Tribuna Expresso

Perfil

Lá Em Casa Mando Eu

Se uma bancada não tivesse ameaçado ruir, Lá em Casa Mando Eu garante que o jogo teria acabado assim (spoiler: o FC Porto ia ganhar 8-1)

Catarina Pereira faz aqui um exercício de futurismo e imagina uma 2.ª parte de glória para o FC Porto, depois de chegar ao intervalo a perder. Reyes, por exemplo, marcou dois golos, renovou contrato e assegurou a sua transferência por 45 milhões de euros, Danilo ficou encarregado de marcar uma bancada na 2.ª parte, garantindo que todos terminavam a partida em segurança e com mais três pontos fundamentais na luta pelo título e Aboubakar marcou cinco dos oito golos do FC Porto, igualando Bas Dost na lista de melhores marcadores

Catarina Pereira, Lá em Casa Mando Eu

FRANCISCO LEONG/Getty

Partilhar

José Sá

Muito mal batido no lance do Estoril, foi para o intervalo de cabeça baixa e com um ar introspetivo. “Será que o Casillas tinha sofrido este golo?”, “Será que não sou guarda-redes para o FC Porto?”, “Será que amanhã há vaga no barbeiro?”, ia pensando. Mal ele sabia que mais depressa caía uma bancada do que a nossa equipa perdia pontos hoje. Fez uma excelente segunda parte, sobretudo porque o Estoril não passou mais do meio-campo e eu estive sempre calma e segura de que nada de mal ia acontecer esta noite.

Maxi, Alex Telles, Ricardo e Layún

Duas coisas que não faltaram hoje no Estádio António Coimbra da Mota: treinadores de bancada em questões de Proteção Civil e laterais. Há quem diga que o plantel é curto e que basta uma lesão de Brahimi e uma baixa de forma de Corona para o onze titular ser uma confusão. Enfim, há gente que gosta mesmo de ver mal em tudo. Entrámos com quatro laterais em campo e ainda se queixam! Tanta coisa para dizer sobre estas brilhantes exibições! Só os agrupo porque foi tal a qualidade a defender e a atacar, foram tão rápidas as transições e as compensações do espaço, que já nem sei bem quem jogou onde e quem assistiu o quê. Estão todos de parabéns! Seria uma pena este jogo não ter terminado e ter de jogar-se numa altura em que o Brahimi já esteja bem e já tenhamos mandado vir de empréstimo um rapaz qualquer que faça o lugar do Corona.

Felipe

Faltou-lhe aquele equilíbrio que Marcano habitualmente lhe confere, com as suas decisões calmas e ponderadas como as dos delegados da Liga que eram capazes de mandar adeptos para bancadas em risco de cair. Mas estou a ser picuinhas, numa equipa que ganha 1-8 também não há assim muito por onde pegar.

Reyes

O mar azul de adeptos do FC Porto que encheu o estádio do Estoril tão cedo não vai esquecer a noite em que Reyes marcou dois golos, renovou contrato e assegurou a sua transferência por 45 milhões de euros (ou lá quanto é que precisamos para comprar alguém).

Danilo

Chegou “atrasado” ao jogo e já não teve tempo de fazer uma vistoria ao estádio, como é habitual numa pessoa tão responsável. Na primeira parte praticamente não tivemos meio-campo, mas o senhor comendador fez questão de ficar encarregado de marcar uma bancada na segunda, garantindo que terminávamos todos a partida em segurança e com mais três pontos fundamentais na luta pelo título.

Herrera

Eu sei que vocês acham que eu implico com o rapaz, mas hoje têm de admitir que foi o único que não soube entrar no espírito de reviravolta épica da segunda parte. Até porque conseguiu o feito de não participar em nenhum dos oito golos do FC Porto. Que vergonha.

Marega

Após ter falhado 2 (ou 20) golos na primeira parte e de ter visto Reyes tirar-lhe uma cabeçada certeira em cima do intervalo, Marega compensou logo com o início na segunda. Bola ao meio, toque de Aboubakar e arranque implacável, seguido de drible a dois adversários e paragem a 30 metros da baliza, colocando a bola em arco no ângulo superior esquerdo da baliza do Estoril. O vídeo-árbitro ainda invalidou a jogada por motivo de “lance extremamente bonito”, mas os adeptos do FC Porto invadiram o centro de controlo em Oeiras e este voltou atrás na decisão, provando que é a falar que as pessoas se entendem.

Aboubakar

Marcou cinco golos e igualou Bas Dost na lista de melhores marcadores, estando agora a apenas dez penáltis de Jonas.

Óliver

A prestação do onze titular foi tão incrível na segunda parte que o treinador decidiu não fazer substituições (e bem!). Hoje percebi que nem com o resultado em 1-8 podia entrar, fez todo o sentido que assim fosse.
P.S. Esta crónica segue dentre de momentos. Razão tinham os outros em irem jogar com eles para o Estádio do Algarve.