Tribuna Expresso

Perfil

Lá Em Casa Mando Eu

Lá Em Casa Mando Eu aposta que os defesas estavam a ver quem lixava mais o caloiro José Sá (que sabe largar não uma mas duas bolas seguidas)

Foi em Leipzig que Catarina Pereira se apercebeu da realidade dos factos: "Afinal, Marega não é Falcão, nem Hulk, nem Mário Jardel. Este jogador é o Marega e de tempos a tempos temos que assumi-lo"

Catarina Pereira, Lá em Casa Mando Eu

JOHN MACDOUGALL

Partilhar

José Sá

É um miúdo que claramente sabe fazer mais do que aquilo que fez no primeiro golo do Leipzig e destaco que só mesmo um miúdo conseguia largar a primeira bola e ainda recuperar fisicamente de forma a largar a segunda. Estou a tentar ser otimista e encorajadora aqui!!! Além disso, de certeza que há várias razões que explicam a sua titularidade, nomeadamente um mal-estar físico de Iker Casillas ou um mal-estar psicológico de Sérgio Conceição.

Layún

Reparei que caiu várias vezes no relvado, o que pode querer dizer que estava com as chuteiras erradas ou que finalmente Maxi Pereira ameaçou os seus rivais de que têm que começar a ser evidentemente maus para que ele possa jogar. Ressalvo ainda um lance, aos 77 minutos, em que foi a única pessoa em campo que não viu a chegar e a tirar-lhe a bola um alemão alto e louro, daqueles que brilha mesmo, e que devia estar a gritar qualquer coisa como "ICH BIN EIN DEUTSCHLAND UBER ALLES COISO" enquanto se aproximava, o que pode querer dizer que estava com as lentes de contacto e o aparelho auditivo errados ou que pensou que era Maxi Pereira a chegar e preferiu fingir-se de morto.

Felipe

A exibição dos centrais do FC Porto na primeira parte foi... difícil. Marcano destacou-se mais, mas Felipe parecia aquele aluno que estava a brincar na aula com um amigo quando o professor manda o amigo para a rua, tendo posto várias vezes a mão no ar a pedir para ir também. Confesso que houve ali um lance com Augustin do lado direito da nossa defesa que ainda me fez desejar que fossem mesmo os dois para a rua, mas depois respirei e passou.

Marcano

Vamos ser rápidos: isto começou por correr mesmo muito mal. Os avançados do Leipzig pareciam muitos, mais rápidos e extremamente capazes de aparecerem no centro da nossa defesa para criar perigo. Mas, notavelmente, Marcano já não é aquele central que chegou ao FC Porto, com ar cabisbaixo e deprimido, portanto foi lá acima marcar o segundo golo e esteve bem na segunda parte, salvando mesmo o quarto dos alemães em cima da linha. Ora isto faz parte das boas notícias desta temporada em relação às anteriores: quando o barco está a afundar, tentamos salvar-nos, não fazemos mais furos.

Alex Telles

A certa altura, na primeira parte, as asneiras defensivas eram tantas que parecia haver uma aposta entre os nossos defesas, a ver quem lixava mais o caloiro José Sá. No segundo golo, por exemplo, Alex Telles colocou o avançado do Leipzig, a sede da Red Bull e toda a antiga Alemanha de Leste em jogo. Não faço ideia de como ficou a aposta, mas felizmente ficou resolvida ao intervalo.

Danilo

Há quem diga que eu exagero nos elogios ao senhor comendador: que ele não é melhor que o WilliamzzzzzCarvalho, que ele não é assim tão bom a defender e muito menos a atacar, que ele não é um evidente intelectual de renome... enfim, invejosos. Como hoje talvez não seja um dia para rebater tudo isso, vou apenas dizer que foi dos melhores péssimos jogos que o Danilo fez.

Herrera

Como sabem, há muitas coisas que me irritam em Herrera, algumas das quais admito que profundamente injustas. Acreditem: estou há cinco anos à espera daquele habitual momento em que me arrependo de tudo o que pensei sobre aquele rapaz e admito que sou uma besta. Ainda não foi hoje e devo dizer que das coisas que me irritam mais em Herrera é esta incapacidade de tentar mudar o jogo quando as coisas nos correm visivelmente mal. Parece que Herrera entra logo numa de "hoje não vai dar", "fica para a próxima, pessoal", "a vida continua", e fica com aquela cara de quem vai para casa ler livros do Gustavo Santos (ou do Rui Vitória) para recuperar.

Sérgio Oliveira

Não conseguiu fazer o que habitualmente faz no meio-campo, que é uma cena que funcionou no Mónaco e em Alvalade mas que hoje claramente não, talvez porque ainda não percebi muito bem o que é.

Brahimi

Foi trocar de chuteiras numa altura em que o Leipzig já ganhava e dava aquele ar de quem nos ia fuzilar. Infelizmente, não lhe deram aquelas chuteiras que resolvem jogos, porque essas tiveram de ser guardadas para o próximo FC Porto-Paços de Ferreira, mas também não lhe deram aquelas chuteiras que desistem dos jogos, porque essas já estão guardadas desde o fim da época passada.

Marega

Este jogo serviu para o universo nos lembrar que, afinal, Marega não é Falcão, nem Hulk, nem Mário Jardel. Este jogador é o Marega e de tempos a tempos temos que assumi-lo. Está tudo bem na mesma, calma, é só para termos bem noção disso.

Aboubakar

Marcou mais um golo e continua a dar tudo para me humilhar enquanto opositora ao seu regresso. Numa recente entrevista à revista Dragões, Aboubakar disse: “Estou a escrever um pequeno livro em que procuro descrever o meu percurso, não só futebolístico mas também no plano filosófico. Se já tem título? Não, ainda não tem, ainda não pensei nisso, mas vou procurar um bom título". Se formos campeões, chama-lhe "Catarina: és uma besta". É filosófico que chegue.

Óliver

Entrou bem, a fazer sair a jogar, a permitir-nos respirar com bola. Deve ser mesmo muito mau nos treinos para ser suplente.

Corona

Sempre que Corona entra, há parte de mim que pensa: "Bem mister, vamos lá surpreender os gajos com um jogador rápido, fresco e que gosta de arriscar perante defesas que já devem estar cansados..." e depois a outra parte interrompe rapidamente: "Nop, não vai acontecer".

Hernâni

Fez um grande golo contra o Lusitano. E é rápido.