Tribuna Expresso

Perfil

Liga dos Campeões

O Arsenal voltou a ser goleado e Wenger queixou-se... do árbitro

O Bayern de Munique voltou a golear o Arsenal (5-1) e os ingleses estão de fora da próxima fase da Liga dos Campeões. Maior diferença de golos numa eliminatória só se viu num jogo com o... Sporting, em 2009

Francisco Perez

Arsène Wenger consola Alexis Sanchez aquando da sua substituição, quando o resultado estava em 2-1

Shaun Botterill/Getty

Partilhar

O Bayern de Munique goleou esta terça-feira o Arsenal por 5-1 em Londres, repetindo o resultado da primeira mão dos oitavos-de-final da Liga dos Campeões. Com um resultado agregado de 10-2, a competição só testemunhou uma maior diferença de golos por uma vez, numa eliminatória entre o Bayern e um clube português: o Sporting.

Os bávaros seguem para os quartos-de-final pela sexta vez consecutiva, ao passo que os londrinos caíram pelo sétimo ano na lista das melhores 16 equipas europeias. A última vez que a formação de Arsène Wenger se apurou para os quartos foi em 2010/11, quando eliminou o FC Porto, com um resultado agregado de 6-2.

A eliminatória estava complicada - ou melhor, praticamente impossível face ao resultado de há três semanas e ao futebol que o Bayern demonstrou em Munique. Mesmo o adepto mais otimista dos "gunners" teria as suas dúvidas, mas o Arsenal acreditava que era possível.

A primeira parte até correu bem aos londrinos, que aos 20 minutos inauguraram o marcador graças a um míssil de Theo Walcott. Mas a segunda parte trouxe um filme completamente distinto. A cinco minutos da hora de jogo, Koscielny cometeu falta na grande área sobre Lewandowski e viu o cartão vermelho. O polaco converteu a grande penalidade e estabeleceu a igualdade. A partir daí o encontro mudou de rumo.

O Arsenal, ainda com (poucas) esperanças, não mudou a forma como estava a atacar, abdicando de compensar o setor defensivo com outro central. Os alemães aproveitaram as debilidades do adversário e concretizaram a goleada, graças aos remates certeiros de Robben, de Douglas Costa e de Arturo Vidal, este último por duas vezes.

E se o clima de desconfiança em relação a Arsène Wenger já era elevado, o jogo de ontem terá deixado os adeptos (ainda mais) insatisfeitos.

A 16 pontos do líder da Premier League, o Chelsea, e ainda sem assegurar um lugar para a Champions na próxima temporada, a eliminatória era fulcral nas ambições dos "gunners", que esta época "apenas" estão na luta pela Taça de Inglaterra.

Antes da partida, um grupo de aficionados do Arsenal manifestou-se contra o treinador dos ingleses, pedindo a sua demissão.

No final, Arséne Wenger mostrou-se desiludido, mas apontou críticas à arbitragem. "O resultado não reflete o nosso bom jogo. Sinto muito pelas pessoas que assistem e que pagam tanto dinheiro para ver estes jogos. No golo do Bayern, o Lewandowski está em fora de jogo e nesse lance não há razão para grande penalidade. Estou absolutamente revoltado com esta atitude da equipa de arbitragem".

E para os que continuam a pedir a saída do treinador, o francês deixou uma resposta. "O que precisa de mudar no clube? Que querem dizer com isso? Eu penso que o clube está em grande forma mas a passar por uma fase muito complicada. O que precisa de mudar é o resultado do próximo jogo".

Do outro lado, Carlo Ancelotti defendeu que o resultado foi… injusto. "Foi injusto porque o Arsenal jogou bem durante 60 minutos e causou-nos problemas. Pressionou e fez-nos cometer erros que não costumamos fazer. É um resultado estranho, mas o futebol por vezes é assim. Foi mais difícil do que pareceu".

Nos 12 jogos entre ambos, o Bayern levou a melhor por sete ocasiões. O Arsenal venceu por três vezes e conseguiu empatar as restantes.

Desde 2012 que não se via uma eliminatória tão desequilibrada. Na altura, o Barcelona venceu em Leverkusen o Bayer por 3-1, para depois golear os alemães por… 7-1.

A eliminatória terminou com uma diferença de oito golos, mas não é o caso mais marcante da Liga dos Campeões. Em 2009, o Bayern de Munique cruzou-se com o Sporting nos oitavos-de-final, e o resultado não poderia ter sido mais esclarecedor para os alemães.

Depois da derrota em Alvalade por 5-0, os "leões" viajaram para a Allianz Arena, numa noite em que o golo de João Moutinho foi o ponto alto da derrota por 7-1. No final de contas, o Sporting regressou a Lisboa com um penoso 12-1.

Partilhar