Tribuna Expresso

Perfil

Lá Em Casa Mando Eu

Lá Em Casa Mando Eu sugere uma nova lei: se o guarda-redes for tão estúpido que não percebe que não sofreu golo, deve ser atribuído um golo

Catarina Pereira já estava irritada por ver Herrera no lugar do "senhor comendador Danilo", mas a 'flash interview' de Jhonatan Silva, guarda-redes do Moreirense que não sabia que o jogo tinha ficado 0-0, foi a gota de água: "Vou só ali ver se nenhum regulamento garante que, em caso do guarda-redes adversário ser tão estúpido que não perceba que não sofreu um golo, esse golo acabe por ser efetivamente atribuído à equipa que não tem esse jogador, só pelo mérito de não ser estúpida"

Catarina Pereira, Lá Em Casa Mando Eu

Jhonatan Luiz é guarda-redes do Moreirense

Gualter Fatia

Partilhar

José Sá

A noite não está para grandes piadas, o FC Porto desperdiçou mais dois pontos que espero que não venham a ser essenciais e ainda por cima dei por mim a festejar um golo lá para os 90+7 como se outro ser humano pudesse dispor de tão sortudo evento além de Jonas. Mas penso que não posso começar por outro lado, ou seja, pela baliza. Não de José Sá, que teve neste jogo exatamente a mesma importância do que Rui Patrício nos penáltis da final da Taça da Liga - ou seja, absolutamente nenhuma -, mas de Jhonatan, que deu hoje aquela que penso ser a melhor entrevista rápida de sempre do futebol português. Sim, o guarda-redes do Moreirense achou que tinha perdido o jogo. Sim, o guarda-redes do Moreirense não percebeu que o árbitro tinha anulado esse tal golo e foi para a flash interview da Sport TV cabisbaixo, lamentando os pontos perdidos. Parece que estou a ver os colegas todos a abraçarem-se no fim e ele a pensar "pôxa, essa gentxi fica contenti com quauqué coisa, né?". Parece que o estou a imaginar a olhar para os jogadores e adeptos do FC Porto, frustrados, e a pensar "pôxa, essa gentxi não fica contenti com nada, né?". Enfim, podia ficar a noite toda a imaginar o que se passou naquela cabeça. Mas a noite não está para grandes piadas.

Ricardo

Já sem Layún no plantel, o nosso lateral direito pareceu mais solto e interventivo, contrariando a teoria capitalista de que é preciso concorrência e que as pessoas se acomodam, etc e tal. No fundo, Ricardo era um precário a recibos verdes, sempre ameaçado pela suplência, e agora sente-se um trabalhador com vínculo e com direito a pensões. Vamos a isso, camarada.

Felipe

Pareceu mais macio do que o costume, se bem que com a atenuante de o avançado do Moreirense parecer um misto de vilão de último nível do Street Fighter com concorrente do Secret Story (olá, Rui Vitória), que tem como segredo "sou segurança num espaço noturno e bato em putos quando me apetece". Ainda assim, aguentou bastante tempo a sangrar do nariz, enquanto lá à frente falhava golos e levava socos de um guarda-redes que não sabe, por exemplo, quanto é que ficou o jogo.

Reyes

Teve algumas incursões atacantes na segunda parte e notou-se a vontade de querer fazer mais rápido, ou então estava só a fugir do tal avançado do Moreirense que parece um misto de vilão de último nível do Street Fighter com concorrente da Casa dos Segredos.

Alex Telles

As constantes viagens até ao extremo do campo para bater todos os pontapés de canto, de um lado e do outro, seguidas de um sprint para recuperar terreno no contra-ataque adversário, depois de um colega à sorte, que eu vou só chamar de Herrera para facilitar, ter perdido mais uma bola, estão a dar cabo dele. Está tão cansado que já isola colegas em livres estudados, em vez de cruzar a porcaria da bola lá para o meio e esperar pelo golo certo. Espero que isto lhe passe.

Herrera

Se antes do jogo me tivessem perguntado qualquer coisa do género "Quem escolherias para substituir o senhor comendador Danilo?" - sendo que nunca seria bem substituir mas antes "jogar no seu lugar", porque substituir pressupunha colocar outra pessoa em vez do senhor comendador Danilo no meu coração -, confesso que nunca, em qualquer situação ou perante qualquer cenário, diria "Olha, o Herrera é que não era mal pensado". Aliás, agora que penso nisso, não estou a imaginar-me a dizer esta frase fosse pelo que fosse, incluindo "Quem é que escolherias para te fazer um bolo?" ou mesmo "Quem é que escolherias para te ir levar o lixo lá a baixo?". Se bem que era capaz de considerar essa resposta caso a pergunta fosse "Quem é que escolherias para enviar para outro planeta e destruir o meteorito que iria desfazer a Terra, sacrificando-se pelo futuro da Humanidade?" (No caso de não poder ser o Bruce Willis). Bem, sinto que já desconversei um bocado, mas também não tenho nada de mal, nem de bem, para dizer sobre o Herrera.

Óliver

Não consigo não reparar na maneira como recebe a bola e não precisa de olhar para ela, tratando-a com meiguice enquanto procura uma linha de passe ou desmarcação. Mas hoje o nosso meio-campo foi parte do que eu desejo, com dois jogadores que sabem quase sempre o que fazer e um Herrera, e isso pareceu tirar velocidade e capacidade de fogo à equipa. Portanto, talvez o segredo esteja mesmo naquele monte de pessoas a correr na direção da baliza adversária, com chutos para a frente, sprints desenfreados e muita força em vez de pensamento. Resta-me agora levantar a cabeça, treinar bem durante a semana e enfrentar a próxima crónica com humildade.

Paulinho

Poucas vezes tenho aqui oportunidade de falar abertamente sobre os problemas na estrutura do FC Porto, por isso aproveito este momento para colocar o dedo na ferida. É que não vejo ninguém preocupado com isto, mas nós hoje entrámos em campo com um jogador emprestado pelo Portimonense. Emprestado. Pelo Portimonense. Nos bons tempos, nós emprestávamos jogadores ao Portimonense, tentando desta forma que eles dependessem de nós e não nos tirassem pontos. Emprestávamos aqueles jogadores de que já nem nos lembrávamos, tal era o plantel em quantidade e qualidade. Agora ainda o tentamos fazer, mas em troca o Portimonense também nos empresta jogadores, tentando, suponho, que nós lhes dêmos pontos. Mas vá lá, do mal o menos: o jogador do qual já nem se deviam lembrar numa equipa do meio da tabela é muito bom de bola. Obrigada, Portimonense.

Brahimi

Parece algo cansado, o que não se compreende, uma vez que o FC Porto só tem jogado duas vezes por semana e chega a haver vezes em que tem um ou outro jogador diferente para dar minutos de descanso aos pobres coitados que têm que andar sempre a disfarçar as lacunas do plantel. Ou talvez tenha só passado o dia distraído a ver as notícias. Ou terei sido a única a ler "Luís Filipe Vieira arguido com VAR" (em vez de TIR) e a ter demorado uns segundos a questionar-me se as autoridades policiais e judiciais estariam finalmente interessadas em prender o videoárbitro?

Marega

Não vou alongar-me muito, porque há só três coisas que eu tomo como dados adquiridos: a morte, as buscas no Estádio da Luz para investigar mais uma trafulhice e as exibições do Marega que nos recordam que ele é o Marega.

Aboubakar

Com exibições tão apagadas quanto esta, vai ter de ter cuidado com a nova concorrência. Até porque eu vi um jogo do Gonçalo Paciência e ele sabe rodar sobre um adversário e chutar sem hipótese para o melhor guarda-redes de todos os tempos e universos. Infelizmente, o que Aboubakar fez hoje não foi suficiente para o FC Porto marcar um golo, e o que Gonçalo Paciência fez no sábado não foi suficiente para evitar que o Sporting daqui a uns anos reivindique mais três ou quatro campeonatos no seu palmarés devido a esta Taça CTT. Aproveito, então, para deixar escrito na internet que a Taça da Liga não equivale a três ou quatro campeonatos, não vá a gente distrair-se nessa altura e eles convencerem-nos disso.

Soares

Não estava à espera de ver entrar em campo um jogador que está no corredor da morte, mas suponho que tenha sido o que ele pediu como último desejo antes de ser recambiado para a China.

Waris

Ainda não vi o suficiente para ter uma opinião, mas desconfio imediatamente de um jogador que o FC Porto comprou a outro clube, pagando por isso uma quantia em dinheiro, e assegurando assim aquilo que vulgarmente se conhece por "reforço". Entretanto fui confirmar e ele veio por empréstimo do Lorient, e acho que já vos disse o suficiente sobre empréstimos hoje. Vou só ali ver se nenhum regulamento garante que, em caso do guarda-redes adversário ser tão estúpido que não perceba que não sofreu um golo, esse golo acabe por ser efetivamente atribuído à equipa que não tem esse jogador, só pelo mérito de não ser estúpida.

Sérgio Oliveira

Entrou a tempo de fazer três bons cruzamentos, para Soares e Waris nos recordarem como é bom ter Aboubakar e Marega e para a equipa de arbitragem nos anular um golo que parece ter tanto de irregular como de justo, mas as pessoas são tão quadradas que vão ficar reduzidas às regras do jogo em vez de analisarem o lance com a filosofia e a metafísica que ele merecia.