Tribuna Expresso

Perfil

Liga dos Campeões

Rui Vitória: "A nossa vida é esta: encontrar desafios e ultrapassá-los"

O treinador do Benfica no final do jogo falou, sobretudo, de pragmatismo de uma equipa que quer acima de tudo ganhar

Expresso

GENYA SAVILOV

Partilhar

Fazer seis em seis

"O fundamental era ganhar, era importantissimo somar três pontos e fazer seis pontos com a equipa do Dínamo de Kiev. Era importante também entrar quase no topo da tabela da qualificação e na luta por este apuramento, mas sabíamos que ia ser um jogo difícil e foi na realidade.

"O Dínamo nunca tinha perdido fora e é uma equipa que se fecha muito bem, mas nós tivémos várias oportunidades e, ao não fazer o golo, demos algum oxigénio ao Dínamo, mas se houvesse um empate era uma injustiça".

O pragmatismo

"Tivemos uma abordagem mais fria e pragmática. Na Liga dos Campeões todos estes pormenores contam, mas tenho de dar os parabéns aos meus jogadores, acima de tudo pela disponibilidade, pela forma elétrica com que estavam no jogo, sempre à procura do golo".

O FC Porto

"Os jogadores estavam focados aqui. Sabemos que quando não se acaba o jogo quando temos as oportunidades, temos de ter algumas cautelas em termos defensivos e não correr riscos, mas não teve nada a ver com isso [estar já a preparar o jogo com o Porto], teve a ver com a gestão do próprio jogo. Mas foi um jogo intenso, as duas equipas entregaram-se de alma e coração".

E a lesão de Fejsa

"O Benfica está como estava há duas semanas, sempre com a perspetiva de querer passar a fase de grupos. Temos mais dois jogos para disputar, ter sete pontos é bom, mas isto vai ser disputado até ao limite. A nossa vida é esta: encontrar desafios e ultrapassá-los".