Tribuna Expresso

Perfil

Liga dos Campeões

Sérgio Conceição: "Se há alguém culpado desta derrota sou eu, assumo-o perante toda a gente"

O treinador do FC Porto admitiu que teve a "abordagem estratégica errada" para o jogo e assume a responsabilidade da derrota frente ao Besiktas, no Estádio do Dragão

Expresso

MIGUEL RIOPA

Partilhar

Os problemas durante o jogo

“Encontrámos uma equipa experiente, uma equipa com qualidade individual, mas não nos podemos justificar nisso. Também temos uma equipa capaz e de qualidade. Entrámos no jogo como não estava planeado, mas o treinador sou eu e assumo a responsabilidade.

Faltou-nos mais agressividade na primeira fase de construção do jogo do Besiktas, jogaram muito à vontade e conseguiram variar o centro de jogo com alguma facilidade. Quer queiramos, quer não, esticaram a nossa equipa e sentimos dificuldades no meio campo."

A segunda parte

"Fizeram o golo, reagimos bem, fizemos o empate e tivemos possibilidade de marcar o 2-1. Aí seria diferente, porque iríamos corrigir alguma coisa ao intervalo. Entrámos na segunda parte modificando uma ou outra situação importante, encostámos o Besiktas lá atrás, tivemos duas ou três oportunidades para empatar o jogo e, na parte final, sofremos o terceiro.

Tinha que mudar alguma coisa, o Tiquinho estava há 10 minutos a pedir-me a substituição, mas pusemos o Hernâni e deixámos o Tiquinho. Disse que era com estas que íamos à luta e com quem tínhamos uma equipa capaz. Obviamente que queríamos ganhar o jogo, mas, como no outro jogo do grupo houve um empate, temos todas as hipóteses de seguir em frente e ir buscar pontos aos próximos jogos."

Um meio a dois, e depois a três

"Isso depende do que é a dinâmica da equipa e do nosso processo defensivo. Os jogadores sabem o que têm de fazer para existir esse equilíbrio a meio campo e não haver inferioridade numérica no corredor central. Na primeira parte não o conseguimos fazer, apesar de ter encostado o Marega mais à esquerda e pedido ao Brahimi para estar mais ao centro. Senti que houve alguma facilidade do Besiktas em jogar.

A Champions foi um ghoque de realidade?

"Não, não é choque. Eu disse-o, tivemos as oportunidades suficientes para podermos fazer golo e estar numa posição de vantagem, em casa. O mesmo quando podíamos ter empatado o jogo. Tentámos e, nesse sentido, não há nada a dizer aos jogadores.

Se há alguém culpado desta derrota sou eu, assumo-o perante toda a gente. A abordagem estratégica para este jogo, da minha parte, não foi a melhor, se tivesse sido, tínhamos ganhado."

Do que gostou mais

O início da segunda parte foi muito bom, e os minutos depois do empate. Foram interessantes. Mas a equipa, em termos de consistência, foi melhor na segunda parte, sem dúvida. As pessoas sabem, hoje em dia não há segredos, o público e os adeptos sabem que trabalhamos com determinação e muita ambição. Há jogos em que não somos imbatíveis, mas uma coisa é certa - eles viram a atitude dos jogadores e a forma como andaram atrás do resultado.