Tribuna Expresso

Perfil

Liga dos Campeões

“Quando o Real ficou com medo, o árbitro começou o espetáculo. Este roubo não pode acontecer na Liga dos Campeões”

Arturo Vidal não deixou nada por dizer – sobre o árbitro – depois de ter sido expulso na vitória do Real Madrid sobre o Bayern de Munique (4-2), nos quartos de final da Liga dos Campeões

Expresso

O internacional chileno Arturo Vidal joga no Bayern de Munique

OSCAR DEL POZO/GETTY

Partilhar

Chama-se Viktor Kassai, tem 41 anos, é húngaro e, terça-feira à noite, foi o alvo preferido de Arturo Vidal, após a eliminação do Bayern de Munique da Liga dos Campeões.

“Quando o Real ficou com medo, o árbitro começou o espetáculo. Este roubo não pode acontecer na Liga dos Campeões. Sentimos muito o que aconteceu e ficamos na dúvida”, acusou o internacional chileno, que foi expulso quando a eliminatória ainda estava em 3-3 (acabou 6-3).

“Queríamos passar e há muita raiva por um jogo com tanta intensidade ter sido decidido pelo árbitro. Cometeu muitos erros e eliminou-nos da Liga dos Campeões”, acrescentou o médio do Bayern de Munique. “Quando os árbitros nos humilham assim, é muito difícil aceitar. Ficamos muito zangados”.

Carlo Ancelotti, treinador dos alemães, também revelou a sua insatisfação com o trabalho de Kassai. “Claro que [Vidal] tem que estar mais tranquilo, mas não mereceu o segundo cartão. Foi um erro do árbitro”, disse.

“Planeámos e jogámos bem, merecíamos mais. As decisões do árbitro penalizaram-nos muito. O cartão do Arturo não era, os dois golos de Cristiano eram fora de jogo. Claro que não estamos contentes”, desabafou o italiano, que aproveitou para dar uma sugestão de futuro à UEFA. “Nos quartos de final da Liga dos Campeões, há que ter um árbitro com mais qualidade ou ter o vídeoárbitro, porque há demasiados erros”.

Partilhar

  • O meu último jogo e o jogo que ele fez

    Liga dos Campeões

    O Real Madrid venceu o Bayern de Munique (4-2) e está pela sétima época seguida nas meias-finais da Liga dos Campeões. E gostamos de pensar que seria assim que Xabi Alonso nos contaria o seu último jogo na competição, que coincidiu com o jogo em que Cristiano chegou aos 100 golos na prova