Tribuna Expresso

Perfil

Lá Em Casa Mando Eu

Lá em Casa Mando Eu apresenta aqui o Bloco de Atividades para Aboubakar, que falhou para cima de mil golos esta noite

Catarina Pereira viu em Ricardo Pereira uma espécie de Dr. Jekyll a atacar e Mr. Hyde a defender, numa referência literária que, acredita, reduz a sua desvantagem para Rogério Casanova para 17218728932749324-1 e empatando com o Azar do Krajl, que só cita a Arte da Guerra para Treinadores

Catarina Pereira, Lá em Casa Mando Eu

HUGO DELGADO/LUSA

Partilhar

Casillas
Tenho de começar por elogiar a excelente presença dos adeptos do FC Porto na Pedreira, com muitos milhares a incentivarem a equipa durante os 90 minutos. E, já agora, agradecer ao Braga por não ter preferido cadeiras vazias a vender mais bilhetes aos visitantes. Dito isto, foi uma pena Casillas não ter ido lá ver o jogo.

Ricardo Pereira
Dr. Jekyll a atacar, Mr. Hyde a defender, mas, ao contrário da personagem de Robert Louis Stevenson, não consigo acreditar que seja a mesma pessoa (esta cronista acaba de fazer uma referência literária, reduzindo a desvantagem para Rogério Casanova para 17218728932749324-1 e empatando com o Azar do Krajl, que só cita a Arte da Guerra para Treinadores).

Felipe
Esteve perto de marcar, aos 26 minutos, quando foi o último dos nossos a falhar uma sucessão de remates perigosos. Lá atrás, perdeu uma bola que deu um lance perigoso do Braga, mas não deu espaço para muito mais. Enfim, tanta excitação nos últimos dias com o combate do ano e ainda falta tanto para ele marcar o Jonas.

Marcano
Sóbrio, responsável, inteligente. A equipa parece mais frágil a defender, mas Marcano continua a fazer dos adversários carne para canhão, sendo que, neste caso, tenciono dizer isto e não levar 3-0 do Tondela na próxima jornada.

Alex Telles
Esteve perto de marcar aos 79 minutos, quando rematou de fora da área e Matheus defendeu para o poste. Foi uma pena Bruno Varela e Lisandro López não terem aparecido a encostar lá para dentro.

Danilo
Primeira parte com algumas dificuldades perante o excesso de médios bracarenses na sua zona de conforto, a segunda já com alguma ajuda e, assim sendo, mais confiança para uma exibição que acabou por se destacar. Sublinho aquela recuperação de bola ao minuto 67, quando decidiu passar a bola de imediato para Aboubakar, que falhou uma das suas mil oportunidades de golo. Nas imagens televisivas, podemos ver que o senhor comendador passou um sermão ao colega, mas felizmente não estava nenhum jogador do Sporting por perto para ficar ofendido e castigá-lo.

Óliver
É bom jogador, tem uma técnica acima da média e uma visão de jogo como poucos têm, mas com exibições destas não sei se teria lugar no meio-campo do Rio Ave.

Corona
Marcou um excelente golo logo aos 7 minutos, quando conseguiu passar a bola por cima de Sequeira e, sem a deixar cair, rematar de forma a encaixá-la entre as pernas do guarda-redes do Braga. Tenho ideia que há sempre um jogo por época que o Corona resolve com um grande golo, ou uma grande exibição, ou uma grande assistência. Tenho receio que tenhamos usado este trunfo demasiado cedo.

Brahimi
Fez mais uma vez a diferença com a sua qualidade individual e só é pena que, numa escala de 0 a Eliseu, os jogadores do Braga tenham optado por um 7 ou 8 no nível de agressividade nas faltas para o travar.

Marega (Vou escrever como um comentador da Sport TV)
Aboubakar, perdão, Marega fez uma primeira parte desastrosa, mas acabou por ser mesmo Marega, perdão, Aboubakar a falhar mais golos e até chegámos a ver mais Aboubakar, perdão, Marega a ganhar protagonismo na segunda parte e a colocar em causa que Marega, perdão, Aboubakar seja o avançado mais temível que temos.

Aboubakar
Bloco de atividades para pontas de lança:

Bloco de atividades para Aboubakar:

Otávio e André André
Ainda com raízes vitorianas e parecendo odiar cada degrau do Bom Jesus, os dois médios entraram bem, guardaram mais a bola e meteram o pé em todas como se fosse o jogo mais importante da época. Antes de irmos à Luz, vamos dizer-lhes que vão jogar contra o Braga de Lisboa.

Herrera
Com o passar do tempo, Sérgio Conceição percebeu que era preciso ganhar o meio-campo para tentar controlar o jogo e, para vos provar que não sou nada exageradamente crítica, tenho de admitir que o conseguiu na perfeição no último minuto de jogo.

  • Matheus defendeu tudo, menos a dança de Corona

    FC Porto

    O FC Porto foi a Braga vencer por 1-0, num jogo em que o resultado só não foi mais dilatado porque o guarda-redes brasileiro agarrou, socou, afastou e sacudiu todos os remates que lhe apareceram à frente. Só não conseguiu travar a magia de Corona, que resolveu o jogo com um golo fenomenal