Tribuna Expresso

Perfil

Liga dos Campeões

Liga dos Campeões. Ao cuidado de Sérgio Conceição, Jorge Jesus e Rui Vitória: super-relatório sobre os rivais

Rui Malheiro viu, Rui Malheiro anotou, Rui Malheiro organizou: tudo o que é preciso saber sobre Mónaco, Basileia e Barcelona, rivais dos três grandes na segunda jornada da Champions, está neste texto. Abrimos com o Mónaco, que defronta o FC Porto em França esta terça-feira (19h45), e prosseguimos com Basileia (rival do Benfica) e Barcelona (adversário do Sporting). E se isto lhe parecer um relatório profissional, é porque é

Rui Malheiro

GETTY

Partilhar

Mónaco (adversário do FC Porto)

Equipa-tipo (1x4x4x2): Diego Benaglio – Sidibé, Glik, Jemerson, Jorge – Ghezzal, João Moutinho, Fabinho, Rony Lopes – Jovetic, Falcao

Diego Benaglio Internacional suíço. 34 anos. 1 golo sofrido e 2 balizas-virgens em 3 jogos oficiais em 2017/18. Contratado ao Wolfsburgo, no último defeso, a custo zero. O antigo guarda-redes do Nacional, clube que representou entre julho de 2005 e janeiro de 2008, aproveitou uma lesão do croata Subasic para assumir a titularidade. Muito forte sobre a linha de baliza, ao tirar partido de excelentes reflexos, agilidade e elasticidade, revela uma tendência excessiva por realizar defesas incompletas que permitem que o rival usufrua de segundas bolas. Incisivo na resolução de situação de um contra um ante os adversários rivais, assume muitos poucos riscos nas saídas aéreas, onde não se sente muito confortável.

Sidibé Internacional francês de origem maliana. 25 anos. 2 golos em 8 jogos oficiais em 2017/18. Contratado ao Lille, em junho de 2016, por 15 milhões de euros. Esteve na órbita de Manchester United, Chelsea, Arsenal e Tottenham, mas o Mónaco conseguiu asseverar a sua continuidade. Lateral-direito, também adaptável a médio-ala-direito ou lateral-esquerdo, extremamente potente, ao conjugar velocidade e aceleração com disponibilidade física, robustez e resistência. Competente na defesa do espaço exterior, apesar de dar algum espaço nas costas fruto da sua propensão ofensiva, mostra-se avassalador a atacar a profundidade, ao revelar-se extremamente incisivo a protagonizar ações de desmarcação, de condução e de desequilíbrio. Exibe bons argumentos no passe, nos cruzamentos – boa perceção dos movimentos-padrão dos seus colegas de equipa dentro da área rival – e no remate com o pé direito.

Glik Internacional polaco. 29 anos. 2 golos e 2 assistências em 9 jogos oficiais em 2017/18. Contratado ao Torino, em julho de 2016, por 11 milhões de euros, depois de ter passado por Palermo, Bari, Piast Gliwice e pela equipa C do Real Madrid. Poderoso e disponível fisicamente, mostra-se mais confortável na antecipação do que no desarme. Com algumas limitações em velocidade, denota dificuldades no controlo da profundidade, que procura compensar com o seu sentido posicional. É impositivo no jogo aéreo nas duas áreas: competente a nível defensivo, destaca-se a conquistar bolas aéreas ou a finalizar na sequência de lances de bola parada laterais ofensivos. Gosta de assumir, apesar de revelar limitações do ponto de vista técnico, as saídas para o ataque, demonstrando incisividade a buscar os corredores laterais através de passes longos.

Jemerson Internacional brasileiro (estreou-se em junho de 2017). 25 anos. 2 golos em 9 jogos oficiais em 2017/18. Contratado ao Atlético Mineiro, em janeiro de 2016, por 11 milhões de euros. Quando foi apresentado definiu-se como “Blackenbauer” (a versão negra do alemão Beckenbauer), o que foi motivo de inúmeras piadas na imprensa francesa.Mais ágil, mais veloz e mais tecnicista do que o seu parceiro Glik, revela desconcentrações e erros posicionais graves, nomeadamente na coordenação dos movimentos de subida e de descida da última linha. Contundente no desarme e impositivo na antecipação, exibe ótimos argumentos no jogo aéreo nas duas áreas: muito forte a antecipar-se na sequência de lances de bola parada laterais ofensivos. Gosta de assumir a saída para o ataque através de ações de condução e de construção, mesmo que arrogue riscos excessivos. Isto porque exibe qualidade no passe a diferentes distâncias – boas aberturas para os corredores laterais e para as costas da defesa rival – e não se inibe de buscar o um contra um. Com a confiança e a altivez de um verdadeiro Blackenbauer.

Jorge Internacional brasileiro (estreou-se em janeirode 2017). 21 anos. 4 assistências em 8 jogos oficiais em 2017/18. Contratado ao Flamengo, em janeiro de 2017, por 8,5 milhões de euros. Esteve meio ano a crescer na sombra de Benjamin Mendy, e agarrou a oportunidade que lhe foi concedida por Leonardo Jardim para assumir a sucessão. Lateral-esquerdo de perfil ofensivo, surpreende pela competência que evidencia no capítulo defensivo, já que revela competência no desarme e na antecipação na defesa de posições exteriores como interiores. Desequilibrador e contundente no ataque à profundidade, sente-se muito confortável a protagonizar ações de desmarcação e de condução, conciliando velocidade, agilidade e aceleração com boa técnica e sagacidade no drible. Apesar de poder melhorar a tomada de decisão, é extremamente incisivo nos cruzamentos, exibindo uma boa perceção das movimentações dos colegas de equipa dentro da área.

Ghezzal Internacional argelino, depois de ter representado as seleções inferiores francesas. 25 anos. 1 golo e 1 assistência em 5 jogos oficiais em 2017/18. Contratado ao Lyon, clube onde se formou, no último defeso, a custo zero. Começou o exercício como suplente, mas tem vindo a ganhar espaço nas opções principais de Leonardo Jardim. Utilizado, preferencialmente, como médio-ala-direito, ainda que possa também desempenhar o papel de médio-ofensivo, segundo-avançado ou médio-ala-esquerdo, é um canhoto que se distingue pela incisividade a perscrutar movimentos em diagonal para o espaço interior em direção a zonas de construção, de criação ou de finalização. Virtuoso tecnicamente e com ótimos predicados no drible, o que lhe permite assumir ações de condução aceleradas e criar desequilíbrios no um contra um, revela ótimos argumentos no passe de rutura a diferentes distâncias, assim como no remate com o pé esquerdo. Bom executante de lances de bola parada. Tem vindo a trabalhar mais do ponto de vista defensivo – aumentou os índices de reação à perda e os apoios que confere ao lateral, além de exibir argumentos interessantes no desarme – do que fazia em Lyon.

João Moutinho

Internacional português, já ultrapassou a fasquia dos 100 jogos pela Seleção principal (7 golos em 104 partidas). 31 anos. 3 assistências em 7 jogos oficiais em 2017/18. Contratado ao FC Porto, em julho de 2013, por 25 milhões de euros. O cérebro laborioso da formação de Leonardo Jardim. Crucial a cortar linhas de passe, ao tirar partido do seu ótimo sentido posicional, o que compensa algumas lacunas que sente no corpo a corpo, é quem mais critério oferece na construção e na condução de ações ofensivas. Tremendo a tomar (boas) decisões, tecnicamente evoluído e capaz de indagar um futebol vertical, revela grande argúcia no passe a diferentes distâncias e uma visão de jogo superlativa, alternando ações mais apoiadas com a busca do espaço ou de movimentos de rutura dos colegas de equipa. Especialista na execução de lances de bolas paradas, os seus cruzamentos teleguiados garantem várias assistências para situações de finalização, mas também exibe argumentos na transformação de livres diretos.

Fabinho Internacional brasileiro. 23 anos. 1 golo e 1 assistência em 9 jogos oficiais em 2017/18. Contratado ao Rio Ave, clube que nunca chegou a representar em jogos oficiais, em julho de 2015, por 6 milhões de euros, depois de ter estado dois exercícios na condição de emprestado. Lateral-direito convertido com amplo sucesso em médio-defensivo, é extremamente poderoso, disponível fisicamente e resistente. Muito agressivo, pressionante e reativo à perda, revela alguns excessos de dureza nas bolas divididas. Com Leonardo Jardim, evoluiu muito na perceção posicional do jogo, como também melhorou o seu tempo de entrada aos lances, mostrando-se contundente no desarme e arguto na antecipação, além de exibir predicados para se impor nos duelos aéreos. Apesar de possuir um perfil mais defensivo, não se inibe de assumir ações de condução, mostrando capacidade para progredir em força e velocidade, e busca, diversas vezes, passes longos em direção aos corredores laterais ou para as costas da defesa rival.

Rony Lopes Internacional português em todos os escalões entre os sub-16 e os sub-21 (20 golos em 65 jogos), poderá representar a Seleção portuguesa ou a Seleção brasileira – nasceu em Belém do Pará – no patamar principal. 21 anos. 1 golo e 1 assistência em 8 jogos oficiais em 2017/18. Contratado ao Manchester City, em agosto de 2015, por 12 milhões de euros. Esteve emprestado, entre janeiro de 2016 e maio de 2017, ao Lille. Veloz, ágil, móvel e extremamente acelerativo, cria desequilíbrios no um contra um e protagoniza diagonais incisivas para o espaço interior, até porque é virtuoso tecnicamente e possui bons atributos no drible. Contudo, em algumas situações, peca por se exceder em iniciativas individuais que o levam a perder objetividade. Pode melhorar a tomada de decisão, mas apresenta atributos interessantes no remate com o pé esquerdo – até porque é muito perspicaz a desmarcar-se – e no último passe. Com Leonardo Jardim tem procurado aumentar a sua perceção dos momentos defensivos, exibindo uma maior agressividade e reatividade à perda.

Jovetic Internacional montenegrino e capitão da sua Seleção: 23 golos em 46 internacionalizações. 27 anos. 1 golo em 3 jogos oficiais em 2017/18. Contratado ao Inter, a 29 de agosto de 2017, por 11milhões de euros, depois de ter estado cedido, entre janeiro e maio de 2017, ao Sevilha. Unidade móvel de ataque, capaz de atuar a toda a largura do ataque, mas sempre incisivo no ataque à profundidade, foi contratado para assumir a hercúlea missão de suceder a Mbappé. Extremamente sagaz a assumir ações de condução e de desequilíbrio no um contra um, concilia virtuosismo técnico e qualidade no drible com velocidade e poder de aceleração, o que leva os adversários a recorrerem a intervenções faltosas para o travar. Contudo, acusa alguma inconsistência no capítulo exibicional. Forte no último passe, ainda que precise de perceber melhor as movimentações-padrão dos seus colegas de equipa, exibe bons atributos na finalização através do remate com o pé direito de dentro ou de fora da área. Pouco dado a trabalho defensivo, poderá ser sacrificado ante o FC Porto.

Falcao Internacional colombiano: soma 25 golos em 64 internacionalizações. 31 anos. 11 golos e 1 assistência em 9 jogos oficiais em 2017/18. Contratado ao Atlético Madrid, em julho de 2013, por 43 milhões de euros, já esteve cedido, sem grande sucesso, a Manchester United e Chelsea. Ao serviço dos monegascos soma 54 golos e 8 assistências em 74 jogos oficiais. A atravessar uma das melhores fases da sua carreira, o Tigre reencontra-se com o FC Porto, clube que lhe abriu as portas do futebol europeu, onde somou, ao longo de dois exercícios, 72 golos e 17 assistências em 87 partidas oficiais. Extremamente sagaz a oferecer apoios frontais, fomentando um futebol combinativo, destaca-se pelo extraordinário poder de desmarcação, oportunismo e capacidade de antecipação em zona de finalização, exibindo uma tremenda facilidade e qualidade na definição a um-dois toques, o que o torna num predador dentro da área. Exímio a finalizar através do jogo aéreo – a dar sequência a lances de bola corrida e a lances de bola parada laterais – ou do remate com o pé direito. Especialista na execução de grandes penalidades.

Mónaco Equipa-tipo (1x4x4x2): Diego Benaglio – Sidibé, Glik, Jemerson, Jorge – Ghezzal, João Moutinho, Fabinho, Rony Lopes – Jovetic, Falcao

Mónaco Equipa-tipo (1x4x4x2): Diego Benaglio – Sidibé, Glik, Jemerson, Jorge – Ghezzal, João Moutinho, Fabinho, Rony Lopes – Jovetic, Falcao

GETTY

Alternativas

Leonardo Jardim tem vindo a revelar-se fiel a uma organização estrutural em 1x4x4x2 clássico, mas o 1x4x2x3x1/1x4x4x1x1 surge como plano secundário, tal como aconteceu na deslocação ao terreno do Red Bull Leipzig (1-1), em que abdicou de um dos avançados (Jovetic) para lançar um médio de características ofensivas (Tielemans), robustecendo o setor intermediário, o que poderá voltar a acontecer diante do FC Porto.

As grandes dúvidas prendem-se com as opções para as alas: Ghezzal, à direita, e Rony Lopes, à esquerda, têm sido as opções recentes, mas Jardim poderá recorrer a Sidibé – o que implicaria a titularidade de Almany Touré como lateral-direito – ou Rony à direita, e de Lemar – soberbo no último exercício, mas a novela que se delongou até ao último dia de mercado, sobre a sua eventual transferência para Arsenal ou Liverpool, fez com que saísse do onze –, Diakhaby ou Keita Baldé no corredor esquerdo. Os dois últimos são também opção para o posto de segundo-avançado em detrimento de Jovetic. Na baliza, Subasic, o habitual titular, já recuperou de uma lesão, mas o bom rendimento de Diego Benaglio poderá valer-lhe a continuidade como titular.

Basileia (adversário do Benfica)

Equipa-tipo (1x5x4x1/1x3x4x2x1): Vaclík – Lang, Suchy, Akanji, Eder Balanta, Blas Riveros – Steffen, Xhaka, Zuffi, Oberlin – Van Wolfswinkel

Basileia (adversário do Benfica) Equipa-tipo (1x5x4x1/1x3x4x2x1): Vaclík – Lang, Suchy, Akanji, Eder Balanta, Blas Riveros – Steffen, Xhaka, Zuffi, Oberlin – Van Wolfswinkel

Basileia (adversário do Benfica) Equipa-tipo (1x5x4x1/1x3x4x2x1): Vaclík – Lang, Suchy, Akanji, Eder Balanta, Blas Riveros – Steffen, Xhaka, Zuffi, Oberlin – Van Wolfswinkel

GETTY

Vaclík Internacional checo, assumiu a titularidade na Seleção, após ter estado várias épocas na sombra de Petr Cech. 28 anos. 14 golos sofridos e 2 balizas-virgens em 10 jogos oficiais em 2017/18. Contratado ao Sparta Praga, em julho de 2014, a custo zero. Foi apontado, durante o defeso, como um dos eventuais alvos do Benfica para o posto de guarda-redes. Muito forte sobre a linha de baliza, ao combinar excelentes reflexos, grande agilidade e elasticidade, o que lhe permite realizar alguns voos impressionantes, peca, contudo, por revelar uma tendência excessiva por realizar defesas incompletas, o que permite que o adversário possa a atacar segundas bolas. Com bons argumentos na resolução de situações de um contra um ante os adversários, até porque é rápido a sair dos postes, agressivo e sabe suster até ao limite o tempo de queda, denota menos conforto nas saídas aéreas, o que o leva a assumir poucos riscos. Apesar de nem sempre se revelar preciso no passe longo, mostra atributos interessantes a lançar contra-ataques e ataques rápidos, recorrendo também a lançamentos manuais longos.

Suchy Internacional checo e novo capitão da Seleção. 29 anos. 1 assistência em 11 jogos oficiais em 2017/18. Contratado ao Spartak Moscovo, em julho de 2014, a troco de 2,5 milhões de euros, depois de meio ano de empréstimo ao Basileia. Líder do setor defensivo e capitão da equipa, começou o exercício no papel de defesa livre numa estrutura com três centrais, mas agora está a ser mais utilizado a partir do centro-direita. Bem mais sagaz posicionalmente do que os parceiros de setor, o que lhe permite cortar linhas de passe, destaca-se pelos bons argumentos no desarme e na interceção, ainda que, em algumas ocasiões, se exceda na dureza com que aborda os lances divididos, recorrendo a intervenções faltosas para travar os adversários. Apresenta bons atributos no jogo aéreo, não só em momento defensivo, mas também a dar sequência a lances de bola parada ofensivos: a conquistar bolas ou como finalizador. Capaz de assumir ações de condução e de construção, recorre ao passe a diferentes distâncias, realizando boas aberturas longas em direção aos corredores laterais ou para as costas da defesa rival, até porque exibe sagacidade na leitura das desmarcações dos colegas de equipa.

Akanji Internacional suíço de origem nigeriana, estreou-se em junho de 2017, e poderá ser uma das opções para o confronto diante da Seleção Nacional. 22 anos. 11 jogos oficiais em 2017/18. Contratado ao FC Winterthur, clube onde se formou, em julho de 2014, a troco de 700 mil euros. Iniciou a temporada no papel de defesa-central pela direita numa estrutura com três centrais, mas agora passou a ser utilizado como defesa livre. Muito forte e extremamente disponível fisicamente, é impositivo nos duelos ao ser rápido e agressivo a atacar a bola, mas demonstra limitações na definição do tempo de entrada aos lances, o que o leva a recorrer frequentemente a intervenções faltosas, e no capítulo posicional, sobretudo na reação aos movimentos de subida e de descida da última linha e na busca excessiva de referências individuais, o que pode conduzir a arrastamentos. Extremamente confiante, assume ações de condução, em que penetra com bola no meio-campo ofensivo, e de construção, indagando uma construção mais longa – nem sempre precisa – direcionada aos corredores laterais ou para as costas da defesa rival, mas corre riscos excessivos ao procurar situações de desequilíbrios no um contra um e passes verticais para o espaço interior.

Eder Balanta Internacional colombiano. 24 anos. 10 jogos oficiais em 2017/18. Contratado aos argentinos do River Plate, em julho de 2016, a troco de 3,5 milhões de euros. Central canhoto muito disponível fisicamente e contundente nos duelos, ao conjugar velocidade nas deslocações e agilidade com impetuosidade no desarme e na antecipação, revela erros gritantes no tempo de entrada aos lances, o que conduz a que seja batido em situações de um contra um e recorra, de forma excessiva, a intervenções faltosas, e no capítulo posicional, já que revela arduidades na definição da última linha e é muitas vezes arrastado pela sua tendência para buscar referências individuais. Mesmo não sendo muito alto (1.81), revela um ótimo poder de impulsão, o que lhe permite ser impositivo nos duelos aéreos nas duas áreas. Gosta de assumir ações de condução e de construção, mas revela instabilidade no passe e corre riscos excessivos a buscar desequilíbrios no um contra um.

Lang Internacional suíço, é presença regular na Seleção, mas tem estado condenado ao papel de relevo do titularíssimo Stephan Lichtsteiner. 26 anos. 10 jogos oficiais em 2017/18. Contratado ao Grasshoppers, em julho de 2016, a custo zero. Lateral-direito, também capaz de atuar como defesa-central, destaca-se pela enorme disponibilidade física e entrega ao jogo. Muito agressivo e pressionante, com argumentos interessantes na antecipação e no desarme, sente dificuldades no um contra um defensivo ante rivais velozes, acelerativos e móveis, o que o leva a recorrer a intervenções faltosas para os travar. Gosta de protagonizar ações de desmarcação e de condução pelo corredor direito, sempre com o ataque à profundidade como mote, buscando cruzamentos largos para a área ou remates – destro preferencial, capaz de recorrer ao pé esquerdo – de fora da área. Menos estável no capítulo do passe, não se inibe de buscar uma construção longa – nem sempre precisa – para as costas da defesa rival.

Xhaka Internacional albanês, depois de ter representado as seleções jovens suíças em todos os escalões entre os sub-17 e os sub-21. 26 anos. 1 golo e 1 assistência em 10 jogos oficiais em 2017/18. Formado nas escolas do clube. Verdadeiro multifunções, também capaz de atuar como lateral-direito ou defesa-central, é um médio-centro versátil que revela competência em ações defensivas e ofensivas. Destaca-se pela enorme disponibilidade física, agressividade e capacidade de pressão, conjugando bons argumentos no desarme e na antecipação, o que lhe permite recuperar inúmeras bolas, ainda que recorra, diversas vezes, a intervenções faltosas. Muito dinâmico e incisivo a sair para ataque, exibe atributos na construção – confortável no passe curto, mas com bons atributos nos passes médios e longos em direção aos corredores laterais ou para as costas da defesa rival, até porque revela uma boa leitura de jogo – e na condução –veloz, móvel e ágil, não se inibe de buscar desequilíbrios no drible curto – de iniciativas ofensivas. Falta-lhe uma maior capacidade de definição no remate de fora da área.

Zuffi Internacional suíço. 27 anos. 2 golos e 1 assistência em 11 jogos oficiais em 2017/18. Contratado ao FC Thun, em julho de 2014, a troco de 1 milhão de euros. Médio-ofensivo de origem, com características de “10”, tem vindo a ser utilizado como médio-centro ou médio-defensivo de perfil construtor. Longe de se tratar de um especialista em ações de desarme e de antecipação, faz-se valer do seu sentido posicional para cortar linhas de passe. A sua grande mais-valia passa pelos argumentos que evidencia na assunção de ações de construção e de condução, até porque se trata de um jogador móvel e evoluído no capítulo técnico. Exibe bons predicados na leitura de jogo, ao perceber os movimentos-padrão dos seus colegas de equipa, e no passe a diferentes distâncias, mostrando capacidade para variar entre uma construção mais apoiada, com base em passes curtos e médios, e a busca de passes longos em direção aos corredores laterais ou para as costas da última linha adversária, o que lhe possibilita a realização de vários passes de rutura e de assistências para situações de finalização. Exímio executante de lances de bola paradas laterais (livres laterais e pontapés de canto), ao revelar grande facilidade a colocar a bola na área rival através de cruzamentos, possui também um bom remate com os dois pés – o esquerdo é o preferencial –, surgindo com grande facilidade em zonas de finalização dentro ou fora da área, até porque é extremamente perspicaz a desmarcar-se.

Blas Riveros Internacional paraguaio, já se estreou pela Seleção principal, depois de se ter destacado ao serviço das seleções sub-20 e sub-17. 19 anos. 9 jogos oficiais em 2017/18. Contratado ao Olimpia, clube onde se formou, em julho de 2016, a troco de 1,7 milhões de euros. Grande promessa do futebol paraguaio, é um lateral-esquerdo de perfil marcadamente ofensivo, muito disponível do ponto de vista físico para fazer o vaivém defesa-ataque-defesa. Revela incisividade no ataque à profundidade, privilegiando as ações com e sem bola pelo corredor lateral, mas também se mostra capaz de penetrar pelo espaço interior. Veloz, ágil e acelerativo, consegue criar desequilíbrios no um contra um, ainda que acuse alguma previsibilidade na finta, e destaca-se pelos atributos muito interessantes nos cruzamentos na sequência de lances de bola corrida e de bola parada. Apresenta, no entanto, alguma inconsistência no capítulo do passe, sobretudo quando indaga uma construção média ou longa. Do ponto de vista defensivo, é agressivo, pressionante e impetuoso na abordagem aos duelos, mas patenteia debilidades posicionais na defesa de posições exteriores – dá espaço nas costas – e interiores.

Steffen Internacional suíço. 25 anos. 2 assistências em 10 jogos oficiais em 2017/18. Contratado ao Young Boys, em janeiro de 2016, a troco de 1,2 milhões de euros. Atua preferencialmente como médio-ala/extremo a partir do corredor direito – preferência – ou do esquerdo, mas este exercício até começou por ser titular como lateral-esquerdo de perfil ofensivo no lugar ocupado por Blas Riveros. Canhoto virtuoso tecnicamente e driblador, características às quais consegue aliar velocidade, mobilidade, agilidade e poder de aceleração, gosta de assumir ações de condução e de desequilíbrio no um contra um, buscando, em diversas ocasiões, diagonais para o espaço interior. Com argumentos muito interessantes nos cruzamentos e no último passe, assume um papel crucial nas assistências para situações de finalização. Em algumas ocasiões, principalmente de fora da área, busca o remate de pé esquerdo, ainda que nem sempre com a melhor definição e enquadramento. Apesar de apresentar fragilidades no corpo a corpo e das suas características marcadamente ofensivas, não se nega a trabalho defensivo, mostrando-se agressivo, pressionante e antecipativo.

Oberlin Internacional suíço em todos os escalões entre os sub-15 e os sub-21, possui também nacionalidade camaronesa. 19 anos. 2 golos em 8 jogos oficiais em 2017/18. Formado nas escolas do Zurique, rumou ao Basileia, em julho de 2017, por empréstimo do Red Bull Salzburgo, a troco de 700 mil euros. Unidade móvel de ataque, que desempenha habitualmente o papel de segundo-avançado ou de falsa referência ofensiva, está a ser mais utilizado no Basileia a partir do corredor esquerdo, ainda que com liberdade para surgir frequentemente no apoio direto a Van Wolfswinkel. Extremamente acutilante na exploração de ações de contra-ataque e de ataque rápido, destaca-se pela velocidade, agressividade e aceleração que imprime às suas ações, patenteando incisividade na desmarcação, o que lhe permite atacar com pungência a profundidade, e imprevisibilidade no drible, ainda que, em algumas ocasiões, perca objetividade ao exceder-se em ações individuais. Apesar de exibir predicados interessantes no remate com o pé direito, é inconstante na tomada de decisão e na definição, o que se nota sobretudo no passe – apesar de alguns bons pormenores a um toque – e nos cruzamentos, ao acusar bastante precipitação.

Van Wolfswinkel

tiago miranda

Internacional holandês. 28 anos. 7 golos e 1 assistência em 11 jogos oficiais em 2017/18. Contratado ao Vitesse, em julho de 2017, a troco de 3,5 milhões de euros. O antigo avançado do Sporting, clube que representou nas temporadas de 2011/12 e 2012/13, rubricando 45 golos e 5 assistências em 88 partidas oficiais, relançou a sua carreira no Vitesse, depois de passagens pouco conseguidas por Norwich e Bétis, além de uma experiência razoável nos franceses do Saint-Étienne. Principal reforço do Basileia para o novo exercício, onde assume a difícil tarefa de suceder a Doumbia, tem correspondido com golos à aposta, ainda que, em termos coletivos, a campanha dos Bebbi esteja longe de encantar.Referência ofensiva que se destaca pela sagacidade na desmarcação, sentido de oportunidade e poder de antecipação em zona de finalização, define, preferencialmente, com o pé direito ou através do jogo aéreo. Apesar de revelar atributos razoáveis a jogar de costas para a baliza, até porque é ágil e consegue protagonizar bons movimentos de rotação, falta-lhe uma maior estabilidade no passe e mais argumentos de ordem técnica para conseguir criar desequilíbrios. Muito disponível e agressivo, revela, em relação à passagem por Alvalade, uma maior reatividade à perda da bola e capacidade de pressão, não se inibindo de realizar algumas intervenções em tackle deslizante. Especialista na transformação de grandes penalidades.

Alternativas

Raphaël Wicky começou por promover uma rutura com a organização estrutural em 1x4x2x3x1 do seu antecessor, apostando no 1x3x5x2. Só que um início de exercício aquém das expectativas, já o levou a regressar ao 1x4x2x3x1, como também a passar pelo 1x4x4x2 clássico.

À partida, a receção ao Benfica deverá ser marcada pela aposta numa organização estrutural em 1x5x4x1, experimentada ante Manchester United, Chiasso e Zurique, três dos últimos quatro jogos realizados pelo Basileia, com desdobramento, em momento ofensivo, em 1x3x4x2x1. Com a utilização do internacional norueguês Mohamed Elyounoussi, opção para as posições de médio-ofensivo ou médio-ala-esquerdo, em dúvida, Wicky deverá manter a aposta em Oberlin a atuar a partir do corredor esquerdo. O extremo/segundo-avançado Bua, o avançado-centro Itten, e o médio-centro Serey Dié, internacional pela Costa do Marfim, são opções às quais recorre com frequência durante os jogos.

Barcelona (Adversário do Sporting)

Equipa-tipo (4x3x3 assimétrico): Ter Stegen – Nelson Semedo, Piqué, Umtiti, Jordi Alba – Busquets – Rakitic, Iniesta – Aleix Vidal, Messi, Suárez.

Barcelona (Adversário do Sporting) Equipa-tipo (4x3x3 assimétrico): Ter Stegen – Nelson Semedo, Piqué, Umtiti, Jordi Alba – Busquets – Rakitic, Iniesta – Aleix Vidal, Messi, Suárez.

Barcelona (Adversário do Sporting) Equipa-tipo (4x3x3 assimétrico): Ter Stegen – Nelson Semedo, Piqué, Umtiti, Jordi Alba – Busquets – Rakitic, Iniesta – Aleix Vidal, Messi, Suárez.

GETTY

Ter Stegen Internacional alemão, principal relevo de Manuel Neuer na Seleção, foi o titular no triunfo na Taça das Confederações’2017. 25 anos. 7 golos sofridos e 5 balizas-virgens em 9 jogos oficiais em 2017/18. Contratado ao Borussia Mönchengladbach, em julho de 2014, a troco de 12 milhões de euros. Competentíssimo a fazer face a remates em bola corrida ou bola parada, destaca-se pelo posicionamento eficiente, pelo bom controlo espacial da baliza, pelos fantásticos reflexos e tremenda agilidade, procurando a realização de defesas completas ou as estiradas que projetem a bola para espaços que não permitam ao adversário fruir do ataque a segundas bolas. Rápido e agressivo a sair dos postes, revela ótimos predicados na resolução de situações de um contra um – extremamente arguto a segurar a queda até ao limite, fechando o ângulo de remate ao rival – e sagacidade no controlo da profundidade, o que se revela determinante para deixar confortável um setor defensivo que se costuma posicionar adiantado. Está cada vez mais confortável e belicoso nas saídas aéreas a cruzamentos, mas é o aspeto onde revela ainda algumas lacunas. Exibe também ótimos atributos na construção a diferentes distâncias, tirando partido de uma boa leitura de jogo e da perceção das movimentações dos colegas de equipa.

Nelson Semedo Internacional português. 23 anos. 1 assistência em 5 jogos oficiais em 2017/18. Contratado ao Benfica, em julho de 2017, a troco de 30,5 milhões de euros. Lateral-direito de características marcadamente ofensivas, com uma velocidade, agilidade, aceleração e sagacidade na desmarcação verdadeiramente impressionantes, às quais alia ótimos predicados na condução e no drible, principalmente em espaços largos (mas também em espaços curtos), o que o torna num desequilibrador no um contra um, é um permanente carro de assalto à profundidade, alternando movimentos à largura com penetrações incisivas pelo espaço interior. Além disso, exibe atributos muito interessantes no passe e nos cruzamentos, o que lhe permite oferecer várias assistências para situações de finalização, e tem vindo a ganhar confiança como finalizador – o pé direito é o que melhor define, mas o pé esquerdo está longe de ser cego – até porque é sagaz a surgir em zonas de definição. Do ponto de vista defensivo, é bem mais eficaz na defesa do espaço exterior – melhor no desarme do que na interceção/antecipação – do que na cobertura do espaço interior, onde denota ainda algumas dificuldades no posicionamento e na abordagem aos duelos aéreos.

Piqué Internacional espanhol. 30 anos. 1 golo em 7jogos oficiais em 2017/18. Contratado ao Manchester United, em julho de 2008, a troco de 5 milhões de euros, depois de ter realizado o seu trajeto na formação no Barcelona. Forte fisicamente e impositivo no um contra um defensivo, conjuga um excelente sentido posicional, o que lhe permite assumir um papel crucial na definição da última linha e cortar inúmeras de linhas de passe, e uma ótima técnica de contenção, bloqueando as ações ao portador da bola, com ótimos argumentos no desarme e na antecipação. Forte no jogo aéreo, é autoritário nos duelos defensivos, e referência para dar sequência a lances de bola parada laterais ofensivos. Revela-se confortável na condução, até porque é tecnicamente evoluído, e na construção a diferentes distâncias – seguro no passe curto e médio, mas também capaz de realizar boas aberturas longas no espaço – tirando partido da sua boa visão de jogo.

Umtiti Internacional francês de origem camaronesa. 23 anos. 8 jogos oficiais em 2017/18. Contratado ao Olympique Lyon, clube onde se formou, em julho de 2016, a troco de 25 milhões de euros. Defesa-central canhoto, extremamente disponível e robusto fisicamente, apesar da morfologia poder indiciar o oposto (1.82/75), sobressai pela contundência que emprega nas ações de antecipação e de desarme, até porque se trata de um jogador veloz nas deslocações e agressivo a atacar a bola. Com bons argumentos no jogo aéreo, ao tirar partido do bom poder de impulsão e tempo de salto, gosta de assumir ações de condução e de construção, mesmo que, em algumas ocasiões, acuse alguns excessos de confiança. Contudo, revela bons atributos no passe a diferentes distâncias, e consegue criar desequilíbrios no um contra um através do drible.

Jordi Alba Internacional espanhol. 28 anos. 3 assistências em 8 jogos oficiais em 2017/18. Contratado ao Valencia, em julho de 2012, a troco de 14 milhões de euros, depois de ter sido dispensado do Barcelona durante a sua trajetória na formação. Extremamente veloz, ágil e capaz de imprimir acelerações contundentes, revela-se também extremamente disponível do ponto de vista físico e resistente, o que lhe permite fazer o vaivém defesa-ataque-defesa. Corrosivo a oferecer profundidade ao corredor esquerdo, destaca-se tanto a protagonizar ações de desmarcação sem bola como a assumir ações de condução, onde não se inibe de criar desequilíbrios no um contra um. Proporciona várias assistências para situações de finalização a partir de passes de rutura e de cruzamentos. Do ponto de vista defensivo, sente-se mais confortável na defesa do espaço exterior do que do interior, explorando a sua agressividade e poder de antecipação no um contra um, ainda que recorra a algumas intervenções faltosas para travar os oponentes. Na defesa do espaço interior sente desconforto nos duelos aéreos e para se impor ante oponentes mais possantes.

Busquets Internacional espanhol. 29 anos. 1 assistência em 9 jogos oficiais em 2017/18. Formado nas escolas do Barcelona. Médio-defensivo de grande disponibilidade física e agressividade, sobressai pelo seu sentido posicional soberbo, o que lhe garante um superior controlo do espaço entre a linha defensiva e intermediária, o corte de inúmeras linhas de passe e a realização com sucesso de ações de compensação.Além disso, exibe uma eficácia tremenda no desarme e na antecipação, o que o torna fortíssimo no um contra um defensivo. Fortíssimo a assumir ações de construção, revela uma excelsa visão de jogo e leitura superlativa das movimentações dos colegas de equipa, suportada por grande qualidade no passe a diferentes distâncias, mas também apresenta argumentos técnicos muito interessantes, nomeadamente nos capítulos da receção e do controlo orientado, sobressaindo pela velocidade e agilidade na execução e no raciocínio.

Rakitic Internacional croata nascido na Suíça. 29 anos. 1 golo e 2 assistências em 9 jogos oficiais em 2017/18. Contratado ao Sevilha, em julho de 2014, a troco de 18 milhões de euros, depois de ter passado por Schalke 04 e Basileia, clube onde completou o seu trajeto na formação e iniciou o percurso como sénior. Médio-centro ou médio-interior de características ofensivas, não está a atravessar um grande momento de forma, o que poderá levar Ernesto Valverde a optar pela titularidade de Paulinho em Alvalade. Conjuga disponibilidade física e um bom sentido posicional, não se inibindo de participar no processo defensivo, com grande sagacidade a queimar linhas, o que lhe garante um papel crucial no processo ofensivo. Virtuosismo tecnicamente, mesmo não se tratando de um driblador, demonstra grande argúcia na visão de jogo e no passe, o que lhe assegura um papel crucial a fornecer assistências para situações de finalização através de aberturas de rutura. Muito móvel e sagaz a desmarcar-se, surge com grande repentismo em zonas de finalização, onde tira partido do seu forte remate com o pé direito. É, igualmente, um bom executante de lances de bola parada laterais.

Iniesta Internacional espanhol. 33 anos. 1 assistência em 7 jogos oficiais em 2017/18. Formado nas escolas do Barcelona. Capitão. Quando era anunciado pela enésima vez o fim de ciclo dos culés, o farol de cara pálida, que derrama classe a cada toque, tornando possível o que aparentemente não o era, ressurgiu em grande estilo. Médio-ofensivo, habitualmente utilizado como médio-interior pelo centro-esquerda,de qualidade técnica e visão de jogo sublimes, é crucial a assumir ações de condução e de construção, até porque apresenta argumentos superlativos no passe: apoiado ou de rutura. Marca ritmos, temporizando ou acelerando o jogo consoante as necessidades, e toma (quase) sempre as melhores decisões, mas também cria desequilíbrios através do drible, o que leva os adversários a travarem-no em falta, e desbrava espaços para os colegas brilharem, pois coloca sempre o coletivo acima do individual. Nos momentos decisivos, a sua qualidade como definidor – no último passe e no remate de pé direito – costuma emergir.

Aleix Vidal Internacional espanhol. 28 anos. 2 assistências em 5 jogos oficiais em 2017/18. Contratado ao Sevilha, em julho de 2015, a troco de 17 milhões de euros, chegou a passar por Barcelona e Real Madrid durante o seu trajeto na formação. Lateral ou médio-ala direito extremamente profundo e vertical, destaca-se pela admirável disponibilidade física, resistência e belicosidade que lhe permite fazer todo o corredor direito. Desequilibrador no um contra um ofensivo, ao combinar velocidade, agilidade e poder de aceleração com ferocidade na condução e agressividade a partir para cima dos adversários, mostra argumentos interessantes nos passes de rutura e nos cruzamentos – onde pode tornar-se mais consistente –, e, mesmo não se tratando de um finalizador nato, não hesita em buscar a baliza adversária através de remates com o pé direito. Do ponto de vista defensivo, sente-se mais confortável na defesa do espaço exterior, até porque revela predicados muito razoáveis no desarme e na antecipação, do que na defesa do espaço interior, onde se denotam algumas deficiências de posicionamento e limitações nos duelos aéreos.

Messi

Sergio Perez

Internacional argentino. 30 anos. 12 golos e 2assistências em 9 jogos oficiais em 2017/18. Formado nas escolas do Barcelona, onde chegou oriundo das equipas de base do Newell’s Old Boys. Um extraterrestre visita Alvalade. De Lionel Messi pode esperar-se tudo, e o início retumbante de exercício, com 9 golos e 2 assistências no campeonato, e 2 golos diante da Juventus na estreia na Liga dos Campeões, confirmam-no num momento de forma assombroso.O papel de “falso nove”, em momento ofensivo, dentro de uma estrutura em 1x4x3x3 assimétrico,coloca-o onde mais gosta: no centro do jogo. A forma como a equipa defende, organizada estruturalmente em 1x4x4x2, liberta-o de tarefas defensivas. Qualidade técnica, virtuosismo no drible, velocidade de execução (e de raciocínio), tomada de decisão e capacidade de definição absolutamente superlativas.G-é-n-i-o.

Suárez Internacional uruguaio. 30 anos. 2 golos e 2 assistências em 6 jogos oficiais em 2017/18. Contratado ao Liverpool, em julho de 2014, a troco de 81,72 milhões de euros. Exímio finalizador, absolutamente contundente no ataque à profundidade, como também na exploração de contra-ataques e ataques rápidos, destaca-se pela facilidade e qualidade de definição no remate com os dois pés – o direito é o que melhor define –, mas também pelo seu elevadíssimo oportunismo, sagacidade na desmarcação – muitas vezes no limite do fora-de-jogo –, ferocidade na antecipação, e desmesurado sentido de baliza. Contudo, está longe de limitar a sua ação à área, já que se trata de um desequilibrador, capaz de conciliar mobilidade, agressividade e aceleração a virtuosismo técnico e incisividade no drible, e evidencia ótimos predicados no último passe, o que lhe permite realizar várias assistências para situações de finalização. Ótimo executante de bolas paradas na sombra de Messi.

Alternativas

A saída de Neymar levou Ernesto Valverde a abdicar da organização estrutural em 4x3x3. Depois de experiências pouco conseguidas em 3x5x2 e em 4x4x2 clássico, o novo treinador do Barcelona decidiu-se pela aposta numa estrutura híbrida: entre o 4x4x2 em momento defensivo, com o extremo-direito a baixar para médio-direito e o médio-interior-esquerdo a deslocar-se para médio-esquerdo, e o 4x3x3 assimétrico – com Messi a desempenhar o papel de “falso nove” e Luis Suárez a protagonizar movimentos contundentes da esquerda para o meio, abrindo o corredor ao lateral-esquerdo Jordi Alba –em momento ofensivo.

Para a deslocação a Alvalade, a principal dúvida prende-se com quem será a opção para desempenhar o papel de médio-ala/extremo-direito, já que o reforço Dembelé, que só regressará à competição em janeiro de 2018, está indisponível. Aleix Vidal, protagonista de uma ótima exibição ante o Girona, poderá voltar a ter uma oportunidade, mas Gerard Deulofeu, a primeira aposta para assumir a sucessão de Neymar, poderá ter uma nova oportunidade. Na sombra estarão Sergi Roberto, médio-centro de origem que também tem vindo a desempenhar funções de lateral-direito, e Denis Suárez, médio-ofensivo versátil que tem estado em destaque como suplente utilizado.

Dentro da rotação entre os diferentes setores, Nelson Semedo e Piqué, poupados diante do Girona, deverão regressar à titularidade, em detrimento de Sergi Roberto e Mascherano, que começou a temporada na sombra de Piqué e de Umtiti; a outra alteração deverá ser efetuada no meio-campo, onde o regresso de Busquets, suplente utilizado em Girona, é uma certeza. Com isso, Valverde deverá abdicar de um dos médios-interiores: Paulinho, que começa a convencer a exigentíssima máxima adepta, deve ser o preterido, mas Rakitic, num momento mais fulgurante, e o resplandecente Iniesta, de forma a efetuar a gestão da sua condição física – seis jogos consecutivos como titular, nenhum deles completo -, também podem cair do onze.