Tribuna Expresso

Perfil

Liga dos Campeões

Leonardo Jardim tombou Guardiola e segue em frente na Champions. Quem pára o Mónaco?

Excelente época dos monegascos esteve em evidência perante o Manchester City. Treinador português segue para os quartos-de-final pela segunda vez em três anos

Francisco Perez

Leonardo Jardim celebra a passagem aos quartos-de-final da Liga dos Campeões

Michael Steele/Getty

Partilhar

O Mónaco eliminou o Manchester City da Liga dos Campeões, ao derrotar a equipa inglesa por 3-1. Com um agregado de 6-6, os três golos marcados no Etihad Stadium foram decisivos. A qualificação para os quartos-de-final é um reflexo da excelente temporada que a formação orientada por Leonardo Jardim está a realizar.

Pela segunda vez em três anos, o treinador português conseguiu qualificar os monegascos para o quadro das oito melhores equipas europeias. O feito ganha ainda maior relevância devido ao facto da equipa que caiu ter sido o (também) milionário Manchester City, que no ano passado foi eliminado nas meias-finais da competição.

Paralelamente, pela primeira vez na sua carreira, Pep Guardiola tombou nos oitavos-de-final. Nas sete participações anteriores (quatro pelo Barcelona e três pelo Bayern de Munique) o técnico espanhol tinha chegado sempre, pelo menos, às meias-finais, vencendo inclusivamente duas perante o Manchester United (em 2009 e 2011) ao serviço dos catalães.

No final do encontro, Leonardo Jardim estava bastante satisfeito.

“Fomos melhores nos dois jogos. Na primeira mão, o City teve alguma sorte. Hoje [ontem] fizemos uma primeira parte fantástica. Fomos pressionantes e não os deixamos jogar”.

Reconhecendo que a eliminatória ultrapassada é “um dos melhores momentos da carreira”, o treinador português não tem favoritos para o sorteio desta sexta-feira.

“Na terça-feira fui questionado por um jornalista se estava com medo do jogo. Jogos como estes são para ser desfrutados e eu adoro estas partidas quando há tanto em cima da mesa. O objetivo era a qualificação. No passado também já batemos o Arsenal e o Tottenham e temos conseguido bons resultados contra os ingleses. Podem pensar que nós e o Leicester somos os mais fracos. Vamos aguardar”.

A luta em todas as frentes e um ataque demolidor

Por esta altura, já são poucos os que se poderão mostrar surpreendidos com as exibições do Mónaco esta temporada.

Em 47 jogos esta época, o clube do Principado apontou uns impressionantes 126 golos, o que se traduz em 2,68 remates certeiros por jogo.

Lidera a Liga francesa com mais três pontos que o tetracampeão Paris Saint-Germain, com o melhor ataque na Europa, com 84 pontapés que terminaram nas balizas adversárias.

Não perde para o campeonato desde 18 de dezembro de 2016, averbando a quinta vitória consecutiva em todas as competições. Vai ainda disputar com o Lille a presença nas meias-finais da Taça de França e com os parisienses a Taça da Liga.

A juventude como receita para o sucesso

Numa época que é longa e desgastante, Leonardo Jardim vai privilegiando a rotação de jogadores. Todos podem jogar, e todos têm cumprido. O sucesso que os monegascos vão alcançado, revela-se ainda mais impressionante se atendermos à juventude do seu plantel.

Mbappé, Bakayoko e Fabinho apontaram os golos de ontem. O mais velho é este último, com 23 anos, os outros têm 18 e 22, respetivamente.

Aliás, Mbappé tornou-se o jogador mais jovem de sempre a marcar em duas mãos, com 18 anos e 85 dias, superiorizando o registo de Nicolas Anelka que tinha 21. O jovem leva já 17 golos em 31 encontros, ele que é formado no Principado e foi lançado por… Leonardo Jardim.

Benjamin Mendy, Thomas Lemar, Bernardo Silva são outros dos jogadores que têm estado em evidência para lá do Stade Louis II, e nenhum tem mais de 22 anos. E a amizade é um elemento omnipresente.

“Somos grandes amigos e gostamos de estar juntos em campo. Divertimo-nos a jogar futebol e desfrutamos tanto que não sentimos a pressão de ter de conseguir resultados”, afirmou Mendy ao site oficial da UEFA no final do encontro diante do Manchester City.

Mas desengane-se quem pensa que não há lugar para a experiência. Subasic é o guardião predileto de Leonardo Jardim, com os seus 32 anos. É o primeiro a distinguir o balneário do Mónaco entre “os adultos” e os “jovens talentosos”.

Kamil Glik, ontem a cumprir suspensão, tem garantido solidez defensiva com 29 anos. No setor intermediário, João Moutinho é o elemento mais experiente com 30 e, mesmo não sendo titular indiscutível, sabe gerir e interpretar os momentos do jogo em que é lançado.

Na frente, Valère Germain e Radamel Falcao são os capitães dos monegascos, com 26 e 31 anos, respetivamente. O francês, excluindo o ano passado em que esteve cedido ao Nice, fez toda a carreira no clube, está a três golos de igualar a sua melhor marca. O antigo jogador do FC Porto, depois duas épocas pouco produtivas em Inglaterra, não marcava tantos golos (24) desde 2012-13… quando alinhava no Atlético de Madrid.

Na luta em todas as competições, ninguém duvida do trabalho meritório que Leonardo Jardim está a realizar. Nesta fase, tudo é possível para o Mónaco.

  • Fernando Santos orgulhoso do Mónaco de Leonardo Jardim

    Multimédia

    O selecionador nacional elogiou a prestação do Mónaco na qualificação para os quartos-de-final da Liga dos Campeões. Fernando Santos elogiou os João Moutinho e Bernardo Silva, ambos convocados para os jogos com a Hungria e Suécia. O selecionador revelou ainda que já felicitou Leonardo Jardim