Tribuna Expresso

Perfil

Lá Em Casa Mando Eu

Lá Em Casa Mando Eu não sabe o que fazer com Corona a não ser entregá-lo a Jesus, homem que tudo inventou e que ainda domina o castelhano

É que parecendo que não, Jorge Jesus inventou a marcação à zona e trouxe os bloqueios do basquetebol assim que saberá o que fazer com o mexicano. Quanto a Ricardo, Catarina Pereira tem a sensação que entrou apenas para informar quem estava em campo que o Real Madrid tinha marcado e que a eliminatória estava resolvida, escusavam de estar sempre a perguntar

Catarina Pereira, Lá em Casa Mando Eu

Alex Livesey - UEFA/Getty

Partilhar

Casillas

Desta vez, o FC Porto surpreendeu o Liverpool alinhando com um guarda-redes, o que parecendo que não até podia ter dado jeito na primeira mão. Face ao que o diretor de comunicação alega ter dito em off a um jornalista sobre o fim de contrato de Iker Casillas dar jeito ao FC Porto em termos de liquidez, podemos ter testemunhado hoje o seu último jogo na Liga dos Campeões. Ou seja, pode ter sido a última vez que vimos uma defesa como a que fez aos 88 minutos. Daí que eu, em on, deva dizer: não há milhões que paguem ter este senhor na nossa baliza.

Maxi

Normalmente, o empenho de Maxi Pereira é a sua principal qualidade. Faça chuva ou faça sol, seja contra o Moreirense ou contra o Liverpool, Maxi dá tudo. E hoje não foi diferente: correu, lutou, esforçou-se como se o mundo acabasse amanhã para outras pessoas além das que vão passar a noite nos calabouços da PJ.

Felipe

O resultado da primeira mão poderia motivar algum desleixo num central que tem estampado na cara o desejo de vencer sempre, mas em Felipe significou apenas uma ligeira descontração, como se fosse um serial killer em férias. Teve um momento em que escorregou frente a Firmino, tendo-se seguido um excelente um corte no chão. Lembrou-me o Dexter quando tentava interagir com as outras personagens, enquanto ouvíamos a voz off ter monólogos monocórdicos a planear assassinatos.

Reyes

Voltou a cumprir o papel de figurante que provavelmente o vai acompanhar durante toda a carreira. É o tipo de jogador que não faz jogões nem faz grandes asneiras. É aquele colega de turma que, quando vemos as fotos passados 15 anos, ninguém sabe o nome. Na verdade ia às aulas todas, até foi às visitas de estudo e esteve num raio de 600 metros dos momentos mais importantes da nossa juventude, mas ninguém se lembra.

Diogo Dalot

Teve a inteligência de não se mostrar muito, que isto é gente de vermelho e com dinheiro para gastar 75 milhões num central de uma selecção que não vai a uma grande competição há sei lá quanto tempo. Sabe-se lá o que fariam se descobrissem que estava ali o lateral com mais futuro do país campeão da Europa.

André André

Substituiu Herrera, tendo a missão de o fazer descansar. Não sei se quero o Herrera descansado, a pensar no que vai fazer. O Herrera quer-se a correr, a ter que subir e descer, sem pensar. Tenho medo que ele pense tanto que na primeira jogada de domingo já esteja a fazer uma asneira monumental.

Óliver

Uma exibição manchada por algumas perdas de bola perigosas. Aos 85 minutos ia fazendo o golo que lhe dava a vitória, a ele e só a ele, Óliver, frente ao Liverpool. Digo isto porque já vi vários benfiquistas a dizerem que, caso seja culpado, Paulo Gonçalves, assessor jurídico do Benfica, que alegadamente quis saber coisas sobre um processo que tem a ver com o Benfica e para interesse do Benfica, não tem nada a ver com o clube. Por esta ordem de ideias nada nos garante que aquele hipotético golo de Óliver, jogador do FC Porto, com o equipamento do FC Porto, pago pelo FC Porto, valesse mesmo para o FC Porto. Podia ser um golo individual e o clube não tinha nada a ver com aquilo.

Bruno Costa

"Parabéns, Bruno! Como foste o primeiro adepto do FC Porto a comprar bilhete para Anfield depois do resultado da primeira mão, ganhas entrada no 11 titular! Este prémio dá-te direito a fazeres o estágio com a equipa e a poderes fazer descansar um médio-centro! Equipamento, botas e alimentação não incluída." Foi a mensagem que escrevi assim que vi o onze, mas depois o rapaz jogou bem e afinal percebi que tivemos mesmo sorte em ter sido o primeiro a comprar bilhete.

Corona

Estou numa fase da minha relação com Corona que penso que a única solução é entregá-lo a Jorge Jesus. O homem inventou a marcação à zona, trouxe os bloqueios do basquetebol e domina o castelhano como ninguém, pelo que talvez saiba o que fazer com ele.

Waris

Um bom remate aos 51 minutos e pouco mais, mesmo assim tendo chegado para estar mais perto de marcar nesta edição da Liga dos Campeões do que o Jonas.

Aboubakar

Pela maneira como (não) se movimenta, não me parece que esteja totalmente recuperado da lesão. A sorte dele é que Marega se lesionou, se não ia notar-se muito que o maliano sozinho tinha conseguido virar isto a nosso favor.

Sérgio Oliveira

Entrou para termos mais posse e segurarmos o 0-0 que dá um ponto ao Porto no ranking da UEFA. Também dá a Portugal, e consequentemente aos outros clubes deste país, mas isso são defeitos deste sistema de pontuação e não há nada que possamos fazer contra isso. Podemos ver se o Benfica conhece alguém lá dentro que nos possa informar acerca da situação, a ver se nos passam os processos e como é que aquilo é contado, mas ouvi dizer que a pessoa que trata disso hoje não está disponível.

Ricardo

Entrou para informar as pessoas que estavam a jogar que o Real Madrid tinha marcado e que a eliminatória estava resolvida, escusavam de estar sempre a perguntar.

Gonçalo Paciência

Com a sua entrada em campo, eram já quatro os jogadores da formação do FC Porto em pleno relvado de Anfield. De fora, milhares de adeptos de azul e branco foram o único e grande destaque desta eliminatória. Todos juntos, só esperamos uma coisa: vamos ganhar.