAAAHHHHHHHHH!!!!!!" O avançado do Nacional, no chão (ninguém sabe como foi ali parar entretanto), desiste do lance e reza para tão cedo não ter de estar no mesmo sítio que aquele maluco.

Alex Telles

Mais uma assistência, mais um contributo para esta bonita tradição de cada lateral-esquerdo agora se tornar uma espécie de Drulovic. Não é uma imitação tão boa como a que Bruno Carvalho fez de Pedro Madeira Rodrigues, mas também tem estado bastante bem.

Danilo

Poucos terão notado que, a seguir ao 4-0, Danilo se dirigiu ao banco, suponho que pedindo a Nuno para sair porque, como opositor à desigualdade social do sistema capitalista, não gosta de humilhar os mais fracos. Saiu do campo debaixo de uma ovação e aproveitou para ir resolver o problema das offshores e ir apanhar as pessoas que deixaram milhões fugir do país enquanto exigiam austeridade. Estando o senhor comendador debruçado sobre os crimes de colarinho branco, é provável que eles não passem do meio-campo.

Óliver

Começou por fazer uma assistência para um jogador do Nacional aos 22 minutos - talvez por solidariedade com quem é treinado por Jokanovic - mas Marcano estava lá para acabar com os problemas. Fez um grande jogo, desde logo tendo feito o primeiro golo dos 7 e o primeiro desde que pagámos 20 milhões de euros por ele. Ora, isto 20 milhões por um golo em não sei quantos jogos em que jogou uns quantos minutos, enfim, citando o secretário-geral da ONU, é só fazer a conta.

André André

Grande jogo do nosso rapaz, que fez pelo menos uma assistência e só não marcou porque o guarda-redes do Nacional parece ter decidido que hoje toda a gente podia festejar menos ele. Com a saída de Danilo, acabou a preencher o seu lugar mas, uns minutos depois, foi ele a pedir para sair porque ninguém aguenta tanto tempo no lugar do senhor comendador.

Brahimi

O melhor em campo esta noite. Foi o único a conseguir desbloquear o jogo quando este ameaçava ser apenas um longo bocejo. Marcou o segundo golo, tentou que os colegas marcassem muitos mais e saiu de campo com o estádio a curvar-se para Meca.

André Silva

Pareceu não saber muito bem se devia encostar do lado direito, aparecer do lado esquerdo, passar a bola para a frente de Soares ou receber a bola atrás de Brahimi. Mas marcou dois golos e ouviu o estádio pedir o Porto campeão. Confesso que me vieram as lágrimas aos olhos, mesmo tendo crescido com pontas de lança que simplesmente avisavam o estádio que isso ia acontecer. Os tempos mudam, André, os tempos mudam.

Soares

Esta noite, o Dragão teve uma visita especial. Falo de um brasileiro, goleador nato, que mesmo quando não joga grande coisa, mesmo quando não aparece muito, lá marca os seus golitos e mantém a equipa lá em cima. Não é muito bonito, mas salta bem. Não tem muito estilo, mas remata bem. Não é o melhor jogador do mundo, mas está sempre no sítio certo para encostar. Ah, e o Jardel também lá esteve.

Diogo Jota, Otávio e João Carlos Teixeira

Não marcaram nenhum golo. Fraquinhos.