Tribuna Expresso

Perfil

Lá Em Casa Mando Eu

Lá em Casa Mando Eu aproveita para ver se há alguém que saiba das bolachas da Magda e deixa um perdão natalício a Herrera

Para Catarina Pereira só há algo mais certo que a morte e os impostos: um golo após canto de Alex Telles. Sem esquecer a alegria pelas combinações entre os "familiares" Ricardo e Maxi e a surpresa que é sempre Marega

MIGUEL RIOPA/GETTY IMAGES

Partilhar

José Sá

Sofreu um golo numa jogada em que não conseguiu atirar a bola para mais longe do adversário, mas, em sua defesa, devo dizer que tudo no golo do Marítimo esteve mal, inclusivamente as decisões dos jogadores do Marítimo. Já agora: quando começarem a sair aqueles balanços de 2017, lembrem-se que este foi o ano em que José Sá ganhou a baliza a um campeão da Europa e do Mundo 🤔

Maxi Pereira

Segundo jogo consecutivo a titular, com melhores momentos a atacar do que nos raros momentos em que tinha de defender. Estou a gostar muito das combinações com Ricardo Pereira, e nem o digo por serem ambos da minha família. Noto ainda que, no golo que deu, por momentos, o empate do Marítimo, Maxi decidiu não fazer falta, num ato preocupante pela pacificação do futebol português.

Reyes

Há duas hipóteses para o que está a acontecer a Felipe neste momento: ou Sérgio Conceição está a protegê-lo de uma campanha infame que o destabiliza, ou, depois da expulsão idiota que protagonizou, é preciso alguém que o proteja do Sérgio Conceição. Dito isto, tem sobrado para Reyes, que marcou o primeiro golo da partida, num penálti de cabeça (já está na altura de chamarmos isto aos cantos do Alex Telles, certo?). E assim se destacou hoje entre os jogadores do FCPorto que estavam em campo e que um dia já disseram mal do FCPorto e que não queriam voltar e não sei mais o quê que eu claramente já ultrapassei.

Marcano

Normalmente, quando há um processo de renovação a ser negociado, nota-se alguma instabilidade no jogador. Mas estamos a falar de Marcano, que não deve estar instável desde que decidiu sair da barriga da mãe e teve de passar por um canal uterino. Mais um jogo tranquilo do espanhol e venha de lá essa renovação.

Alex Telles

Brahimi tirou-lhe hoje o protagonismo nas assistências, mas só porque também já deixou praticamente de ser notícia que o brasileiro fez mais uma. Benjamin Franklin disse um dia que nada é mais certo neste mundo do que a morte e os impostos. Acrescento eu: a não ser um golo após um canto de Alex Telles.

Danilo

Por volta do minuto 70 de mais uma grande exibição, o senhor comendador faz uma série de fintas sobre dois jogadores do Marítimo que me deixaram corada de vergonha por eles. O Dragão levanta-se, aplaude e Luís Freitas Lobo pára, por momentos, de dizer que o Marítimo é uma excelente equipa do ponto de vista tático. Foi incrível!

Herrera

Embebida de espírito natalício, como se fosse um treinador da Primeira Liga que recebeu uma caixa na flash-interview com a palavra Herrera lá dentro, venho dizer-vos que o mexicano jogou bem. Mais, tem sido dos nossos melhores jogadores. Tem circulado bem a bola, verticalizado quando é preciso e nem me lembro da última vez que o insultei. Face a este meu perdão tão típico da quadra, a única coisa que lhe peço é uma prenda que chegue lá para Maio, porque em Dezembro não se ganha nada.

Ricardo Pereira

Combinou bem com Maxi Pereira, procurou o espaço interior, centrou e rematou. Se trabalhasse no Benfica, era rapaz para ser tão útil que descobria as bolachas da Magda.

Brahimi

Fez duas grandes assistências para golo, mas também já se sabe que, quando se tem Marega, praticamente qualquer toque na bola pode ser uma assistência para golo. Só tenho pena que não tenha sido informado da regra segundo a qual não são marcadas faltas quando um jogador adversário lhe acerta nas pernas ou nos pés, na terceira segunda-feira do mês, a partir das 21h.

Marega

Estava numa daquelas noites em que se batem recordes de bolas perdidas e já se sentia aquele silêncio chato quando decidia ou executava mal e os lances se perdiam. E depois decidiu bisar em dois lances praticamente iguais, correspondendo aos passes de Brahimi com duas boas investidas do lado esquerdo, sem dar hipótese ao guarda-redes do Marítimo. Apresento-vos Marega, de quem nunca sabemos o que esperar, a não ser esperar nunca saber bem o que é.

Aboubakar

Não fez nada de especial no jogo, além da maneira como foi substituído. É que Aboubakar é o único jogador do mundo que, com a equipa a ganhar e sabendo que vai ser substituído, se coloca na linha junto ao colega. Assim que se levantou a placa com o número 9, cumprimentou Soares e saiu, naquela que terá sido a substituição mais rápida da história. Este nível de educação do camaronês é, note-se, extremamente louvável para quem vive em sociedade, mas um pequeno defeito para quem tem que passar hora e meia junto de defesas centrais do campeonato português.

Corona

Entrou com muita vontade, a ganhar cruzamentos e a aparecer para rematar. E aposto que algum leitor se riu no final desta frase, a achar que eu estava a ser irónica.

Soares

Mas afinal já alguém sabe quem comeu as bolachas da Magda?

Óliver

Entrou novamente para consolidar a vitória, com a sua habitual calma e as suas decisões quase sempre certeiras. Porra, estou outra vez a brincar, entrou o André André!