Tribuna Expresso

Perfil

Lá Em Casa Mando Eu

O Lá em Casa Mando Eu tem uma pergunta para Bryan Ruiz: "Só os outros é que têm direito a que falhes golos de baliza aberta?"

E agora, para algo completamente diferente e contrário ao que é costume, a Catarina Pereira, do Lá em Casa Mando Eu, dissertou sobre os jogadores do Sporting e reparou como Rui Patrício tem "no currículo precisamente os mesmos troféus que Iker Casillas tem só na casa de banho"

Catarina Pereira, Lá em Casa Mando Eu

JOSE COELHO/LUSA

Partilhar

Rui Patrício

De vez em quando, teve que levar com jogadores do FC Porto a aparecerem isolados, conseguindo resolver bem os problemas, também graças ao olhar atento de Artur Soares Dias no videoárbitro. Acabou por ser aquilo a que costuma designar-se como “o herói do jogo”, ao defender uns quantos penáltis marcados por jogadores do FC Porto. E não me custa nada atribuir-lhe o mérito por isso, já que deve ser muito difícil para um guarda-redes estudar a maneira como os jogadores do FC Porto batem penáltis, uma vez que não tem muitos exemplos práticos para ir assimilando a matéria. Se eu fosse louca pela seleção, acrescentaria ainda que foi vingada esta noite a derrota portuguesa no Euro 2012, em penáltis, contra a Espanha. Como só sou louca pela imparcialidade dos factos, lembro que o Europeu e as três Taças de Portugal que Rui Patrício tem no currículo correspondem, penso que precisamente, aos troféus que Iker Casillas tem só na casa de banho.

Piccini

Devo confessar que este foi o primeiro jogo inteiro que vi da Taça da Liga, competição que ocupa na minha lista de prazeres desportivos exatamente o mesmo lugar que o Mundial de Curling, e estou bastante aborrecida por tê-lo feito. No entanto, serviu para aprofundar os meus conhecimentos sobre Piccini, lateral-direito do Sporting do qual, até hoje, apenas sabia quanto custou. Saltou-me aos olhos um lance, ao minuto 53, em que Brahimi passa por dois ou três adversários e Piccini o agarra, levando o respetivo cartão amarelo, mas ficando com aquele ar de quem teve a atitude mais inteligente da equipa. E a verdade é que teve. E, por três milhões de euros, também é verdade que é capaz de ser do melhor que se arranja para marcar Brahimi.

Coates

Acho indecente que o Sporting possa ter jogadores destes. Os centrais a que o Sporting me habituou não são assim. Que é feito do Hugo? Do Polga? Do Sarr? Isso sim, centrais com o poder de autodestruição e a força mental condizentes com o clube. Agora um uruguaio que dá porrada e acha que vai ganhar os lances todos? Isto vale no Sporting? Vá lá que mandou uma bola ao poste e falhou o penálti dele, senão começava a ficar preocupada.

Mathieu

Este é outro como o Coates, com a agravante de poder fazer faltas sobre jogadores isolados e não ser expulso. Se a Taça da Liga fosse coisa para me enervar, eu até ia agora fumar um cigarro. Coisa que o Mathieu, já agora, tem ar de quem faz tão bem.

Fábio Coentrão

Nos primeiros minutos de jogo, após um choque naturalíssimo com Ricardo, ficou no chão como se fosse a ceia de Natal, a pedir assistência de forma efusiva. Foi só o início de um rol de queixumes que culminaram com o assinalar de vários foras de jogo ao ataque do FC Porto, mostrando que sabe usar os braços para mais coisas do que partir bancos de suplentes. Enfim, chama-se Fábio, tem tatuagens em Word Art nos braços e o cabelo descolorado. Olhando para ele, é inevitável imaginá-lo de boné, com “VIDA LOCA” escrito, de pernas abertas no sofá do confessionário, enquanto se queixa à Teresa Guilherme que os outros concorrentes “estão a fazer jogo” e nomeia a Sheila para sair da Casa. “PÓ C*R*LH*, SHEILA, PÓ C*R*LH*! PÓ C*R*LH*!”, diz, na cara da rapariga e aos olhos de todo o país. É ótimo para as audiências, mas devia ter sido expulso.

William Carvalho

Deu uma valente cacetada no Herrera, vingando finalmente aquele canto que ele cedeu para o empate do Benfica no Dragão. Mas, de resto, joga com um tédio e um niilismo permanente, como o Bill Murray no "Groundhog Day", aquele filme que está sempre a dar no Hollywood, em que ele está preso no mesmo dia para sempre. Só que para William esse dia é enquanto jogador do Sporting, o que dá um toque muito mais dramático à coisa. Claro que estava-se mesmo a ver que o Sporting, sem jogar um caracol, ia ganhar este jogo nos penáltis. Mas William não se deixou enganar e falhou o penálti que podia ter dado a vitória mais cedo. Lá está ele: preso no mesmo dia para sempre.

Bruno Fernandes

Seu labrego! Não vales nada! Só podes ser o melhor médio a jogar em Portugal se andares a lamber o $%$ ao JJ! Isso de jogares encostado à direita é que foi um murro no estômago! Pedimos desculpa, mas este texto foi subitamente interrompido por um post de Bruno de Carvalho no Facebook.

Gelson Martins

Uma vez, há muitos, muitos anos, num jogo qualquer no Estádio das Antas, um colega de bancada vira-se, de repente, do nada mesmo, e diz: "O ______ ainda vai ser o melhor do mundo". Sublinho que não estamos a falar daqueles chatos que veem jogos da segunda divisão ucraniana e sabem tudo sobre qualquer jogador - qualidade, agregado familiar, situação fiscal, etc - e que nos humilham cada vez que fazem uma observação destas porque, mesmo que o _____ nunca chegue a ser o melhor do mundo, ficamos sempre a sentir que devíamos saber que era possível o _____ vir a ser o melhor do mundo. Não, estamos a falar de uma pessoa completamente normal, que não diz isto muitas vezes e a cujas apreciações ninguém dá valor. Ora, o ____ era o Cristiano Ronaldo, numa altura em que eu mal sabia que estes dois nomes juntos podiam dar qualquer coisa. Foi a partir desse dia que aprendi a desconfiar de extremos do Sporting por quem não dava nada. Continuo a achar que Gelson não vai ser o melhor do mundo, mas nunca se sabe, é melhor não gozar muito. Hoje saiu lesionado ainda na primeira parte, já depois de Danilo ter feito o mesmo, nos 45 minutos mais felizes dos benfiquistas em muito tempo.

Acuña

Pareceu-me uma pessoa não muito esperta, com aparência de futebolista suficiente, comportamentos que o adepto mais vulgar caracteriza como “taticamente úteis” e várias decisões estúpidas de quem acha que é melhor do que verdadeiramente é. O Sérgio Oliveira do Sporting, portanto.

Rúben Ribeiro

Não foi hoje que se destacou, tirando no facto de ter sido o melhor Super Dragão em campo. Tem, obviamente, uma qualidade técnica acima do normal e tinha tudo para ir longe na vida. No entanto, só foi parar ao Sporting. Por isso, resumidamente, passou o jogo a queixar-se, a atirar-se para o chão, a picar-se com este e com aquele. Mas continuo a acreditar que, com a intervenção da Super Nanny e uns minutos passados no banquinho do castigo, ainda pode ser determinante no campeonato. Por isso, muito cuidado com ele.

Bas Dost

Passavam apenas 5 minutos de jogo quando Danilo se agarrou a ele na grande área do FC Porto e a equipa de arbitragem nada assinalou. Confesso que só não fiquei mais tempo em estado de choque porque o senhor comendador se lesionou logo a seguir e saiu de campo. Mais uma prova de que Danilo não se verga à incompetência dos árbitros e de que nem todos os jogadores estão dispostos a assistir à pouca vergonha que se passa no futebol português sem daí tirar consequências. Sobre Bas Dost propriamente dito, pouco há a dizer. Pontas de lança que marcam muitos golos contra os pequeninos há muitos.

Battaglia e Fredy Montero

Vieram acrescentar muita qualidade à equipa, que fez por merecer a vitória nos 90 minutos jogados, mas que terá de tirar daqui as devidas lições para um futuro que se quer de títulos. Espero que tenham percebido que estou a falar do FC Porto desde o início da frase.

Bryan Ruiz

QUER DIZER, SÓ OS OUTROS É QUE TÊM DIREITO A QUE FALHES GOLOS DE BALIZA ABERTA? CONNOSCO É TOMA LÁ DE PENÁLTI DECISIVO LÁ PARA DENTRO, NÃO É?