Tribuna Expresso

Perfil

Liga dos Campeões

Sérgio Conceição: "Na segunda parte, os jogadores vinham ao banco perguntar o que podiam fazer para contrariar a pressão"

Expresso

OZAN KOSE

Partilhar

O empate

"Mentiria se dissesse que o resultado não me deixa satisfeito. Fizemos um jogo consistente, uma primeira parte de grande qualidade. Este jogo foi preparado da melhor maneira em termos estratégicos. Os jogadores interpretaram da melhor forma, em termos defensivos, para depois fazermos mal ao Besiktas quando atacávamos."

A pressão na segunda parte

"Sofremos o golo com algum mérito do adversário e alguma falta de agressividade nossa, na disputa da bola. De qualquer forma, a primeira parte foi muito boa. Depois, na segunda parte, uma reação forte do Besiktas, e os jogadores vinham ao pé do banco perguntar ao treinador o que podiam fazer para contrariar essa pressão.

Fizeram uma pressão forte sobre a nossa equipa, numa e outra vez fomos precipitados na forma como saímos para o ataque, devíamos ter utilizado mas o nosso avançado e perdemos algumas bolas nessa transição defesa-ataque."

A estabilidade

"A partir dos 60-70 minutos, quando o Ricardo falha aquela oportunidade na cara do guarda-redes, o jogo passa a ser muito equilibrado. O resultado ajusta-se e penso que, se tivéssemos sido mais eficazes, ainda podíamos ter sido mais felizes."

As paradas e o jogo de José Sá

"Não quero abordar muito esse tema nem falar individualmente, porque também teria de falar da grande exibição do Sérgio e do Maxi. Obviamente, não é fácil jogar num estádio como este e jogar contar uma equipa que tem cinco vezes mais orçamento que nós.

O mérito e o otimismo

"Se pensarmos que, no início desta época, com todas as limitações a nível financeiro, vindo o Sérgio Conceição treinar o FC Porto, nenhum dos mais otimistas pensava que dependeríamos apenas de nós, à última jornada, para continuar na Liga dos Campeões. Grande parte do mérito vai para os jogadores, que têm uma ambição e um espírito competitivo que me agradam muito."

As trocas no onze e as substituições que depois não fez

"Estamos a falar de dois jogadores [Sérgio Oliveira e Maxi Pereira] que, apesar de terem levado um amarelo, têm alguma experiência. Sabem como gerir a situação. Estavam muito bem no jogo. Podia ter recuado o Ricardo para lateral e posto o Corona, sim, mas não senti necessidade. O Sérgio não jogava há três jogos e teve uma resposta fantástica. O Maxi também jogo muito bem. Quando respondem assim, somos mais fortes."